Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Identificação de dois canais radiculares em incisivos inferiores com imagens radiográficas, tomográficas e microtomográficas (2014)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: FERNANDES, LUCIANA MARIA PAES DA SILVA RAMOS - FOB
  • USP Schools: FOB
  • Subjects: RADIOGRAFIA PERIAPICAL; RADIOGRAFIA PERIAPICAL; MICROTOMOGRAFIA
  • Language: Português
  • Abstract: Os dentes incisivos inferiores apresentam, em sua maioria, canal radicular único, que pode ter conformações distintas. De acordo com a literatura científica, a presença de um segundo canal radicular pode ser constatada em 10 a 40% dos casos. A não-detecção do segundo canal é um importante fator para o insucesso do tratamento endodôntico. Esta pesquisa foi realizada com os seguintes objetivos: 1) comparar a eficácia na identificação de padrões anatômicos internos em incisivos inferiores permanentes extraídos com uso de imagem radiográfica periapical digital e de tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC); e 2) determinar a prevalência de 2 canais radiculares em incisivos inferiores em imagens de TCFC de um banco de dados de exames previamente realizados, associando com localização do dente, gênero e idade do paciente. Na primeira etapa da pesquisa, 40 dentes incisivos inferiores foram submetidos a escaneamento em microtomógrafo computadorizado da FOB-USP (Skyscan 1074) para estabelecer o padrão ouro do tipo anatômico interno de cada dente. Os dentes foram então classificados em: Tipo I (1 canal radicular regular, n=12), Tipo Ia (1 canal radicular oval, n=12) e Tipo III (2 canais radiculares, n=16). Em seguida, os dentes foram divididos em 10 grupos de 4 dentes e posicionados em alvéolos de uma mandíbula humana para exposição radiográfica periapical digital direta com duas tomadas variando o ângulo horizontal de incidência (Schick CDR) e para escaneamento em 3 tomógrafos (Kodak 9000 3D, Veraviewepocs 3De e NewTom 5G) da Universidade de Loma Linda, CA, EUA. Dois examinadores treinados classificaram o tipo anatômico de cada dente e suas respostas foram comparadas ao padrão ouro estabelecido por microtomografia. Para descrição dos resultados, utilizou-se a porcentagem (%) de respostas certas / erradas. Aplicou-se o teste do qui-quadrado (X2), com nível de significânciaestatística de 5%, para verificação da associação entre variáveis. As concordâncias inter e intraexaminador foram determinadas por teste de kappa. Na segunda etapa da pesquisa, foram interpretadas imagens de incisivos inferiores de 100 pacientes, cujos exames estavam disponíveis no banco de dados do tomógrafo i-CAT Classic da FOB-USP. Dois examinadores avaliaram a anatomia interna de incisivos inferiores, em reconstruções axiais, sagitais e coronais, classificando-a de acordo com o número de canais radiculares. A prevalência de 2 canais radiculares foi relacionada à localização do dente e ao gênero e idade do paciente. Para descrição dos dados coletados, utilizou-se a porcentagem (%). Para verificar a associação entre variáveis, utilizou-se o teste do qui-quadrado (X2), com nível de significância estatística de 5%. Para a concordância intra e interexaminador, utilizou-se o teste de kappa. Como resultado da primeira etapa da pesquisa, obteve-se alto índice de detecção de tipos anatômicos para todos os métodos avaliados (p <0,05). Para dentes com Tipo I (1 canal radicular regular), as imagens de TCFC foram superiores em comparação à radiografia periapical digital com dupla exposição (RP= 67% de acerto; TCFC= 98% de acerto, p <0,05). Considerando os 3 aparelhos de TCFC, não houve diferença estatística significante entre eles para identificação do Tipo I. Já para dentes com Tipo Ia (1 canal radicular oval), houve diferença estatística significante somente entre radiografia periapical digital com dupla exposição e o tomógrafo NewTom (RP= 44% de acerto; TCFC NewTom= 88% de acerto). Não houve diferença significante entre os outros 2 tomógrafos e radiografia periapical ou entre os 3 tomógrafos. Considerando dentes com Tipo III (2 canais radiculares), não houve diferença estatística significante entre nenhum dos métodos. Todos os métodos apresentaram números derespostas certas semelhantes para o Tipo III, sugerindo que a radiografia periapical com dupla angulação é suficiente para identificação de 2 canais radiculares em incisivos inferiores. A concordância intraexaminador para radiografia periapical foi regular (kappa=0,40 a 0,66) e de boa a excelente para os aparelhos de TCFC (kappa=0,62 a 0,85). A concordância interexaminador para radiografia periapical foi de ruim a regular (kappa=0,25 a 0,32) e de boa a excelente para os aparelhos de TCFC (kappa=0,62 a 0,92). Na segunda etapa da pesquisa, o total de 386 incisivos inferiores foi avaliado, sendo 192 incisivos centrais e 194 incisivos laterais. A prevalência de 2 canais radiculares constatada no total de dentes foi de 16,5%, sendo de 13% em incisivos centrais e de 20% nos incisivos laterais (p >0,05). Não houve diferença estatisticamente significante entre gêneros e idades. A concordância intra e interexaminador foi regular (kappa intra=0,60; kappa inter=0,57). Como conclusão da primeira etapa da pesquisa, observou-se que a identificação do número de canais radiculares foi efetiva em todos os métodos. No entanto, limitações foram encontradas para a diferenciação da forma do canal radicular. Na segunda etapa da pesquisa, concluiuse que a presença de 2 canais radiculares em incisivos inferiores de pacientes da região de Bauru é de aproximadamente 20% e não depende da localização do dente ou de gênero e idade do paciente.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 06.06.2014
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FOB2521153-10F391i
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FERNANDES, Luciana Maria Paes da Silva Ramos; CAPELOZZA, Ana Lúcia Alvares. Identificação de dois canais radiculares em incisivos inferiores com imagens radiográficas, tomográficas e microtomográficas. 2014.Universidade de São Paulo, Bauru, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/25/25149/tde-10102014-151906/publico/LucianaMariaPaesdaSilvaRamosFernandes_Rev.pdf >.
    • APA

      Fernandes, L. M. P. da S. R., & Capelozza, A. L. A. (2014). Identificação de dois canais radiculares em incisivos inferiores com imagens radiográficas, tomográficas e microtomográficas. Universidade de São Paulo, Bauru. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/25/25149/tde-10102014-151906/publico/LucianaMariaPaesdaSilvaRamosFernandes_Rev.pdf
    • NLM

      Fernandes LMP da SR, Capelozza ALA. Identificação de dois canais radiculares em incisivos inferiores com imagens radiográficas, tomográficas e microtomográficas [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/25/25149/tde-10102014-151906/publico/LucianaMariaPaesdaSilvaRamosFernandes_Rev.pdf
    • Vancouver

      Fernandes LMP da SR, Capelozza ALA. Identificação de dois canais radiculares em incisivos inferiores com imagens radiográficas, tomográficas e microtomográficas [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/25/25149/tde-10102014-151906/publico/LucianaMariaPaesdaSilvaRamosFernandes_Rev.pdf

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: