Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Papel do núcleo obscuro da rafe e da região ventrolateral caudal do bulbo na quimiorrecepção central ao CO2/pH (2011)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SILVA, GLAUBER DOS SANTOS FERREIRA DA - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RFI
  • Subjects: RESPIRAÇÃO (CONTROLE;FISIOLOGIA); SONO
  • Language: Português
  • Abstract: Estudo n° 1: Núcleo obscuro da rafe e respostas ventilatórias e térmicas durante hipercapnia e hipóxia: * Várias regiões do tronco encefálico tem sido reconhecidas como quimiorreceptores centrais, incluindo a região da rafe bulbar. No entanto, o papel específico do núcleo obscuro da rafe (ROb), sobre as respostas ventilatórias e de térmicas induzidas pela hipercapnia e hipóxia ainda não são bem connhecidas, assim como o possível envolvimeto dos neurônios serotoninérgicos (5-HT) do ROb na interação entre quimiorrecepção central e periférica. Portanto, o objetivo do presente estudo foi investigar o papel do ROb e seus neurônios 5-HT na resposta ventilatória e térmica durante a hipercapnia e hipóxia, assim como estudar seu envolvimento na interação entre quimiorrecepção central e periférica, em ratos não anestesiados. Foi realizado o procedimento de lesão química não-específica utilizado ácido ibotênico (IBO). Para lesão química específica dos neurônios 5-HT foi utilizada a droga antiSERT-SAP, em animais com corpúsculo carotídeo (CB) intacto e animais com remoção do CB (CBR). Para o grupo controle foi utilizado PBS (controle do IBO) e IgG-SAP (controle do anti-SERT-SAP). Ventilação pulmonar (VE), a temperatura corporal (Tc) e gasometria arterial foram avaliados antes, durante e após à exposição à hipercapnia (30 min, 7% C‘O IND. 2’) e hipóxia (1 h, 7%‘O IND. 2’). A lesão química do ROb com IBO ou anti-SERT-SAP não alterou a VE e a Tc basal. Por outro lado, a resposta ventilatória a hipercapnia foi atenuada. A sensibilidade ao C‘O IND. 2’ também foi reduzida após os procedimentos de lesão no ROb. A lesão específica para 5HT combinada com a CBR causou uma redução da VE à hipercapnia (- 31,2%) maior do que a soma de ambos tratamentos isolados (somente lesão central: -12,3% ou somente CBR: 5,5%). Em todos os grupos experimentaishouve queda da Tc induzida pela hipercapnia ou hipóxia, porém não houveram diferenças entre os grupos com ou sem lesão. Durante a hipóxia, não houveram alterações das respostas ventilatórias em nenhum dos grupos estudados. Os dados do presente estudo indicam que os neurônios 5-HT do ROb desempenham um papel na quimirrecepção central, e pode ser uma região importante na interação (atuação interdependente) entre quimiorreceptores centrais e periféricos. Estudo n°2: Papel da área de Loeschcke na quimiorrecepção central ao C‘O IND. 2’/pH: *A quimiorrecepção central, o processo de detecção do C‘O IND. 2’/H+ no sistema nervoso central (SNC) com efeitos sobre a ventilação, foi inicialmente localizada em duas áreas na região ventrolateral do bulbo (VLM), uma rostral (rVLM), conhecida como área de Mitchell (área M), e outra caudal (cVLM) conhecida como área de Loeschcke (área L). Estudos que descrevaram estas regiões foram realizados por meio de aplicação superficial de soluções ácidas em animais anestesiados. Recentemente, grande ênfase tem sido dada às regiões rostrais, com destaque para o núcleo retrotrapezóide (RTN), que corresponde a área M, e pouco se conhece a respeito da região caudal, a área L, em termos de quimiorrecepção central. O procedimento de acidificação em regiões do tronco encefálico, tem sido utilizado para estudar regiões rostrais quimiorreceptoras como o RTN e a rafe bulbar e que operam de maneira dependente do estado de alerta do animal (vigília e sono). A técnica de microdiálise reversa com líquor artificial (aCSF) equilibrado com C‘O IND. 2’ (25%C‘O IND. 2’) tem sido utilizada para induzir acidificação da região de interesse (com a acidose comparável àquela induzida pelo aumento de 6, 6 mmHg na PC‘O IND. 2’ arterial). O presente estudo teve como objetivo testar se a acidificação da região caudaldo bulbo, que corresponde a área L, induz aumentos na VE, e em caso positivo, se este ocorre de maneira dependente do estado de alerta do animal, como observado anteriormente em outras regiões testadas. Foram implantadas sondas de microdiálise na regida de interesse (cVLM), e os animais foram dividas de acordo com sua resposta ventilatória à acidificação. Nos animais responsivos, os quais a maioria das sondas estavam localizadas na região sobreposta à área Loeschcke, a VE aumentou em média 17% apenas no estado de vigília, mas não durante o período de sono. Esses dados apóiam a hipótese de que quimiorecepção central pode ser uma propriedade distribuída, com algumas regiões funcionando durante a vigília e outras durante o sono
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 22.06.2011

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SILVA, Glauber dos Santos Ferreira da; GLASS, Mogens Lesner. Papel do núcleo obscuro da rafe e da região ventrolateral caudal do bulbo na quimiorrecepção central ao CO2/pH. 2011.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2011.
    • APA

      Silva, G. dos S. F. da, & Glass, M. L. (2011). Papel do núcleo obscuro da rafe e da região ventrolateral caudal do bulbo na quimiorrecepção central ao CO2/pH. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Silva G dos SF da, Glass ML. Papel do núcleo obscuro da rafe e da região ventrolateral caudal do bulbo na quimiorrecepção central ao CO2/pH. 2011 ;
    • Vancouver

      Silva G dos SF da, Glass ML. Papel do núcleo obscuro da rafe e da região ventrolateral caudal do bulbo na quimiorrecepção central ao CO2/pH. 2011 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2019