Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Mapeamento de QTL (Quantitative Trait Loci) associados à resistência do maracujá-doce à bacteriose (2011)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: BRAGA, MARCELO FIDELES - ESALQ
  • USP Schools: ESALQ
  • Subjects: BACTERIOSE VEGETAL; MANCHA BACTERIANA; MAPEAMENTO GENÉTICO; MARACUJÁ; MARCADOR MOLECULAR; RESISTÊNCIA GENÉTICA VEGETAL
  • Language: Português
  • Abstract: O maracujá-doce (Passiflora alata Curtis) é uma espécie nativa no Brasil. Seu cultivo tem crescido nos últimos anos devido a sua valorização no mercado in natura e seus usos na fitoterapia. Entretanto, os cultivos comerciais enfrentam problemas devido a ocorrência da bacteriose (Xanthomonas axonopodis pv. passiflorae). O patógeno é endêmico no país, apresentando considerável variabilidade genética em suas populações naturais. Este trabalho teve como objetivo identificar QTL relacionados à resistência de P. alata à bacteriose em uma população F1 segregante oriunda do cruzamento entre acessos não endogâmicos. Foram avaliados os caracteres: área total da folha (TA), idade de queda da folha inoculada (IK), área total da lesão foliar (LA), área de clorose foliar (CA) e área da necrose foliar (NEA). Apenas um dos isolados apresentou diferenças de severidade em relação aos demais, sendo o menos agressivo (PA8-2). A inoculação do isolado M-129 mostrou que há variação significativa na resposta da população ao patógeno, sendo possível a identificação de genótipos transgressivos. A herdabilidade dos caracteres variou de 45% a 71%%. Foi construído um mapa de ligação integrado com 1.786 cM e uma densidade média de 4,5 cM. A análise de marcas individuais indicou a associação de 51 marcas aos fenótipos avaliados. O mapeamento de QTL, realizado por intervalo composto e utilizando uma estratégia diferenciada para populações F1 segregantes, identificou regiões associadas a 26 QTL para os cinco caracteres avaliados, sendo 16 deles referentes à LA, CA e NEA. A variação fenotípica explicada individualmente pelos marcadores variou de 0,8% a 16,7%. Sugere-se que a resistência à bacteriose é quantitativa, com predominância de efeitos genéticos aditivos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 07.07.2011
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    ESABC10500120000t634.425 B813m e.2 100566
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BRAGA, Marcelo Fideles; VIEIRA, Maria Lucia Carneiro. Mapeamento de QTL (Quantitative Trait Loci) associados à resistência do maracujá-doce à bacteriose. 2011.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2011. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11137/tde-02082011-103816/ >.
    • APA

      Braga, M. F., & Vieira, M. L. C. (2011). Mapeamento de QTL (Quantitative Trait Loci) associados à resistência do maracujá-doce à bacteriose. Universidade de São Paulo, Piracicaba. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11137/tde-02082011-103816/
    • NLM

      Braga MF, Vieira MLC. Mapeamento de QTL (Quantitative Trait Loci) associados à resistência do maracujá-doce à bacteriose [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11137/tde-02082011-103816/
    • Vancouver

      Braga MF, Vieira MLC. Mapeamento de QTL (Quantitative Trait Loci) associados à resistência do maracujá-doce à bacteriose [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11137/tde-02082011-103816/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: