Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Estilos parentais de mães de indivíduos com fissura labiopalatina (2012)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: CHAVES, ULISSES HERRERA - HRAC
  • USP Schools: HRAC
  • Subjects: PSICOLOGIA; RELAÇÕES FAMILIARES; EDUCAÇÃO INFANTIL
  • Language: Português
  • Abstract: O relacionamento entre os genitores e seus filhos é fundamental para o desenvolvimento biopsicossocial das crianças. É consenso na literatura que as práticas educativas são variáveis determinantes para a formação do indivíduo em desenvolvimento. Elas podem ser positivas ou negativas e poderão produzir comportamentos próssociais ou antissociais nos indivíduos. Muitas são as variáveis que podem interferir na relação mães e filhos e nas práticas educativas utilizadas, entre elas, a presença da fissura labiopalatina no filho(a). O objetivo deste estudo foi identificar, descrever e comparar os estilos parentais descritos nas respostas de mães e seus filhos com fissura labiopalatina, comparando e correlacionando com variáveis demográficas da família. Para tanto, foi utilizado o modelo teórico de Estilos Parentais e a literatura sobre família do ponto de vista da Teoria Sistêmica. Participaram deste estudo, mães (n=50) e filhos (n=50) com fissura transforame incisivo unilateral e bilateral, em atendimento no Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais - HRAC-USP, situado na cidade de Bauru-SP, na faixa etária entre oito e doze anos. O instrumento de coleta de dados utilizado nas mães e seus filhos foi o Inventário de Estilos Parentais - IEP. Os resultados apontaram que 50% das mães e 82% dos filhos responderam que as mães exerciam estilo parental de risco. Foram comparados e correlacionados os dados demográficos e cada uma das práticas educativas, confirmando os dados encontrados no índice de estilos parentais da amostra. Os resultados demonstraram que quanto maior a idade, escolaridade e renda familiar dos pais, menor foi a probabilidade de utilização de práticas educativas de risco, consequentemente quanto menor o escore nestas variáveis, maior a utilização de práticas educativas de risco. Famílias com mais de um filho apresentaram maior (Continua)(Continuação) índice de práticas parentais positivas (de não-risco), as mães trabalharem ou não fora de casa não demonstrou influência nos resultados quanto ao uso de práticas parentais de risco e não-risco. Considerando os resultados encontrados, pode-se concluir que são necessários programas de prevenção, intervenção e orientação às famílias de risco e não-risco cujos filhos sejam fissurados. São necessários estudos que contemplem outras variáveis que possam interferir na interação familiar, como por exemplo, em grupos de crianças sem deficiências, crianças com problemas de comportamento, entre outros
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 21.09.2012

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FOBSR24000004979150 C398e
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CHAVES, Ulisses Herrera; LAURIS, José Roberto Pereira. Estilos parentais de mães de indivíduos com fissura labiopalatina. 2012.Universidade de São Paulo, Bauru, 2012.
    • APA

      Chaves, U. H., & Lauris, J. R. P. (2012). Estilos parentais de mães de indivíduos com fissura labiopalatina. Universidade de São Paulo, Bauru.
    • NLM

      Chaves UH, Lauris JRP. Estilos parentais de mães de indivíduos com fissura labiopalatina. 2012 ;
    • Vancouver

      Chaves UH, Lauris JRP. Estilos parentais de mães de indivíduos com fissura labiopalatina. 2012 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: