Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Ácaros predadores da família Phytoseiidae (Acari: Mesostigmata) para o controle do biótipo B da mosca-branca Bemisia tabaci (Gennadius) (Hemiptera: Aleyrodidae) no Brasil (2014)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: CAVALCANTE, ANA CRISTINA CERQUEIRA - ESALQ
  • USP Schools: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LET
  • Subjects: CONTROLE BIOLÓGICO; MOSCA-BRANCA
  • Keywords: Inimigos naturais; Ácaros predadores
  • Language: Português
  • Abstract: A mosca-branca Bemisia tabaci (Gennadius) é considerada uma das principais pragas agrícolas. Seu controle é realizado principalmente com a utilização de inseticidas, que entretanto não tem funcionado a contento. Uma alternativa seria a utilização de ácaros predadores da família Phytoseiidae, como agentes de controle. O ácaro predador Amblyseius swirskii Athias-Henriot tem se mostrado um eficiente agente de controle desta praga em outros países, porém este não foi até o momento constatado no Brasil. Sua introdução poderia viabilizar o controle biológico da mosca-branca no país, sendo, porém, necessária a condução de estudos prévios, para avaliar sua eficiência como agente de controle do biótipo B de B. tabaci, encontrado no Brasil. Uma população de A. swirskii coletada na República de Benin e outra comercialmente disponível na Holanda foram recentemente introduzidas no Brasil para estudos. No primeiro estudo relatado neste documento, as duas populações foram comparadas quanto à habilidade de predação e oviposição quando alimentadas com ovos de B. tabaci de diferentes idades e com outros alimentos. Melhor desempenho foi apresentado pela população da Holanda, mas para ambas as populações, maiores níveis de predação e oviposição foram observados em ovos mais novos (< 24 h de idade) de B. tabaci. No segundo estudo avaliou-se o potencial biótico desta população quando alimentada com ovos de B. tabaci ou pólen de Typha domingensis Persoon, e o efeito de ambas as populações sobrelarvas de Euseius concordis (Chant), fitoseídeo comumente encontrado no Brasil. A taxa intrínseca de aumento populacional foi relativamente alta em ambos os alimentos, sendo ligeiramente mais alta em ovos de B. tabaci que em pólen (respectivamente 0,29 e 0,25 fêmea/fêmea/dia). Fêmeas adultas de ambas as populações predaram larvas da própria espécie e, em maiores níveis, de E. concordis, independentemente da presença de pólen. No terceiro estudo, avaliou-se o potencial de populações brasileiras de fitoseídeos como predadores de B. tabaci, assim como o desempenho destes em outros alimentos. Os fitoseídeos avaliados foram Amblydromalus limonicus (Garman & McGregor), Amblyseius herbicolus (Chant), Amblyseius largoensis (Muma), Amblyseius tamatavensis (Blommers) e Neoseiulus tunus (De Leon). Todos predaram ovos de B. tabaci. Contudo, melhores resultados foram observados para A. herbicolus, A. tamatavensis e N. tunus. Os resultados sugerem que estas espécies sejam promissoras como agentes de controle de B. tabaci. No quarto estudo, avaliou-se o potencial biótico de A. tamatavensis quando alimentado com ovos de B. tabaci e seu desempenho no controle desta praga em plantas jovens de pimentão (Capsicum annuum L.). A taxa intrínseca de aumento populacional foi comparável à obtida para A. swriskii alimentando-se da mesma presa. Por outro lado, a liberação deste predador resultou em reduções de 60 a 80% nas densidades da praga, sugerindo que A. tamatavensis seja promissor como agentede controle de B. tabaci. Conclui-se que exista um grande potencial de se controlar B. tabaci no Brasil com o uso de espécies de fitoseídeos, seja com uma espécie em fase de introdução, A. swirskii, seja com uma espécie já presente no país, A. tamatavensis
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 02.06.2014
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    ESABC12700015171CAVALCANTE, A. C. C.
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CAVALCANTE, Ana Cristina Cerqueira; MORAES, Gilberto José de. Ácaros predadores da família Phytoseiidae (Acari: Mesostigmata) para o controle do biótipo B da mosca-branca Bemisia tabaci (Gennadius) (Hemiptera: Aleyrodidae) no Brasil. 2014.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11146/tde-25062014-095243/ >.
    • APA

      Cavalcante, A. C. C., & Moraes, G. J. de. (2014). Ácaros predadores da família Phytoseiidae (Acari: Mesostigmata) para o controle do biótipo B da mosca-branca Bemisia tabaci (Gennadius) (Hemiptera: Aleyrodidae) no Brasil. Universidade de São Paulo, Piracicaba. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11146/tde-25062014-095243/
    • NLM

      Cavalcante ACC, Moraes GJ de. Ácaros predadores da família Phytoseiidae (Acari: Mesostigmata) para o controle do biótipo B da mosca-branca Bemisia tabaci (Gennadius) (Hemiptera: Aleyrodidae) no Brasil [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11146/tde-25062014-095243/
    • Vancouver

      Cavalcante ACC, Moraes GJ de. Ácaros predadores da família Phytoseiidae (Acari: Mesostigmata) para o controle do biótipo B da mosca-branca Bemisia tabaci (Gennadius) (Hemiptera: Aleyrodidae) no Brasil [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11146/tde-25062014-095243/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: