Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Estresse, consumo de açucares, depedência de substâncias doces, e níveis plasmáticos de hormônios reguladores do apetite em mulheres (2012)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: MACÊDO, DANIELLE MARQUES - FMRP
  • Unidades: FMRP
  • Sigla do Departamento: RCM
  • Subjects: ESTRESSE; AÇUCARES; CONSUMO; GRELINA; LEPTINA
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: O estresse pode contribuir com o surgimento da DSD. Objetivo: Comparar o consumo de açúcares, a ocorrência da DSD em mulheres com e sem estresse, e avaliar os efeitos do estresse e da DSD nos níveis de hormônios reguladores do apetite. Casuística e métodos: Foram selecionadas 57 mulheres adultas com idade de 20 a 45 anos, e Índice de Massa Corporal (IMC) entre 25,00 kg/‘m POT. 2’ e 29,99 kg/‘m POT. 2’. O estresse foi diagnosticado por meio do “Inventário de Sintomas de Estresse para Adultos de Lipp” e a amostra foi estratificada em dois grupos (com estresse e sem estresse). A DSD foi identificada em cada grupo por meio de uma pergunta sobre necessidade de ingestão de açúcar (Weingarten; Elston, 1991) e após esta identificação foi aplicado um questionário para caracterizar a dependência. As participantes preencheram dois registros alimentares para que a ingestão média diária de açúcar de adição e de produtos ricos em açúcares fosse determinada. A disponibilidade domiciliar per capita diária destes produtos também foi identificada. As situações associadas ao consumo de alimentos doces foram mapeadas por meio de perguntas qualitativas. As quantidades de açúcar de mesa utilizadas para adoçar dois tipos de bebidas foram avaliadas em situação experimental com bebida amarga (café) e ácida (refresco de maracujá) nos intervalos da entrevista. O peso corporal, estatura, circunferência da cintura e do quadril foram aferidos para a avaliação antropométrica. A composição corporal foi analisada por meio de bioimped3ncia elétrica. Para a avaliação bioquímica, os níveis plasmáticos de grelina ativa, leptina foram dosados em jejum, assim como a glicemia e insulina para avaliar a sensibilidade à insulina pelo índice HOMA. Os testes: não paramétrico de Wilcoxon-Mann-Whitney, qui-quadrado e regressão logística simples foram utilizados para as análises estatísticas.Resultados: Cinquenta e sete mulheres participaram do estudo, 31 com estresse (54,38%) e 26 sem estresse (45,61%). Não houve diferença estatística do consumo de açúcares entre as mulheres com e sem estresse, mas as mulheres estressadas sentem mais vontade de consumir doces (p<0,01). O estresse se relacionou positivamente com a DSD (p<0,01). As mulheres com DSD utilizaram maior quantidade de açúcar para adoçar a bebida amarga (p0,02). As situações identificadas que facilitam o consumo de açúcares fazem parte da rotina da população estudada. Em relação aos dados antropométricos, a média da medida da circunferência da cintura foi mais alta entre as mulheres estressadas (p0,02). Não houve diferença estatística em relação aos níveis plasmáticos de grelina ativa, glicemia, insulina e a sensibilidade à insulina entre os grupos. O percentual de gordura corporal também não se correlacionou com os níveis plasmáticos de leptina, mas as mulheres com DSD apresentaram percentual de gordura corporal e níveis plasmáticos de leptina significativamente mais altos do que as mulheres sem DSD. Conclusões: A DSD foi mais prevalente entre as mulheres estressadas. A grande variedade e quantidade de doces, e a menor tolerância ao sabor amargo foram características encontradas entre as mulheres dependentes de substanciais doces. Nas condições de estresse ou DSD, os níveis plasmáticos de grelina ativa não se diferenciaram entre os grupos, mas a presença da DSD se correlacionou com maior percentual de gordura corporal e níveis de leptina significativamente mais altos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 26.11.2012

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MACEDO, Danielle Marques; DIEZ-GARCIA, Rosa Wanda. Estresse, consumo de açucares, depedência de substâncias doces, e níveis plasmáticos de hormônios reguladores do apetite em mulheres. 2012.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2012.
    • APA

      Macedo, D. M., & Diez-Garcia, R. W. (2012). Estresse, consumo de açucares, depedência de substâncias doces, e níveis plasmáticos de hormônios reguladores do apetite em mulheres. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Macedo DM, Diez-Garcia RW. Estresse, consumo de açucares, depedência de substâncias doces, e níveis plasmáticos de hormônios reguladores do apetite em mulheres. 2012 ;
    • Vancouver

      Macedo DM, Diez-Garcia RW. Estresse, consumo de açucares, depedência de substâncias doces, e níveis plasmáticos de hormônios reguladores do apetite em mulheres. 2012 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2019