Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Filogenia molecular das abelhas Augochlorini (Hymenoptera, Apidae) (2011)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: GONÇALVES, RODRIGO BARBOSA - IB
  • USP Schools: IB
  • Sigla do Departamento: BIZ
  • Subjects: BIOGEOGRAFIA; HYMENOPTERA; APIDAE; FILOGENIA
  • Language: Português
  • Abstract: Augochlorini (Halictinae) e um elemento comum na região Neotropical, e a historia natural das suas espécies e marcada pela plasticidade quando comparada a outras abelhas. A tribo e grupo-irmão de Halictini, e seus fosseis datam pelos menos do âmbar Dominicano (cerca de 20 milhões de anos). As relações entre os gêneros de Augochlorini foram reconstruídas de maneira insatisfatoria, sendo as hipóteses existentes em parte incongruentes, pouco robustas e baseadas apenas em dados morfológicos. Neste sentido, o presente estudo apresenta uma abordagem filogenética empregando dados moleculares. Para 76 terminais, foram obtidas sequências de DNA de quatro genes, 28S, Fator de Alongamento 1-alfa, Rodopsina Verde e wingless, somando 3043 pares de bases alinhadas. Análises de máxima parcimônia, máxima verossimilhança e inferência bayesiana foram conduzidas para os dados moleculares em conjunto, incluindo ou não regiões de alinhamento ambíguo (alças e íntrons). Os resultados, em consenso, apontam para a parafilia das duas subtribos de Augochlorini sensu Engel, com três grupos de gêneros, gr. Corynura, gr. Rhinocorynura e gr. Chlerogella formando uma politomia na base. Os demais gêneros formam um agrupamento que e dividido em três grandes clados, cujas relações não foram bem resolvidas. O primeiro e composto pelo grupo Megaloptidia e os gêneros Augochloropsis, Augochlorodes e Pseudaugochlora, o segundo pelo grupo Neocorynura mais Chlerogas, Paroxystoglossa e Temnosoma, e o terceiro pelogrupo Augochlora e Caenaugochlora, Megalopta e Thectochlora. As primeiras linhagens de Augochlorini se diversificaram entre 7060 milhões de anos atrás, sendo que desde 50 milhões de anos vem ocorrendo uma gradativa diversificação do grupo. A re-análise da morfologia externa do grupo não foi útil para entender melhor a evolução do grupo que em trabalhos anteriores, inclusive diminuindo o poder explicativo da hipótese gerada pela evidencia total. As hipóteses moleculares apresentaram novas evidencias que guiam futuros estudos para o grupo, para que se possa entender a evolução dentro de cada um dos seus clados
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 23.05.2011
  • Acesso online ao documento

    Acesso à fonte or search this record in

    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GONÇALVES, Rodrigo Barbosa; BRANDAO, Carlos Roberto Ferreira. Filogenia molecular das abelhas Augochlorini (Hymenoptera, Apidae). 2011.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41133/tde-13092011-112227/ >.
    • APA

      Gonçalves, R. B., & Brandao, C. R. F. (2011). Filogenia molecular das abelhas Augochlorini (Hymenoptera, Apidae). Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41133/tde-13092011-112227/
    • NLM

      Gonçalves RB, Brandao CRF. Filogenia molecular das abelhas Augochlorini (Hymenoptera, Apidae) [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41133/tde-13092011-112227/
    • Vancouver

      Gonçalves RB, Brandao CRF. Filogenia molecular das abelhas Augochlorini (Hymenoptera, Apidae) [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41133/tde-13092011-112227/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2019