Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Padrões de ativação cerebral em músicos durante uma performance pianística envolvendo técnica ou expressividade: um estudo utilizando ressonância magnética funcional (fmri) (2012)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: HIGUCHI, MARCIA KAZUE KODAMA - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RNP
  • Subjects: MÚSICA; TÉCNICA MUSICAL; COGNIÇÃO MUSICAL; EMOÇÕES; RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
  • Language: Português
  • Abstract: Observações no aprendizado musical têm demonstrado fortes interações entre técnica e expressividade. Vários estudos utilizando neuroimagem têm sido realizados a fim de entender quais são as ativações neurais envolvidas na influência recíproca entre emoção e cognição em tarefas cognitivas simples. Entretanto, as correlações neurais subjacentes à interação entre técnica e expressividade na execução pianística - que requer integração de várias habilidades perceptuais, cognitivas, motoras e emocionais complexas - ainda são bastante desconhecidas. Portanto, este trabalho comparou as execuções pianísticas e os padrões de ativação cerebral em músicos durante performances pianística com a focalização atencional em atividades técnicas ou com a focalização atencional em atividades expressivas. Este trabalho foi dividido em duas partes Na primeira parte, investigamos o aspecto comportamental e na segunda parte o aspecto neurofisiológico. Na investigação comportamental, estudamos 2 grupos de voluntários pianistas (um grupo de 9 profissionais e outro de 9 amadores), foram treinados a tocarem de memória um repertório pianístico a quatro mãos. Durante as sessões de treinamento, o repertório foi associado com a emoção de tristeza. Após o processo de treinamento, os pianistas passaram por uma sessão de gravação nos quais eles executaram a música em duas condições distintas. Na primeira condição denominada performance cognitiva, os pianistas foram instruídos a tocarem com o foco atencional em aspectos cognitivos. Na segunda condição denominada performance afetiva, os pianistas executaram o repertório direcionando toda a atenção no sentimento de tristeza que a música transmitia. Essas gravações foram utilizadas nos 5 experimentos realizados neste projeto. No primeiro experimento, foram selecionadas quatro gravações de cada.pianista (2 cognitivas e 2 afetivas) do grupo depianistas profissionais. No segundo experimento foram selecionadas duas gravações de cada pianista (l cognitiva e 1 afetiva) do grupo de pianistas amadores. Comparamos diversas características acústicas das gravações e encontramos mais características relacionadas à expressividade nas performances afetivas tais como legato, fraseado, piano e agógica indicando maior grau de expressividade nas performances afetivas. Nas análises de desempenho e nos relatos dos voluntários, encontramos dados que indicam a existência de uma modulação recíproca entre cognição e emoção nas performances pianísticas. De acordo com estes resultados, os aspectos cognitivos eram inibidos nas performances afetivas, ao passo que a expressividade e o automatismo eram inibidos nas performances cognitivas. No terceiro experimento, 3 grupos de voluntários ouvintes analisaram o grau de expressividade de quatro performances selecionadas de dois pianistas (1 cognitiva e 1 afetiva de cada pianista). O estado emocional dos voluntários ouvintes antes e depois da audição de cada gravação foi também analisado por meio de escala analógica. As análises estatísticas demonstraram que o treinamento musical e o gênero podem interferir na percepção da expressividade interpretativa musical, e que as execuções afetivas causaram mais alterações nos estados de relaxamento e concentração que as execuções cognitivas. Na segunda parte (o quarto e o quinto experimentos) que aborda os aspectos neurofisiológicos, os experimentos foram realizados dentro da ressonância magnética funcional (fMRI do inglês functional Magnetic Resonance Imaging). Na tarefa do quarto experimento, os voluntários escutaram passivamente as gravações de dois trechos da parte B do repertório (uma da performance afetiva e outra da cognitiva) executados pelos próprios pianistas. No quinto experimento, os voluntários escutaram as mesmas gravações utilizadas no quartoexperimento, porém nestas tarefas eles tocavam a música juntamente com a gravação. Neste experimento, na condição cognitiva eles tocavam com foco atencional em aspectos cognitivos e na condição afetiva, eles tocavam com foco atencional no sentimento de tristeza. Foram realizados contrastes entre as condições afetivas e cognitivas tanto nas tarefas envolvendo a escuta passiva, como nas tarefas envolvendo a execução pianística. Nestes contrastes, encontramos diferenças significativas em diversas áreas cerebrais.No contraste de escuta passiva da condição cognitiva, encontramos maiores ativações em áreas ligadas aos aspectos cognitivos e controle motor tais como giro frontal inferior, lobo parietal inferior, giro frontal médio, área pré-central e giro temporal médio, todos do hemisfério esquerdo. No contraste de escuta passiva da condição afetiva, encontramos maiores ativações em áreas ligadas à emoção (tais como amígdala, hipocampo, insula) corroborando a hipótese do contágio emocional. No contraste de execução pianística da condição cognitiva menos afetiva, encontramos maiores ativações em áreas ligadas aos aspectos cognitivos e controle motor como também em áreas límbicas. Essas ativações límbicas podem sugerir que as execuções com o foco atencional em aspectos cognitivos podem proporcionar uma emoção de valência negativa, uma vez que vários voluntários declararam ser "chato" e horrível tocar nessa condição. No contraste de execução pianística da condição afetiva, encontramos maiores ativações em áreas límbicas e paralímbicas principalmente no córtex frontal medial e cingulado anterior. Portanto nossos dados indicam que a influência da cognição e emoção na performance pianística é muito complexa, envolvendo modulações de ativações cerebrais
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 08.05.2012

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200064137Higuchi, Marcia Kazue Kodama
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      HIGUCHI, Marcia Kazue Kodama; LEITE, João Pereira. Padrões de ativação cerebral em músicos durante uma performance pianística envolvendo técnica ou expressividade: um estudo utilizando ressonância magnética funcional (fmri). 2012.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2012.
    • APA

      Higuchi, M. K. K., & Leite, J. P. (2012). Padrões de ativação cerebral em músicos durante uma performance pianística envolvendo técnica ou expressividade: um estudo utilizando ressonância magnética funcional (fmri). Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Higuchi MKK, Leite JP. Padrões de ativação cerebral em músicos durante uma performance pianística envolvendo técnica ou expressividade: um estudo utilizando ressonância magnética funcional (fmri). 2012 ;
    • Vancouver

      Higuchi MKK, Leite JP. Padrões de ativação cerebral em músicos durante uma performance pianística envolvendo técnica ou expressividade: um estudo utilizando ressonância magnética funcional (fmri). 2012 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: