Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

A ocupação da área central pelo comércio ambulante: negociações e produção do espaço urbano (2011)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SAKAI, ROBERTA YOSHIE - EESC
  • USP Schools: EESC
  • Sigla do Departamento: SAP
  • Subjects: ECONOMIA INFORMAL; COMÉRCIO AMBULANTE; ÁREAS CENTRAIS; RECICLAGEM URBANA
  • Language: Português
  • Abstract: Através do estudo do trabalho ambulante regularizado, a pesquisa discute as transformações na área central influenciadas pela espacialização dos circuitos de produtos que compõem o denominado "comércio popular". Cada circuito aciona uma rede de relações específicas, as quais podem existir na mais absoluta legalidade ou estarem ligadas ao contrabando, pirataria e falsificação. O mercado de produtos cuja oferta é criminalizada movimenta outro que transaciona "mercadorias políticas" - negociações de caráter político transformadas em valores monetários - tanto no âmbito das normas comerciais, quanto das que regulamentam a apropriação do território. A hipótese é que as negociações observadas no comércio ambulante constituem formas de gestão dos espaços da área central, as quais são compartilhadas entre o Poder Público e outros agentes. Por continuamente transitarem nas liminaridades do ilegal, ilícito e informal; elas caracterizam o território como uma "zona de indeterminação" entre o direito e o não-direito, a lei e a norma, o juízo e o arbítrio. Aborda-se a questão tendo como referência o caso de Campinas, cidade sede de uma região metropolitana localizada no interior do estado de São Paulo. A organização dos trabalhadores em ocupações nos espaços públicos - realizada pela Prefeitura desde os anos 1980 - resultou na construção de um imaginário sobre a atividade, no qual tem papel fundamental a negociação monetária da licença de uso. Para compreensão deste processo, são analisadas especificamente as políticas de regulamentação adotadas de 2001 a 2004, período em que a regularização de novos espaços perpassou o debate sobre os sentidos da revitalização do centro.Os desdobramentos dessas políticas, captados nas falas dos entrevistados de 2005 a 2010, ajudaram a montar um quadro das negociações e a identificar a complexificação da população que vive da atividade. A convivência nas áreas regularizadas entre as dimensões clássicas e as reconfigurações do trabalho ambulante - provenientes do atual papel que a informalidade ocupa nos processos de acumulação - abre novas questões para a análise do chamado centro "degradado" e "decadente", do comércio popular
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 31.05.2011
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    EESC31100114207TESE 7943
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SAKAI, Roberta Yoshie; RIZEK, Cibele Saliba. A ocupação da área central pelo comércio ambulante: negociações e produção do espaço urbano. 2011.Universidade de São Paulo, São Carlos, 2011. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18142/tde-27082012-163631/pt-br.php >.
    • APA

      Sakai, R. Y., & Rizek, C. S. (2011). A ocupação da área central pelo comércio ambulante: negociações e produção do espaço urbano. Universidade de São Paulo, São Carlos. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18142/tde-27082012-163631/pt-br.php
    • NLM

      Sakai RY, Rizek CS. A ocupação da área central pelo comércio ambulante: negociações e produção do espaço urbano [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18142/tde-27082012-163631/pt-br.php
    • Vancouver

      Sakai RY, Rizek CS. A ocupação da área central pelo comércio ambulante: negociações e produção do espaço urbano [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18142/tde-27082012-163631/pt-br.php

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: