Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Estrutura termohalina e massas d'água na vizinhança da Península Antártica a partir de dados in situ coletados por Elefantes-Marinhos do Sul (Mirounga leonina) (2011)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SANTINI, MARCELO FREITAS - IO
  • USP Schools: IO
  • Sigla do Departamento: IOF
  • Subjects: OCEANOGRAFIA FÍSICA
  • Language: Português
  • Abstract: Neste trabalho é apresentado um estudo sobre a estrutura vertical e massas d'água presentes na região oeste e norte da Península Antártica. Foram utilizados dados de temperatura, salinidade e pressão (profundidade) coletados por plataformas de coleta de dados (PCDs) fixadas em elefantes-marinhos do sul (EMS) pelo Projeto MEOP-BR, coordenado pela Profª Dra Mônica M. C. Muelbert, no período de fevereiro a novembro de 2008. Estes dados são transmitidos via sistema de satélites ARGOS a uma taxa de 2.91+/-0.25 vezes ao dia, distância média entre cada perfil coletado é de 14.43 +/- 12.28 km resultando em uma resolução espacial de 41.61 km/dia. Estes dados permitiram uma descrição detalhada da estrutura vertical e identificação de massas d'água durante diferentes meses do ano de 2008. São comparados perfis verticais em diferentes estações do ano em regiões de plataformas de gelo marinho, do Estreito de Bransfield (EB) e norte da Península Antártica (PA), comparados transectos da porção oeste da PA coletados durante o verão e inverno de 2008 e são apresentados transectos através do Mar da Escócia (ME) nos meses de Setembro a Outubro de 2008. Os valores de temperatura potencial coletados estiveram na faixa entre -1.89ºC e 2.32ºC, os valores mínimos estão relacionados a áreas de formação de gelo marinho e os máximos a investidas através da Corrente Circumpolar Antártica (CCA) em mar aberto e em direção as Ilhas Georgia (IGS). Os valores de salinidade possuem variações entre 32.36 e 35.03 psu, estes valores resultam de diferentes processos, sendo os extremos relacionados a regiões de derretimento e formação de gelo marinho, respectivamente. Graças à grande área utilizada pelos EMS para forrageio durante o x período analisado, diversas massas d'água são identificadas através de diagramas -S, são elas: Água Profunda Circumpolar (CDW), (continuação)(Continua) Água de Inverno (WW), Água de Plataforma de Baixa Salinidade (LSSW), Água Superficial Antártica (AASW), Água de Plataforma de Alta Salinidade (HSSW), Água Profunda Circumpolar Superior e Inferior (UCDW e LCDW), Água de Plataforma (SW), Água de Plataforma de Gelo (ISW), Água Profunda Cálida (WDW) e Água Profunda Cálida Modificada (MWDW).
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 19.12.2011

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IO2328311-1001 S226e Tese Mestr
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SANTINI, Marcelo Freitas; WAINER, Ilana Elazari Klein Coaracy. Estrutura termohalina e massas d'água na vizinhança da Península Antártica a partir de dados in situ coletados por Elefantes-Marinhos do Sul (Mirounga leonina). 2011.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.
    • APA

      Santini, M. F., & Wainer, I. E. K. C. (2011). Estrutura termohalina e massas d'água na vizinhança da Península Antártica a partir de dados in situ coletados por Elefantes-Marinhos do Sul (Mirounga leonina). Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Santini MF, Wainer IEKC. Estrutura termohalina e massas d'água na vizinhança da Península Antártica a partir de dados in situ coletados por Elefantes-Marinhos do Sul (Mirounga leonina). 2011 ;
    • Vancouver

      Santini MF, Wainer IEKC. Estrutura termohalina e massas d'água na vizinhança da Península Antártica a partir de dados in situ coletados por Elefantes-Marinhos do Sul (Mirounga leonina). 2011 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: