Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Variações da metodologia de RAROC e sua utilização para cálculo do EVA: aplicação feita em bancos brasileiros (2011)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: CASTRO JUNIOR, SANT- CLAIR DE - FEARP
  • USP Schools: FEARP
  • Sigla do Departamento: EAC
  • Subjects: MODELOS ORGANIZACIONAIS; CAPITAL (ECONOMIA); BANCOS
  • Keywords: Economic Capital; EVA; RAROC
  • Language: Português
  • Abstract: Nesta pesquisa foi observado os tipos de risco envolvidos nas operações de crédito dos bancos múltiplos que atuam no Brasil, foi observada a rentabilidade destes bancos com relação ao capital alocado para fazer frente aos riscos assumidos. Considerou-se o modelo de RAROC como uma medida de desempenho consistente por representar uma medida de retorno com relação ao risco do capital. Este fato ganha mais força quando são observadas as recomendações do Comitê de Basiléia, através da carta conhecida como Basiléia III. Nos dias de hoje, os bancos com atuação nacional estão passando pelo período de transição para implantação das recomendações contidas no Basiléia III. Com base nas recomendações do comitê este estudo apurou o RAROC das quatro maiores instituições bancárias que atuam no Brasil, considerando o total de ativos, respeitando o pré-requisito de possuírem ações negociadas no mercado aberto da BM&FBOVESPA. Neste estudo são abordadas diferentes metodologias para Cálculo do RAROC, se utilizando da legislação vigente e da legislação em implantação no Brasil por ocasião do Basiléia III para o cálculo da base de capital dos bancos. Definiu-se o RAROC pelo capital mínimo exigido como o modelo benchmark, logo, foi comparado o modelo benchmark com outros modelos de RAROC para perceber se existem diferenças significativas entre as metodologias, não tendo sido encontradas diferenças significativas entre as metodologias. O modelo benchmark se mostrou consistente a ponto de ser utilizado para o cálculo do EVA dos bancos selecionados na amostra para o período pesquisado. Apesar de não ser usual a utilização do RAROC para cálculo do EVA, este estudo mostra que o resultado obtido com o cálculo do RAROC também pode ser útil na apuração do EVA de instituições financeiras
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 04.11.2011
  • Acesso online ao documento

    Acesso à fonte or search this record in

    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CASTRO JÚNIOR, Sant Clair de; LIMA, Fabiano Guasti. Variações da metodologia de RAROC e sua utilização para cálculo do EVA: aplicação feita em bancos brasileiros. 2011.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2011. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/96/96133/tde-04012012-155230/ >.
    • APA

      Castro Júnior, S. C. de, & Lima, F. G. (2011). Variações da metodologia de RAROC e sua utilização para cálculo do EVA: aplicação feita em bancos brasileiros. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/96/96133/tde-04012012-155230/
    • NLM

      Castro Júnior SC de, Lima FG. Variações da metodologia de RAROC e sua utilização para cálculo do EVA: aplicação feita em bancos brasileiros [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/96/96133/tde-04012012-155230/
    • Vancouver

      Castro Júnior SC de, Lima FG. Variações da metodologia de RAROC e sua utilização para cálculo do EVA: aplicação feita em bancos brasileiros [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/96/96133/tde-04012012-155230/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2019