Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Inversão tridimensional de dados gravimétricos e magnéticos da província alcalina de Goiás :: investigando o controle tectônico / (2011)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: DUTRA, ALANNA COSTA - IAG
  • USP Schools: IAG
  • Sigla do Departamento: AGG
  • Subjects: GRAVIMETRIA; GEOMAGNETISMO; ALCALINIDADE DO SOLO; GOIÁS
  • Language: Português
  • Abstract: Neste trabalho investigamos as fortes anomalias magnéticas e gravimétricas da Província Alcalina de Goías (PAGO). A PAGO é um magmatismo alcalino cretácico que ocorreu ao longo borda norte da Bacia do Paraná, Brasil. O extremo noroeste da PAGO é caracterizado por intrusões alcalinas máfica-ultramáficas. A parte central inclue associações sub-vulcânicas, enquanto que na parte sul ocorrem diques e diversos produtos vulcânicos. Os complexos alcalinos são caracterizados por uma série de pequenos corpos com forte sinal magnético e gravimétrico apresentando-se como anomalias quase circulares (8 afloramentos e 2 são inferidos a partir do sinal magnético) que variam de -4000 a 6000 nT e -10 a 40 mGAl. Foi utilizado uma variação do método Euler para obter soluções de profundidade e geometria para as principais fontes mapeadas a partir dos dados anomalia magnética. Estas soluções demarcaram bem as bordas para cada fonte alcalina separadamente e ressaltam os lineamentos, limites de propriedade física e outras estruturas de cada anomalia. A maioria das soluções de profundidade são rasas, variando de < 100 m a 600 m. As soluções rasas com índice estrutural igual a zero (contato) ou 1 (diques/sills) mapeam as bordas das intrusões alcalinas. As soluções mais profundas (800 m – 1000 m e > 1000 m) possuem índice estrutural igual a 2 ou 3 (cilindros ou esferas). Algumas soluções do tipo diques/sill (índice estrutural igual 1) foram encontradas em grandes lineamentos magnéticos, como o que ocorre ao norte de Santa Fé onde aparece uma estrutura alongada de direção NE-SW (≈ 20 km), e outra ao sul da anomalia com direção NW-SE e não temos evidencias de afloramento. Estes resultados indicam que essas feições podem estar recobertas por sedimentos a uma profundidade rasa, que não ultrapassa 400 m. Na anomalia de Montes Claros de Goiás também aparece lineamentos magnéticos com direção secundária (Continuação)(Continua) NW-SE, com valores maiores para o índice estrutural (diques/sill) e profundidades chegando até 200 m. A anomalia Registro do Araguaia segue uma mesma faixa orientada na direção NE-SW. Nós realizamos inversão 3D tanto dos dados gravimétricos quanto dos dados magnéticos. A anomalia magnética de campo total das alcalinas da PAGO têm influência significativa da direção da magnetização remanescente, pois as rochas desta região apresentaram magnetização remanescente expressiva comparada à magnetização induzida. Para obter informação da direção da magnetização remanescente utilizou-se medidas de laboratório de amostras coletadas na PAGO, resultando em magnetização remanescente inclinação de -40,3o e declinação de 1,8o . Foi possível aplicar o filtros de redução ao pólo e realizar a inversão 3D dos dados magnéticos após a definição da direção da magnetização total que é a soma vetorial da magnetização induzida mais a remanescente. Essa soma resultou em valores de -39,0o para a inclinação e de 1,0o para a declinação. Os resultados da inversão mostram que a base das intrusões alcalinas alcança profundidades de 10 a 12 km, com exceção de Registro Araguaia que atinge profundidade de até 18 km. A distribuição de contraste de susceptibilidade magnética e densidade pontuam esferas como a geometria preferencial para a maioria dos complexos alcalinos. As intrusões do norte do PAGO parecem seguir dois lineamentos NW-SE e NE-SW. As intrusões no limite norte são maiores e as que estão mais ao sul têm um tamanho pequeno e estão alinhados com o sistema de falhas e diques mapeados. No mapa de anomalia magnética podemos ver as orientações dominantes que se correlacionam fortemente com regimes extensionais que deram origem ao magmatismo alcalino. O cruzamento entre os lineamentos de direção NW-SE e NE-SW parece ser o local preferencial para o (Continuação)(Continua) magmatismo alcalino do Cretáceo Superior. A localização dessas intrusões marca descontinuidades mecânicas e importantes zonas de fraqueza na crosta superior. Segundo os resultados da inversão 3D podemos interpretar essa distribuição de mineralogia magnética e de contraste de densidade como sendo câmaras magmáticas localizadas dentro da crosta superior, com uma forma esférica. Algumas delas foram erodidas e atualmente encontram-se expostas como complexos.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 23.09.2011

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IAG30200026173CD-ROM 936
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      DUTRA, Alanna Costa; CARVALHO, Leila Maria Vespoli de. Inversão tridimensional de dados gravimétricos e magnéticos da província alcalina de Goiás :: investigando o controle tectônico /. 2011.Universidade de São Paulo, São Paulo :, 2011.
    • APA

      Dutra, A. C., & Carvalho, L. M. V. de. (2011). Inversão tridimensional de dados gravimétricos e magnéticos da província alcalina de Goiás :: investigando o controle tectônico /. Universidade de São Paulo, São Paulo :.
    • NLM

      Dutra AC, Carvalho LMV de. Inversão tridimensional de dados gravimétricos e magnéticos da província alcalina de Goiás :: investigando o controle tectônico /. 2011 ;
    • Vancouver

      Dutra AC, Carvalho LMV de. Inversão tridimensional de dados gravimétricos e magnéticos da província alcalina de Goiás :: investigando o controle tectônico /. 2011 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: