Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Busca de biomarcadores para esquizofrenia em plaquetas utilizando eletroforese diferencial em gel bidimensional (2D-DIGE) e espectrometria de massas (2011)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: GUTERRES, SHEILA BARRETO - IQSC
  • USP Schools: IQSC
  • Subjects: QUÍMICA ANALÍTICA; ESQUIZOFRENIA
  • Language: Português
  • Abstract: A esquizofrenia é uma doença crônica, grave e incapacitante que afeta cerca 24 milhões de pessoas em âmbito mundial. É caracterizada por uma desorganização séria no pensamento que prejudica a funcionalidade do indivíduo e a sua integração na sociedade, tornando-o dependente da família e/ou do governo. Existem intervenções que são efetivas e contribuem para a diminuição da prevalência do transtorno, pois ajudam o portador a levar uma vida produtiva e integrada à sociedade, porém devem ser ministradas nos estágios iniciais da doença. No entanto, existe uma grande dificuldade em se diagnosticar a esquizofrenia nos estágios iniciais devido a sua complexidade e às sutilezas dos seus sintomas apresentados antes do surgimento da psicose. O cérebro não é acessível a exames invasivos in vivo e por esse motivo a exploração de fluidos periféricos é de grande importância. Dentre as diversas possibilidades de matrizes biológicas, o uso das plaquetas é muito conveniente, pois o sangue é uma matriz acesso consideravelmente mais fácil do que o cérebro. Além disso, plaquetas e neurônios serotonérgicos possuem características bioquímicas e morfológicas em comum que possibilitam a comparação entre a estrutura e a função de ambos e, por causa dessa similaridade, muitos trabalhos utilizam plaquetas como modelo para o estudo de doenças neuropsiquiátricas, inclusive a esquizofreniaA detecção precoce da esquizofrenia é um objeto de investigação atual e relevante não somente para detectar precocemente a doença e revolucionar os meios atuais de diagnóstico, mas também para desenvolver novos tratamentos aplicados aos estágios iniciais da doença, diferenciar os subgrupos e monitorar as intervenções preventivas. A proposta do presente trabalho é fazer o estudo da expressão de proteínas em plaquetas de pacientes esquizofrênicos e controles com o objetivo de identificar proteínas candidatas a biomarcadores utilizando técnicas proteômicas quantitativas e confiáveis, como 2D-DIGE e a espectrometria de massas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 30.08.2011

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IQSC30800032535T2424
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GUTERRES, Sheila Barreto; CARRILHO, Emanuel. Busca de biomarcadores para esquizofrenia em plaquetas utilizando eletroforese diferencial em gel bidimensional (2D-DIGE) e espectrometria de massas. 2011.Universidade de São Paulo, São Carlos, 2011.
    • APA

      Guterres, S. B., & Carrilho, E. (2011). Busca de biomarcadores para esquizofrenia em plaquetas utilizando eletroforese diferencial em gel bidimensional (2D-DIGE) e espectrometria de massas. Universidade de São Paulo, São Carlos.
    • NLM

      Guterres SB, Carrilho E. Busca de biomarcadores para esquizofrenia em plaquetas utilizando eletroforese diferencial em gel bidimensional (2D-DIGE) e espectrometria de massas. 2011 ;
    • Vancouver

      Guterres SB, Carrilho E. Busca de biomarcadores para esquizofrenia em plaquetas utilizando eletroforese diferencial em gel bidimensional (2D-DIGE) e espectrometria de massas. 2011 ;