Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Papel de CD100 na patogênese da aterosclerose (2011)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: LUQUE, MARIA CAROLINA AQUINO - FM
  • USP Schools: FM
  • Sigla do Departamento: MCM
  • Subjects: ARTERIOSCLEROSE; ANTÍGENOS; MACRÓFAGOS; MOLÉCULAS DE ADESÃO CELULAR; LIPOPROTEÍNAS LDL
  • Language: Português
  • Abstract: A aterosclerose é uma doença degenerativa crônica dos vasos, com conseqüências clínicas agudas que incluem o infarto do miocárdio e o acidente vascular cerebral, resultantes geralmente da ruptura da placa e trombose. É atualmente reconhecida como de característica inflamatória, iniciada e propagada no contexto da hipercolesterolemia. Um trabalho de nosso grupo utilizou técnicas de phage display para comparar placas ateroscleróticas e carótidas normais objetivando a busca de proteínas alteradas potencialmente envolvidas na patogênese da doença. Diversas semaforinas e plexinas (receptores de semaforinas) foram identificadas dentre elas a plexina B1, que possui alta afinidade por CD100, sugerindo assim uma concentração aumentada de CD100 na placa aterosclerótica. CD100 foi a primeira semaforina descrita no sistema imune e a única até hoje descrita como possuidora de duas formas de funcionalidades distintas, sendo uma de membrana (mCD100) e outra solúvel (sCD100). Neste trabalho demonstramos a expressão da semaforina CD100 em macrófagos e células espumosas em placas ateroscleróticas humanas, assim como seu padrão de expressão ao longo da diferenciação monócito-macrófago-célula espumosa, e sob estímulos distintos. Além disso, identificamos pela primeira vez o receptor que medeia suas atividades nessas células, a plexina B2. Adicionalmente, detectamos também pela primeira vez detectamos a expressão de CD100 em células endoteliais teciduais e cultivadas in vitro, o que sugere um papel significativo da semaforina em fenômenos vasculares. Com base nessas observações e nos resultados de experimentos de bloqueio de adesão constatamos que CD100 pode atuar na fase mais precoce da aterosclerose, como uma molécula de adesão envolvida na ligação entre monócitos e células endoteliais. Verificamos ainda que CD100 diminui a captação de LDLox em macrófagos e células (Continua)(Continuação) espumosas. Poucos estudos relatam a presença ou possível atividade biológica de CD100 tanto na aterosclerose quanto em macrófagos. Devido às já estabelecidas ações no sistema imune, acreditamos que a expressão diferencial dessa semaforina desempenha um papel amplificador na patogênese da aterosclerose. Posteriormente, essa proteína poderá servir como alvo de inibição da progressão da doença e de suas complicações
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 25.02.2011
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FM10700097841W4.DB8 SP.USP FM-2 L985pa 2010
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      LUQUE, Maria Carolina Aquino; KALIL FILHO, Jorge Elias. Papel de CD100 na patogênese da aterosclerose. 2011.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5146/tde-24052011-155320/ >.
    • APA

      Luque, M. C. A., & Kalil Filho, J. E. (2011). Papel de CD100 na patogênese da aterosclerose. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5146/tde-24052011-155320/
    • NLM

      Luque MCA, Kalil Filho JE. Papel de CD100 na patogênese da aterosclerose [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5146/tde-24052011-155320/
    • Vancouver

      Luque MCA, Kalil Filho JE. Papel de CD100 na patogênese da aterosclerose [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5146/tde-24052011-155320/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: