Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Towards a phylogenetic classification of Lychnophorinae (Asteraceae: Vernonieae) (2011)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: LOEUILLE, BENOIT FRANCIS PATRICE - IB
  • USP Schools: IB
  • Sigla do Departamento: BIB
  • Subjects: COMPOSITAE; FILOGENIA
  • Language: Inglês
  • Abstract: Uma hipótese filogenética das Vernonieae Americanas, baseada em uma matriz morfológica e em três regiões moleculares (ITS, ndhF, rpl32-trnL), revela a existência de quatro linhagens principais neste grupo. Três dessas linhagens correspondem, com alguns ajustes, às subtribos Chrestinae, Lychnophorinae e Vernoniinae. A última linhagem é principalmente composta de Lepidaploinae e Elephantopinae. Para uma circunscrição de Lychnophorinae monofilética, devem ser aqui incluídos duas pequenas subtribos (Centratherinae, Sipolisiinae) e três gêneros monotípicos (Albertinia, Blanchetia e Gorceixia), tendo como sinapomorfia a presença de heliangolidos nas partes aéreas. Nossos resultados mostram que a sincefalia provavelmente surgiu três ou quatro vezes ao longo da evolução das Vernonieae Americanas. As características especiais dessas agregações de capítulos em cada linhagem sugerem que a formação da sincefalia deve estar relacionada a diferente funções biológicas: atração nas Chrestinae, dispersão nas Rolandrinae ou proteção nas Lychnophorinae. A análise filogenética das Lychnophorinae foi realizada baseada numa matriz morfológica e quatro regiões moleculares (ETS, ITS, ndhF, rpl32-trnL), a fim de delimitar gêneros monofiléticos na subtribo, e alcançar uma melhor compreensão das relações entre seus gêneros. O gênero mais rico da subtribo, Lychnophora, com 32 espécies descritas, emergiu como polifilético, envolvendo três principais linhagens não estreitamente relacionadas. A maioriados clados obtidos estão associados a conceitos de gêneros já existentes e podem ser definidos por uma combinação simples de caracteres morfológicos. Albertinia, Blanchetia e Gorceixia são as linhagens mais basais, enquanto Eremanthus e Lychnophora stricto sensu emergiram como o clado mais derivado, que contém metade das espécies da subtribo. Porém, as relações entre os demais clados persistem apenas parcialmente resolvidas. Com o objetivo de comparar a influência de uma representação hierárquica de hipóteses de homologia em inferência filogenética, uma matriz morfológica das Vernonieae Americanas e uma das Lychnophorinae (Asteraceae) foram ambas analisadas usando a parcimônia e análise de três itens. Os resultados divergiram muito não só em termos de topologia, mas também no número de homologias recuperadas. A análise de três itens parece recuperar um maior conteúdo de informação das matrizes originais. O nível elevado de homoplasia já reconhecido em dados morfológicos de Vernonieae foi aqui confirmado e a maioria dos clados não são sustentados por sinapomorfias. Baseada nos resultados das análises filogenéticas realizadas, propõe-se aqui uma nova classificação da subtribo Lychnophorinae, e uma sinopse é apresentada. As subtribos Centratherinae e Sipolisiinae são reduzidas a sinonímia de Lychnophorinae e três gêneros (Albertinia, Blanchetia, Gorceixia) são transferidos para a subtribo. Como agora circunscrita, Lychnophorinae compreende 18 gêneros e 104 espéciesdistribuídas principalmente no domínio do cerrado do Planalto Central Brasileiro. Propõe-se a sinonimização de Oiospermum sob Centratherum, e de Irwinia sob Blanchetia. Devido ao fato de Lychnophora, como atualmente circunscrito ter-se mostrado polifilético, suas espécies tiveram que ser rearranjadas em três gêneros monofiléticos: Lychnophora s.s., Lychnocephalus e um novo gênero agora descrito, Lychnophorella. 17 novas combinações são propostas bem como 10 novas sinonímias. As descrições de oito novas espécies de Lychnophorinae são apresentadas: Eremanthus brevifolius, Heterocoma gracilis, H. robinsoniana, Minasia ramosa, Paralychnophora glaziouana, Piptolepis campestris, P. monticola e P. schultziana. A sinopse inclui os dados fundamentais de todas as espécies de Lychnophorinae: status taxonômico, dados sobre os tipos nomeclaturais, distribuição geográfica e habitat, além de notas taxonômicas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 11.07.2011
  • Acesso online ao documento

    Acesso à fonte or search this record in

    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      LOEUILLE, Benoit Francis Patrice; PIRANI, Jose Rubens. Towards a phylogenetic classification of Lychnophorinae (Asteraceae: Vernonieae). 2011.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41132/tde-30092011-132454/ >.
    • APA

      Loeuille, B. F. P., & Pirani, J. R. (2011). Towards a phylogenetic classification of Lychnophorinae (Asteraceae: Vernonieae). Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41132/tde-30092011-132454/
    • NLM

      Loeuille BFP, Pirani JR. Towards a phylogenetic classification of Lychnophorinae (Asteraceae: Vernonieae) [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41132/tde-30092011-132454/
    • Vancouver

      Loeuille BFP, Pirani JR. Towards a phylogenetic classification of Lychnophorinae (Asteraceae: Vernonieae) [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41132/tde-30092011-132454/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2019