Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Relação da arquitetura branquial e ultraestrutura das células íon-transportadoras nos mecanismos fisiológicos que permitiram a invasão de meio diluído pelos Anomura (Crustacea, Decapoda): Aegla franca (Schimitt) e Clibanarius vittatus (Bosc) (2011)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: ANTUNES, CLÁUDIA DOI - FFCLRP
  • USP Schools: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 592
  • Subjects: ANOMURA; CRUSTÁCEOS (ENZIMOLOGIA); ACLIMATAÇÃO
  • Language: Português
  • Abstract: Os crustáceos exibem diversos padrões de regulação osmótica e são as brânquias que absorvem tons do meio externo mais diluído. As células branquiais que realizam o transporte iônico apresentam evaginações apicais e invaginações basais de membrana associadas à mitocôndrias, que fornecem ATP à ‘Na POT +’/‘K POT. +’-ATPase, inserido nas invaginações basais. A ‘Na POT +’t ‘K POT. +’-ATPase é fundamental na regulação anisosmótica extracelular. Objetivamos gerar conhecimento para a discussão das estratégias adaptativas funcionais que permitiram a ocupação de meio diluído pelos anomuros, a partir de informações sobre o tipo de branquial e a ultraestrutura das células iontransportadoras em Aegla franca (Aeglidae), forte hiperregulador, e Clibanarius vittatus (Diogenidae), fraco-hiperregulador. Os animais foram aclimatados no laboratório e os tecidos íon-transportadores localizados pela técnica de coloração por prata. As brânquias foram dissecadas, fixadas e avaliadas em nível de microscopia Ética, eletrônica de varredura e transmissão. A. franca apresenta tricobrânquias, e há diferenças funcionais entre as artrobrânquias e pleurobrânquias. A arquitetura do filamento branquial se dá por um epitélio simples, abaixo da cutícula, formado por células pilares nas regiões laterais. O septo divide o espaço da hemolinfa em canal aferente e eferente e formam as lacunas laterais. A presença de evaginações apicais e invaginações basais associados a mitocôndrias sugere ocorrência de transporte iônico. Após aclimatação por 10 dias em água do mar a 25 ‘partes por mil’ S, não houve redução dessas estruturas subcelulares, o que sugere secreção de ‘Cl POT. –’, já que esta espécie hiporregula cloreto nesta salinidade. C. vittatus apresenta filobrânquias e aparentemente as artrobrânquias possuem maior relevância na osmorregulação. A arquitetura se dá por um epitéliosimples abaixo da cutícula, formado por células pilares e suas franjas, há um septo intralamelar. As estruturas celulares são poucas, raramente encontram-se mitocôndrias e as invaginações são muito escassas. O espaço subcuticular é pequeno e há desmossomos entre franjas adjacentes. A região do pericário é rica em invaginações basais e mitocôndrias. Após aclimatação por 10 dias em água do mar a 15’partes por mil’S houve surgimento de numerosas invaginações de membrana e aumento de mitocôndrias no septo. Nas células pilares houve aumento das evaginações apicais, e os desmossomos apareceram seguidas de uma junção septada interdigitada. Essas mudanças estão relacionadas com o transporte ativo de sal em meio diluído, já que permitem alojar enzimas ionotransportadoras, e isto é o que aparentemente permite a penetração e permanência de C. vittatus em meio de baixa salinidade
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 11.04.2011

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FCLRP20800042266Antunes, Cláudia Doi
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ANTUNES, Cláudia Doi; MACNAMARA, John Campbell. Relação da arquitetura branquial e ultraestrutura das células íon-transportadoras nos mecanismos fisiológicos que permitiram a invasão de meio diluído pelos Anomura (Crustacea, Decapoda): Aegla franca (Schimitt) e Clibanarius vittatus (Bosc). 2011.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2011.
    • APA

      Antunes, C. D., & MacNamara, J. C. (2011). Relação da arquitetura branquial e ultraestrutura das células íon-transportadoras nos mecanismos fisiológicos que permitiram a invasão de meio diluído pelos Anomura (Crustacea, Decapoda): Aegla franca (Schimitt) e Clibanarius vittatus (Bosc). Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Antunes CD, MacNamara JC. Relação da arquitetura branquial e ultraestrutura das células íon-transportadoras nos mecanismos fisiológicos que permitiram a invasão de meio diluído pelos Anomura (Crustacea, Decapoda): Aegla franca (Schimitt) e Clibanarius vittatus (Bosc). 2011 ;
    • Vancouver

      Antunes CD, MacNamara JC. Relação da arquitetura branquial e ultraestrutura das células íon-transportadoras nos mecanismos fisiológicos que permitiram a invasão de meio diluído pelos Anomura (Crustacea, Decapoda): Aegla franca (Schimitt) e Clibanarius vittatus (Bosc). 2011 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: