Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

O que os alunos de odontologia sabem sobre os riscos para a saúde auditiva na sua profissão (2011)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: LOPES, ANDRÉA CINTRA - FOB
  • USP Schools: FOB
  • Subjects: ODONTOLOGIA; RUÍDO OCUPACIONAL; PERDA AUDITIVA
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: O ruído ocupacional deve ser de especial preocupação para os dentistas mais jovens uma vez que na sua vida profissional diária lidam com o ruído provocado por instrumentos como brocas de alta velocidade, sistemas de ejeção, máquinas ultra-sônicas, cortadores de modelos, equipamentos de alta velocidade de sucção e vibração, o que pode levar a perda auditiva que afetam principalmente os limiares de audibilidade nas freqüências ultra-altas (entre 10.000 e 18.000 Hz). É importante que estudos avaliem as exposições ambientais na infância, na adolescência e em adultos jovens para assegurar que estes sejam protegidos contra os efeitos potencialmente prejudiciais, em benefício de sua saúde agora e no futuro. Objetivo: Avaliar o nível de conhecimento de alunos dos cursos de graduação em Odontologia sobre os riscos relacionados à saúde auditiva ocupacional presentes no seu ambientes de trabalho. Metodologia: Por meio de questionários aplicados no curso de Odontologia da Universidade de São Paulo (Campus São Paulo e Bauru), contendo 25 perguntas relacionadas ao nível de conhecimento sobre os riscos para a saúde auditiva, sintomas auditivos e não auditivos, utilização de dispositivos eletrônicos de música amplificada, entre outras informações. Dos 410 questionários aplicados, 367% foram devolvidos para a pesquisadora. Resultados: A casuística dos questionários mostrou que 66,67% dos alunos acreditam que a perda auditiva tem cura; apenas 86,78% acreditam no risco que a profissão traz a saúde, destes alunos, 58,91% acreditam que o risco é ergonômico, 56,90% acidental, 54,02% físico, 51,72% biológico, 22,62% químico e 8,33% outros riscos, sendo esta última com múltiplas escolhas; quanto à exposição ao ruído não ocupacional, mais especificamente à música amplificada, nessa amostra, 62,36% acreditam que ouvem no volume médio, 22,41% volumealto, 11,49% volume baixo, 2,87% volume máximo e 0,86% não responderam a questão. E sobre a posição do volume do aparelho, 47,99% dos alunos deixam o volume entre 25% e 50%, 25,57% deixam o volume entre 51% e 75%, 16,38% deixam o volume até 25%, 8,33% deixam o volume entre 76% e 100%, e 1,72% dos alunos não responderam a questão. Conclusão: Com relação aos resultados dos questionários, verificou-se que os alunos desconhecem o risco que o ambiente profissional e de lazer proporcional a saúde auditiva, dessa forma se faz necessário a conscientização sobre a exposição do ruído e suas conseqüências a fim de criar um programa de promoção e prevenção principalmente na saúde ocupacional dessa população visto que essa problemática interfere na qualidade de vida dos que atuam na profissão odontológica.
  • Imprenta:
  • Source:
    • Título do periódico: Anais
  • Conference titles: Encontro Internacional de Audiologia

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FRANÇA, Rosmeri; SANTOS, C. C.; LOPES, Andréa Cintra. O que os alunos de odontologia sabem sobre os riscos para a saúde auditiva na sua profissão. Anais.. São Paulo: Academia Brasileira de Audiologia, 2011.
    • APA

      França, R., Santos, C. C., & Lopes, A. C. (2011). O que os alunos de odontologia sabem sobre os riscos para a saúde auditiva na sua profissão. In Anais. São Paulo: Academia Brasileira de Audiologia.
    • NLM

      França R, Santos CC, Lopes AC. O que os alunos de odontologia sabem sobre os riscos para a saúde auditiva na sua profissão. Anais. 2011 ;
    • Vancouver

      França R, Santos CC, Lopes AC. O que os alunos de odontologia sabem sobre os riscos para a saúde auditiva na sua profissão. Anais. 2011 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2019