Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Efeito dos compostos fenólicos do alecrim (Rosmarinus officinalis L.) na inflamação aguda e sobre os marcadores de estresse oxidativo de ratos diabéticos (2012)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SILVA, ANA MARA DE OLIVEIRA E - FCF
  • USP Schools: FCF
  • Sigla do Departamento: FBA
  • Subjects: ALIMENTOS; COMPOSTOS FENÓLICOS; ESTRESSE OXIDATIVO; DIABETES MELLITUS; INFLAMAÇÃO
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: As doenças crônicas não transmissíveis (DCNT), como o diabetes, apresenta estreita relação com os marcadores do estresse oxidativo e da inflamação. Estes marcadores podem ser modulados pelos compostos bioativos presentes nos alimentos. Os compostos fenólicos presentes no alecrim (Rosmarinus officinalis L.) possuem atividades biológicas importantes, como antioxidante, antiinflamatória, anticarcinogênica, entre outras. Objetivo: Avaliar o efeito dos compostos fenólicos do alecrim (Rosmarinus officinalis L.) na inflamação aguda e sobre os marcadores de estresse oxidativo de ratos diabéticos induzidos por estreptozotocina. Métodos: Extrato aquoso (EA) e frações ricas em compostos fenólicos foram obtidos das folhas de alecrim e avaliados quanto à sua composição em fenólicos e capacidades antioxidante e anti-inflamatória in vitro. Ratos Wistar, machos, foram tratados com EA, fração hidroalcoólica (FHA) ou fração de ácidos fenólicos livres (AFL). O efeito do EA, FHA e AFL foram avaliados em ratos diabéticos. Foi avaliada a atividade anti-inflamatória in vivo do EA nos modelos de inflamação aguda: edema de pata e bolsa de ar. O efeito do EA também foi investigado em células de hepatócitos humano (HepG2). Para análise dos resultados utilizou-se a análise de variância (ANOVA, post-hoc Tukey), adotando como nível de significância p<0,05. Resultados: O EA e suas frações apresentaram alto conteúdo em compostos fenólicos, entre eles os flavonoides. Os ácidos rosmarínico e carnósico foram os compostos majoritários das frações de ácidos fenólicos. A composição em compostos fenólicos contribuiu significativamente para a expressiva capacidade antioxidante e inibitória da lipoxigenase in vitro. O EA de alecrim alterou positivamente a atividade das enzimas antioxidantes, reduziuas concentrações séricas de TNF-α e IL-6; e aumentou níveis de LTB4 em animais diabéticos quando comparado ao grupo controle diabético (D-´HIND.2´O). A AFL não atenuou os marcadores de estresse oxidativo do diabetes. Na inflamação aguda, o EA reduziu o edema de pata semelhante à indometacina (p>0,05). Houve redução significativa (p<0,05) das concentrações de LTB4, PGE2, TNF-α e IL-6 em exsudatos de ratos pré-tratados com EA e submetidos ao estímulo inflamatório com carragenina no modelo de bolsa de ar. Esta redução foi acompanhada pela diminuição no recrutamento de neutrófilos, quando comparados ao grupo controle (p<0,05). Foi observada redução na produção de óxido nítrico em neutrófilos tratados com EA e estimulados com LPS. O EA nas concentrações de 1 a 50 µg/mL manteve a viabilidade de células HepG2 e reduziu a produção de espécies reativas em condições basais e hiperglicêmicas, além de manter os níveis de GSH e aumentar a expressão dos genes HO-1 e SOD-2 em células tratadas com 10 µg/mL de extrato quando comparados ao grupo normoglicêmico (p<0,05). Conclusão: O EA de alecrim apresenta propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, observadas tanto in vitro como em animais, podendo apresentar benefício nas DCNT, nas quais o estresse oxidativo e a inflamação atuam de forma significativa, como no diabetes
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 16.08.2012
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    CQ30100019696T 641 S586e
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SILVA, Ana Mara de Oliveira e; MANCINI FILHO, Jorge. Efeito dos compostos fenólicos do alecrim (Rosmarinus officinalis L.) na inflamação aguda e sobre os marcadores de estresse oxidativo de ratos diabéticos. 2012.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9132/tde-13032013-105302/ >.
    • APA

      Silva, A. M. de O. e, & Mancini Filho, J. (2012). Efeito dos compostos fenólicos do alecrim (Rosmarinus officinalis L.) na inflamação aguda e sobre os marcadores de estresse oxidativo de ratos diabéticos. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9132/tde-13032013-105302/
    • NLM

      Silva AM de O e, Mancini Filho J. Efeito dos compostos fenólicos do alecrim (Rosmarinus officinalis L.) na inflamação aguda e sobre os marcadores de estresse oxidativo de ratos diabéticos [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9132/tde-13032013-105302/
    • Vancouver

      Silva AM de O e, Mancini Filho J. Efeito dos compostos fenólicos do alecrim (Rosmarinus officinalis L.) na inflamação aguda e sobre os marcadores de estresse oxidativo de ratos diabéticos [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9132/tde-13032013-105302/