Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Wayoro êmêto: fonologia segmental e morfossintaxe verbal (2011)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: NOGUEIRA, ANTôNIA FERNANDA DE SOUZA - FFLCH
  • USP Schools: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLL
  • Subjects: LÍNGUAS INDÍGENAS; FONOLOGIA; MORFOSSINTAXE
  • Keywords: Fonologia segmental; Língua Wayoro; Morfossintaxe verbal; Segmental phonology; Verbal morpho-syntax; Wayoro language
  • Language: Português
  • Abstract: Investigamos, nesta dissertação, a fonologia segmental e a morfossintaxe verbal Wayoro, especialmente, a estrutura argumental e a valência verbal. Nosso objetivo é oferecer um estudo destas áreas da gramática da língua, com base em dados originais e em modelos teóricos úteis para a explicação dos mesmos. No âmbito da fonologia, os pares contrastivos identificados evidenciam o seguinte inventário consonantal: oclusivas /p t tS k g kw gw/, nasais /m n N Nw/, fricativa /B/ e tepe /|/. As consoantes nasais realizam-se como nasais pósoralizadas, quando seguidas por vogal oral. Os fonemas vocálicos /i È o E a/ contrastam quanto à nasalidade e ao prolongamento. Descrevemos os processos fonológicos e morfofonológicos presentes nos dados, a saber, lenição e sonorização, neutralização e assimilação de nasalidade. Quanto à morfossintaxe verbal, inicialmente, apresentamos os morfemas característicos ou exclusivos da categoria verbal. A distribuição dos morfemas pessoais, em Wayoro, está relacionada à valência verbal: prefixos pessoais absolutivos funcionam como objeto e como sujeito do verbo intransitivo, ao passo que morfemas pessoais livres (ergativos) têm função de sujeito do verbo transitivo. O radical verbal é formado por uma raiz à qual se une o verbalizador e a vogal temática . Após a vogal temática, podem ser afixadas marcas de tempo. Examinamos a morfologia interna e a valência de cerca de 100 verbos Wayoro. Os verbalizadores ocorrem com verbos transitivos e intransitivos e,portanto, não estão associados a uma estrutura argumental única. Os verbos podem ser pluralizados através de substituição do verbalizador pelo sufixo , de duplicação da raiz verbal ou de supleção operações que pluralizam o evento (e não necessariamente os argumentos). Os morfemas de mudança de valência são prefixais e selecionam estrutura argumental específica. O prefixo {mõ-~õ-} causativo/transitivizador é usado apenas com verbos intransitivos, tornando-os transitivos. Dentro da proposta de Hale e Keyser (2002), verbos intransitivos que permitem transitivização automática são núcleos verbais que projetam complemento e especificador e podem ser tomados como complemento de um núcleo verbal superior (V1), de modo que o especificador funciona como sujeito da sentença intransitiva e como objeto da versão transitiva. Os testes realizados com o prefixo causativo/transitivizador mostram que {mõ-~õ-} pode ser interpretado como o núcleo superior, V1. O segundo prefixo de mudança de valência investigado é o intransitivizador . Tal morfema foi identificado com verbos que têm uma contraparte transitiva sem o morfema , com valor anticausativo e reflexivo, e verbos que não contam com correspondente transitivo (prefixo inerente), com propriedades de voz média. Por fim, analisamos construções em que o auxiliar {-mãNã} mandar, pedir, fazer toma como complemento um radical verbal transitivo ou intransitivo, inserindo um agente ou causa à sentença. De uma perspectiva tipológica, assentenças com o auxiliar podem ser analisadas como causativas analíticas e as sentenças com o morfema causativo/transitivizador como causativas sintéticas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 12.08.2011
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FFLCH20900108097T NOGUEIRA, ANTONIA FERNANDA DE SOUZA 2011
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      NOGUEIRA, Antônia Fernanda de Souza; STORTO, Luciana Raccanello. Wayoro êmêto: fonologia segmental e morfossintaxe verbal. 2011.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8139/tde-22102012-093617/ >.
    • APA

      Nogueira, A. F. de S., & Storto, L. R. (2011). Wayoro êmêto: fonologia segmental e morfossintaxe verbal. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8139/tde-22102012-093617/
    • NLM

      Nogueira AF de S, Storto LR. Wayoro êmêto: fonologia segmental e morfossintaxe verbal [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8139/tde-22102012-093617/
    • Vancouver

      Nogueira AF de S, Storto LR. Wayoro êmêto: fonologia segmental e morfossintaxe verbal [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8139/tde-22102012-093617/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: