Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Fatores de risco na transmissão do vírus da hepatite C no município de Catanduva-SP: um estudo caso-controle (2011)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: ROSA, RICARDO SANTAELLA - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RCM
  • Subjects: HEPATITE C; FATORES DE RISCO
  • Language: Português
  • Abstract: O vírus da hepatite C é transmitido principalmente por contato com sangue de paciente infectado. Outras formas de transmissão como sexual e vertical podem ser possíveis, porém com risco menor e nem sempre bem definidos, além dó que, há porcentagem significativa de portadores do vírus cuja forma de cantata não é identificada. O presente estudo tem como objetivo avaliar os possíveis fatores de risco na transmissão do HCV em uma cidade de porte médio, na região noroeste 'do estado de São Paulo. Material e Método: Desenvolvido estudo caso-controle, com o grupo caso constituído por 190 pacientes registrados no Programa Municipal, até dezembro de 2007, acima de 18 anos de idade, residentes no município de Catanduva e que apresentaram RNA-HCV detectado por PCR no sangue periférico. O grupo controle foi constituído por 190 pessoas que apresentaram sorologia negativa pára infecção pelo vírus da hepatite C e pelo vírus de imunodeficiência humana no sangue periférico. Os grupos foram pareados (1:1) segundo gênero, faixa etária (mais ou menos cinco anos) e local de moradia. Dos 190 pacientes (grupo caso), 141 eram monoinfectados pelo HCV e 49 coinfectados por HCV-HIV. Todos os participantes foram submetidos ao mesmo questionário estruturado e assinaram termo de consentimento esclarecido. A análise estatística dos dados foi realizada por regressão logística condicionada bruta e ajustada, com resultados expressos em odds ratio com intervalo de confiança de 95%. Resultados e Discussão: Entre todos os participantes houve predomínio do sexo masculino (68,9%) e a média de idade foi de 47,1 anos para o grupo de pacientes e 47,3 anos para o grupo controle. Mostraram associação com transmissão do HCV, na análise univariada, história de hepatite prévia, contato sexual com paciente com hepatite, antecedente de internação em instituição penal, antecedente de internação emhospital psiquiátrico, contato com sangue em atendimento de terceiros, transfusão de sangue até 1993, acidentes com seringas e/ou agulhas, tatuagens, contato domiciliar e/ou sexual com usuário de drogas ilícitas, uso de drogas ilícitas não injetáveis, uso de cocaína não injetável e/ou crack, uso de maconha, uso de medicamentos injetáveis no passado, uso de preservativo com parceiros fixos e histórico de doenças sexualmente transmissíveis. Após regressão logística condicional ajustada mostraram-se fator de risco para infecção pelo HCV, para o total de participantes: transfusão de sangue até 1993 OR=1 1,59 / IC95%=3,07-43,68); acidente com -seringas e/ou agulhas (OR=8,56 / IC95%~1,05-69,47); tatuagens (OR=7,55 / IC95%=1,75-32,52); uso de drogas não injetáveis (OR=11, 17 / IC95%=3,66-34,07) e uso de medicamentos injetáveis no passado (OR=2,06 / IC95%=1,11-3,84). Para os monoinfectados, mostraram associação com a infecção pelo HCV: transfusão de sangue até 1993 (OR=14,97 / IC95%=2,98-75,37); acidentes com seringas e/ou agulhas (OR=13,96 / IC95%=1,44-135,42); compartilhamento de objetos perfuro-cortantes (OR=2,50 / IC95%=1,12-5,61); tatuagens (OR=9,83 / IC95%=1,2676,85) e uso de drogas não injetáveis (OR=20,31 / IC95%=4,71-87,51). Para os coinfectados HCV-HIV, as variáveis contato sexual com paciente com hepatite, antecedente de internação em- instituição penal, antecedente de tatuagem, contato domiciliar com usuário de drogas ilícitas, relação sexual com usuários de drogas ilícitas, uso de drogas ilícitas não injetáveis, uso de cocaína e/ou crack e antecedente de doenças sexualmente transmissíveis, apresentaram associação com a infecção vital, na análise univariada. Porém, após a regressão logística ajustada as associações não foram confirmadas. Ressalta-se, entretanto que o numero reduzido de participantes desse subgrupo dificultou a análisecomparativa dos dados. Conclusões: Conclui-se que, na casuística analisada, a transmissão do vírus da hepatite C pela via sanguínea está bem caracterizada, entretanto persistem dúvidas no modo de aquisição do vírus em parcela significativa de pacientes. Outras formas de contato com sangue e/ou secreções humanas são passiveis de transmissão do vírus, mas provavelmente ocorrem em menor frequência
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 21.06.2011

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200056437Rosa, Ricardo Santaella
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ROSA, Ricardo Santaella; MARTINELLI, Ana de Lourdes Candolo. Fatores de risco na transmissão do vírus da hepatite C no município de Catanduva-SP: um estudo caso-controle. 2011.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2011.
    • APA

      Rosa, R. S., & Martinelli, A. de L. C. (2011). Fatores de risco na transmissão do vírus da hepatite C no município de Catanduva-SP: um estudo caso-controle. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Rosa RS, Martinelli A de LC. Fatores de risco na transmissão do vírus da hepatite C no município de Catanduva-SP: um estudo caso-controle. 2011 ;
    • Vancouver

      Rosa RS, Martinelli A de LC. Fatores de risco na transmissão do vírus da hepatite C no município de Catanduva-SP: um estudo caso-controle. 2011 ;