Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Estudos físico-químicos de O-carboximetilação de quitosana (2011)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SILVA, DANIELLA DE SOUZA E - IQSC
  • USP Schools: IQSC
  • Sigla do Departamento: SFQ
  • Subjects: FÍSICO-QUÍMICA; QUITOSANA; QUITINA
  • Language: Português
  • Abstract: Modificações químicas são executadas com o objetivo de preparar derivados de quitosana com melhores propriedades, inclusive a solubilidade, ampliando as suas possibilidades de aplicação. Neste projeto, gládios de lulas foram utilizados para a extração de beta-quitina, a qual foi submetida ao processo de desacetilação assistida por irradiação de ultrassom de alta intensidade visando à produção de quitosana extensivamente desacetilada. A quitosana extensivamente desacetilada foi então submetida à reação de carboximetilação em solução de ácido acético, visando à preparação de O-carboximetilquitosana. Foram estudados os efeitos da razão molar quitosana/ácido monocloroacético e do tempo sobre a reação de carboximetilação de quitosana e as características do produto obtido. As características estruturais e morfológicas das amostras geradas neste projeto, a saber, beta-quitina, quitosana e os produtos de carboximetilação de quitosana, foram determinadas pelo emprego de espectroscopias de ressonância magnética nuclear e no infravermelho, análise elementar, difração de raios X e microscopia eletrônica de varredura. Medidas de viscosidade foram empregadas para a determinação de massas molares médias viscosimétricas de quitina, quitosana e O-carboximetilquitosanaA solubilidade de O-carboximetilquitosana em meios aquosos em função do pH e do grau médio de carboximetilação foi investigada por espectroscopia UV/visível e a estabilidade térmica foi estudada por análise termogravimétrica.A partir dos espectros de ressonância magnética nuclear de hidrogênio das amostras de carboximetilquitosana foi constatado que a carboximetilação da quitosana ocorreu em extensões diferentes em função das condições reacionais. Também foi constatada a ocorrência de N-carboximetilação, evidenciada pelos sinais observados no intervalo de 3,0-3,4 ppm, atribuídos à mono e dissubstituição dos grupos amino. Porém, dada a baixa intensidade dos sinais, foi concluído que a carboximetilação dos grupos aminos ocorreu em baixa extensão. No intervalo 4,05-4,55 ppm foram observados os sinais correspondentes à ressonância dos hidrogênios dos grupos carboximetil (-CH2-COOD) introduzidos nas posições 3 e 6 das unidades de carboximetilquitosana. A espectroscopia no infravermelho também permitiu a distinção das características estruturais de beta-quitina, quitosana, carboximetilquitosana e a determinação dos graus médios de substituição das amostras carboximetiladas, que variaram no intervalo 208,0) devido à ocorrência de cargas ao longo de suas cadeias nesses meios, mas foram insolúveis no intervalo 3,5
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 13.09.2011

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IQSC30800032520T2408R
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SILVA, Daniella de Souza e; CAMPANA FILHO, Sérgio Paulo. Estudos físico-químicos de O-carboximetilação de quitosana. 2011.Universidade de São Paulo, São Carlos, 2011.
    • APA

      Silva, D. de S. e, & Campana Filho, S. P. (2011). Estudos físico-químicos de O-carboximetilação de quitosana. Universidade de São Paulo, São Carlos.
    • NLM

      Silva D de S e, Campana Filho SP. Estudos físico-químicos de O-carboximetilação de quitosana. 2011 ;
    • Vancouver

      Silva D de S e, Campana Filho SP. Estudos físico-químicos de O-carboximetilação de quitosana. 2011 ;