Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Análise citogenética clássica e molecular para os genes Aurora Cinase A e B em células hematopoéticas e mesenquimais da medula óssea de pacientes portadores de síndrome mielodisplásica (2012)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: CUEVA, SABRINA DIAS LEITE - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RGE
  • Subjects: CÉLULAS-TRONCO; HEMATOPOESE; NEOPLASIAS DA MEDULA ESPINHAL
  • Keywords: Aurora cinase; Células hematopoéticas; Células mesenquimais; Síndrome mielodisplásica; Aurora kinase; Hematopoietic cells; Mesenchymal cells; Myelodysplastic syndrome
  • Language: Português
  • Abstract: A síndrome mielodisplásica (SMD) é uma doença hematológica heterogénea, caracterizada por hematopoese anormal, displasia e instabilidade genômica, portanto, a análise citogenética é determinante no diagnóstico, prognóstico e acompanhamento evolutivo da doença. Considerando que as células hematopoéticas (CHs) e as estromais mesenquimais multipotentes (CTMs) estão em estreita associação, estudos que visem à caracterização destas poderão contribuir para elucidar os mecanismos que governam a progressão tumoral e identificar novos alvos terapêuticas. Objetivo: Caracterizar e comparar as CHs e CTMs derivadas de pacientes através da citogenética convencional e molecular para os genes aurora cinase A e B. Avaliar as propriedades biológicas das CTMs derivadas de SMD e controles saudáveis. Métodos: o estudo iniciou-se com a avaliação clinica de 25 pacientes e 8 controles saudáveis doo HCFMRP-USP e HAC-Jaú. Em seguida, foi realizada a análise cariótipica das CHs e CTMs da medula óssea pelo bandamento G e por FISH para os genes aurora A e B e o perfil imunofenotipico, bem como potencial de diferenciação em adipócito e osteócito das CTMs de pacientes portadores de SMD e controles saudáveis. Resultados: A avaliação clínica mostrou plaquetopenia (76%), neutropenia (100%), hemoglobina baixa (16%). A análise citogenética das CHs revelou cariótipo alterado em 13 pacientes (52%), com cariótipo complexo resultando em alterações numéricas e estruturais. Ao contrário, nas CTMs, o cariótipo se mostrou alterado em sete pacientes (28%) e um padrão de menor complexidade, apenas quatro pacientes apresentaram alterações nas duas populações celulares, porém, diferentes. Foram encontradas apenas alterações numéricas (sendo 86% monossomia e 14% ganho de cromossomo). As CHs e CTMs dos controles apresentaram cariótipos 100% normais. Na análise de FISH não foi evidenciada amplificação dos genes AURKAe AURKB. As CTMs dos pacientes e controles apresentaram-se semelhantes quanto à morfologia e potencial de diferenciação. Entretanto, as CTMs de pacientes mostraram-se alteradas para dois antígenos de superfície, CD90 e CD146, os quais mostraram níveis de expressão mais elevados nas amostras dos pacientes (p= 0,04, p = 0,001 respectivamente). Conclusão: Observou-se que as CTMs se encontram alteradas embora em menor frequência e diferindo das alterações encontradas nas CHs. Esses dados superem que as CTMs devem exercer importante papel na progressão tumoral e devem ser consideradas como alvos na busca de novas terapias e melhor esclarecimento dos mecanismos que governam a progressão tumoral. Apesar de não ter evidenciado amplificação dos genes AURKA e AURKB em SMD, estudos futuros que visem avaliar o nível de expressão dessas enzimas em pacientes portadores ou não de alterações citogenéticas poderão contribuir para a compreensão do envolvimento ou não desse gene com a evolução da doença. Além disso, não foi evidenciada associação de anemia profunda e citogenética alterada
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 10.08.2012
  • Acesso online ao documento

    Acesso à fonte or search this record in

    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CUEVA, Sabrina Dias Leite; FONTES, Aparecida Maria. Análise citogenética clássica e molecular para os genes Aurora Cinase A e B em células hematopoéticas e mesenquimais da medula óssea de pacientes portadores de síndrome mielodisplásica. 2012.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2012. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17135/tde-23042013-084113/ >.
    • APA

      Cueva, S. D. L., & Fontes, A. M. (2012). Análise citogenética clássica e molecular para os genes Aurora Cinase A e B em células hematopoéticas e mesenquimais da medula óssea de pacientes portadores de síndrome mielodisplásica. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17135/tde-23042013-084113/
    • NLM

      Cueva SDL, Fontes AM. Análise citogenética clássica e molecular para os genes Aurora Cinase A e B em células hematopoéticas e mesenquimais da medula óssea de pacientes portadores de síndrome mielodisplásica [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17135/tde-23042013-084113/
    • Vancouver

      Cueva SDL, Fontes AM. Análise citogenética clássica e molecular para os genes Aurora Cinase A e B em células hematopoéticas e mesenquimais da medula óssea de pacientes portadores de síndrome mielodisplásica [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17135/tde-23042013-084113/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2019