Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Estudo da anatomia endoscópica do acesso transpterigóideo e da artéria carótida interna por via endonasal (2011)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: FORTES, FELIPE SARTOR GUIMARÃES - FM
  • USP Schools: FM
  • Subjects: ARTÉRIA CARÓTIDA INTERNA (ANATOMIA;HISTOLOGIA); TUBA AUDITIVA; CADÁVER; ENDOSCOPIA (TÉCNICAS); CRÂNIO (ANATOMOFISIOLOGIA)
  • Keywords: Anatomical study; Base do crânio; Cirurgia endoscópica por orifício natural; Endoscopy; Eustachian tube; Fossa pterigopalatina; Internal carotid artery; Pterygopalatine fossa; Skull base
  • Language: Português
  • Abstract: INTRODUÇÃO. Durante a última década, os avanços tecnológicos, o maior domínio da anatomia e das técnicas operatórias e de reconstrução da base do crânio por via endonasal propiciaram a expansão da cirurgia endoscópica para além dos limites da sela túrcica. O acesso transpterigóideo é uma etapa comum ao acesso as fossas cranianas média e posterior, e o conhecimento da anatomia endoscópica da artéria carótida interna (ACI) é um ponto fundamental e comum a estes acessos. OBJETIVO. Descrever a anatomia endoscópica relacionada ao acesso transpterigóideo e da ACI utilizando um modelo anatômico em cabeças cadavéricas frescas procurando definir os parâmetros seguintes: reparos anatômicos do acesso endoscópico a região supra e infrapetrosa, os limites para exposição endoscópica da ACI, os reparos anatômicos para localização dos seus segmentos lacerum, petroso e parafaríngeo. MÉTODOS. Foi realizado estudo anatômico em 20 espécimes (10 cabeças) de cadáveres frescos. As cabeças foram previamente preparadas com a injeção intravascular de silicone corado para enaltecer as estruturas vasculares (ACI, artéria maxilar e seus ramos e seio cavernoso). Em todos os casos foi realizado o acesso transpterigóideo às regiões supra e infrapetrosa, assim como a fossa infratemporal, e a dissecção endoscópica da ACI. RESULTADOS. A injeção de silicone corado no sistema arterial e venoso proporcionou modelo anatômico adequado para dissecção e documentação do acesso transpterigóideo assim como dos diferentes segmentos da ACI. A dissecção por etapas proporcionou exposição adequada da ACI do seu segmento cavernoso ao parafaríngeo distal. O acesso transpterigóideo forneceu exposição adequada do segmento lacerum da ACI e região suprapetrosa e seus principais reparos anatômicos foram o nervo vidiano, nervos maxilar e mandibular (V2, V3) e gânglio de Gasser. A exposiçãocaudal da ACI (segmentos petroso e parafaríngeo) e região infrapetrosa requer maxilectomia medial para exposição e remoção de todo o processo pterigóideo, seguida pela ressecção da tuba auditiva e do tecido fibrocartilaginoso do forame lacerum. Os principais reparos anatômicos desta etapa foram a tuba auditiva e V3. CONCLUSÃO. Durante o acesso endoscópico à região suprapetrosa, o nervo vidiano, os ramos maxilar e mandibular do nervo trigêmeo (V2 e V3) e o gânglio de Gasser são reparos anatômicos para localização da artéria carótida interna e fossa craniana média. Durante o acesso endoscópico à região infrapetrosa, o tecido fibrocartilaginoso do forame lacerum, a tuba auditiva e o nervo mandibular (V3) são reparos anatômicos para identificação da artéria carótida interna. O acesso endoscópico endonasal por etapas permite acesso à artéria carótida interna extracraniana desde o segmento cavernoso até seu segmento parafaríngeo inferiormente ao nível do assoalho da cavidade nasal. O reparo anatômico para localização do segmento lacerum e porção horizontal do segmento petroso da ACI é o nervo vidiano; para as porções petrosa horizontal junto ao joelho posterior e canal carotídeo os reparos anatômicos são o nervo mandibular (V3), forame oval, tecido fibrocartilaginoso do forame lacerum e a tuba auditiva; para o segmento parafaríngeo os reparos anatômicos são o tronco posterior do nervo mandibular (V3) e a tuba auditiva
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 17.08.2011
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FM10700102144W4.DB8 SP.USP FM-2 F844es 2011
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FORTES, Felipe Sartor Guimarães; SENNES, Luiz Ubirajara. Estudo da anatomia endoscópica do acesso transpterigóideo e da artéria carótida interna por via endonasal. 2011.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5143/tde-30112011-182443/ >.
    • APA

      Fortes, F. S. G., & Sennes, L. U. (2011). Estudo da anatomia endoscópica do acesso transpterigóideo e da artéria carótida interna por via endonasal. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5143/tde-30112011-182443/
    • NLM

      Fortes FSG, Sennes LU. Estudo da anatomia endoscópica do acesso transpterigóideo e da artéria carótida interna por via endonasal [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5143/tde-30112011-182443/
    • Vancouver

      Fortes FSG, Sennes LU. Estudo da anatomia endoscópica do acesso transpterigóideo e da artéria carótida interna por via endonasal [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5143/tde-30112011-182443/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: