Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Criopreservação de células-tronco murina para estudos da resposta imune inata de macrófagos (2011)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: MARIM, FERNANDA MARTINS - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RBI
  • Subjects: MACRÓFAGOS; CÉLULAS DA MEDULA ÓSSEA; CRIOPRESERVAÇÃO; LEGIONELLA PNEUMOPHILA; LEISHMANIA
  • Language: Português
  • Abstract: O macrófago é uma importante célula do sistema imune inato e adaptativo que exerce papel fundamental em diferentes processos imunológicos como processamento e apresentação de antígenos, produção de citocinas, killing microbiano entre outros. Conseqüentemente, o macrófago murino se tornou um importante modelo de célula hospedeira em diversos estudos das funções exercidas por esta célula. Assim sendo, faz-se necessária a obtenção e cultivo de populações homogêneas de macrófagos que possam ser utilizadas em estudos in vitro relacionados à resposta imune, sobretudo aquelas derivadas de camundongos geneticamente modificados em que genes criticas associados à resposta imune sofreram perda ou ganho-de-função. Hoje, avanços importantes nessa frente têm sido possíveis através da obtenção e cultivo de macrófagos derivados da medula óssea (BMDM, do inglês bone marrow derived macrophage) desses organismos. Nos últimos anos, foi extensivamente investigado métodos de congelamento e armazenamento de células hematopoiéticas humanas, entretanto, não há muitas informações sobre a geração de macrófagos derivados da medula óssea (BMDM) obtidas a partir de células da medula óssea de camundongos congelada. Neste estudo, nosso objetivo foi estabelecer um protocolo de congelamento de células da medula óssea murina para posterior diferenciação a macrófagos e estudos in vitro de suas funções. Foi visto que células da medula óssea congelada há mais de 6 anos mantêm sua capacidade de diferenciação em macrófagos. Além disso, nós comparamos BMDM de precursores frescos ou congelados e observamos que as duas populações foram capazes de induzir similarmente a expressão de moléculas co-estimulatórias CD80 e CD86 em resposta ao lipopolissacarideo (LPS) e à infecção com a bactéria intracelular Legionella pneumophila. Adicionalmente, BMDM murina obtidas da medula fresca ou congelada foram capazes derestringir igualmente a multiplicação de L. pneumophila e favorecer a replicação do protozoário Leishmania (L.) amazonensis. Foi visto também que é possível obter células dendríticas através de células da medula óssea criopreservadas e, embora sejam experimentas preliminares, células dendríticas derivadas da medula óssea (BMDC) murina obtidas da medula fresca e previamente congelada responderam de maneira similar quando estimuladas com LPS. Com isso, este método descrito e validado representa um avanço técnico uma vez que permite a diferenciação de macrófagos a partir de células da medula óssea criopreservadas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 18.11.2011

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200063238Marim, Fernanda Martins
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MARIM, Fernanda Martins; ZAMBONI, Dario Simões. Criopreservação de células-tronco murina para estudos da resposta imune inata de macrófagos. 2011.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2011.
    • APA

      Marim, F. M., & Zamboni, D. S. (2011). Criopreservação de células-tronco murina para estudos da resposta imune inata de macrófagos. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Marim FM, Zamboni DS. Criopreservação de células-tronco murina para estudos da resposta imune inata de macrófagos. 2011 ;
    • Vancouver

      Marim FM, Zamboni DS. Criopreservação de células-tronco murina para estudos da resposta imune inata de macrófagos. 2011 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: