Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Influência dos argilominerais dos minérios de níquel lateríticos na recuperação deste metal (2013)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: MANO, ELIANA SATIKO - EP
  • USP Schools: EP
  • Sigla do Departamento: PMI
  • Subjects: PROCESSAMENTO DE MINERAIS METÁLICOS; NÍQUEL; CARACTERIZAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINÉRIOS
  • Language: Português
  • Abstract: O depósito de níquel laterítico de Niquelândia, GO, Brasil, é considerado um dos mais importantes depósitos desta natureza no país, em razão de sua dimensão, seus teores ligeiramente mais elevados e associação com argilominerais. Desde a década de 70, autores como Trescases e Santos já estudavam seus argilominerais detentores de níquel. Este depósito difere dos cubanos e australianos, pois os primeiros têm o níquel associado aos minérios oxidados e os segundos à serpentina. Em Niquelândia, o níquel está associado principalmente às esmectitas e vermiculitas. A existência destes argilominerais ricos em níquel torna o processo hidrometalúrgico aplicado em Niquelândia o menos recomendado, o que pode ser verificado através de perdas significativas de níquel no rejeito, principalmente no que se refere ao minério silicatado. Estas perdas estão relacionadas com a formação de silicatos de magnésio, como piroxênios, anfibólios e olivinas ainda durante o processo de moagem do minério, isto ocorre devido à técnica aplicada para a redução da umidade. A formação destes minerais retém o níquel em suas estruturas, não permitindo que este seja solubilizado na etapa de lixiviação amoniacal. Em Niquelândia, o principal portador de níquel é a esmectita, no entanto, são identificadas esmectitas di e trioctaédricas, quase sempre associadas. Estas variam desde um extremo trioctaédrico rico em níquel, praticamente refratário ao processo Caron, à esmectitas dioctaédricas de ferro, de baixos teores de níquel, mas com boa recuperação junto ao processo. Contudo, predominam no depósito esmectitas di e trioctaédricas de composições variadas de Fe-Mg-Ni, classificadas como montmorillonitas/stevensitas.Uma maneira de minimizar as perdas de recuperação de níquel seria exercer maior controle sobre a alimentação da usina, de forma a reduzir a proporção de minério silicatado do tipo esmectita trioctaédrica, aumentando a proporção de minério oxidado+minério silicatado de esmectitas dioctaédricas.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 04.11.2013
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    EPBC31200007428FT-3298 versão corr.
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MANO, Eliana Satiko; CHAVES, Arthur Pinto; MEXIAS, André Sampaio. Influência dos argilominerais dos minérios de níquel lateríticos na recuperação deste metal. 2013.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3134/tde-19092014-115706/pt-br.php >.
    • APA

      Mano, E. S., Chaves, A. P., & Mexias, A. S. (2013). Influência dos argilominerais dos minérios de níquel lateríticos na recuperação deste metal. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3134/tde-19092014-115706/pt-br.php
    • NLM

      Mano ES, Chaves AP, Mexias AS. Influência dos argilominerais dos minérios de níquel lateríticos na recuperação deste metal [Internet]. 2013 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3134/tde-19092014-115706/pt-br.php
    • Vancouver

      Mano ES, Chaves AP, Mexias AS. Influência dos argilominerais dos minérios de níquel lateríticos na recuperação deste metal [Internet]. 2013 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3134/tde-19092014-115706/pt-br.php

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: