Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

A influência do porte empresarial no retorno das ações negociadas na Bovespa: proposição de um modelo quantitativo (2012)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: GARRAN, FELIPE TURBUK - FEA
  • USP Schools: FEA
  • Sigla do Departamento: EAD
  • Subjects: CUSTO DE CAPITAL; ACIONISTA; AÇÕES; BOLSA DE VALORES
  • Keywords: Cost of capital; Prêmio de porte; Size-effect; Stockholders; Stocks
  • Language: Português
  • Abstract: Este estudo analisa a influência do porte empresarial no retorno das ações do mercado brasileiro, lidando com a sobreposição aparentemente existente entre porte da empresa e liquidez das ações e buscando elucidar qual variável é dominante na determinação de retornos acionários. Para tanto, utiliza-se uma análise de dados em painel como ferramenta econométrica para a obtenção de resultados significativos. Os modelos tradicionais de precificação de ativos, notadamente o CAPM, partem de algumas premissas que possuem pouca aderência à realidade dos mercados acionários. Há evidências de que, no Brasil, o CAPM tem sido ineficaz em explicar os retornos do mercado acionário. Por essa razão, algumas variáveis são comumente adicionadas ao modelo original, sendo que o porte empresarial se encontra no topo da lista. Contudo, a legitimidade do porte empresarial reduzido como fator de risco a ser remunerado ao acionista não é consensual em mercados mais maduros como o americano tampouco no mercado brasileiro. O estudo leva em conta um intervalo de tempo de 16 anos (de 1995 até 2011) e analisa a influência dessas variáveis no retorno das ações com diferentes defasagens de tempo entre as variáveis (de 1 a 5 anos). O trabalho conclui que há uma significativa influência do porte empresarial nos retornos das ações. A relação estatística é negativa, isto é, empresas de menor porte tendem a ter custo de capital próprio mais alto. Esse resultado está alinhado com a pesquisa internacional sobre oassunto. O modelo quantitativo sugere que a cada variação de uma unidade logarítmica no porte há uma variação de 4,03% no retorno esperado da ação. Em relação à liquidez não foi encontrada, de forma consistente, relação estatística de que essa variável afeta o retorno das ações quando controlada pelo porte empresarial no mercado brasileiro
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 06.12.2012
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FEA20600058613T332.041 G238i
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GARRAN, Felipe Turbuk; MARTELANC, Roy. A influência do porte empresarial no retorno das ações negociadas na Bovespa: proposição de um modelo quantitativo. 2012.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12139/tde-25032013-195143/ >.
    • APA

      Garran, F. T., & Martelanc, R. (2012). A influência do porte empresarial no retorno das ações negociadas na Bovespa: proposição de um modelo quantitativo. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12139/tde-25032013-195143/
    • NLM

      Garran FT, Martelanc R. A influência do porte empresarial no retorno das ações negociadas na Bovespa: proposição de um modelo quantitativo [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12139/tde-25032013-195143/
    • Vancouver

      Garran FT, Martelanc R. A influência do porte empresarial no retorno das ações negociadas na Bovespa: proposição de um modelo quantitativo [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12139/tde-25032013-195143/