Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Estudo "in vivo" das funções da ataxina-2 em Drosophila melanogaster (2014)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: VIANNA, MURILO CARLOS BIZAM - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RBP
  • Subjects: DROSOPHILA; INSULINA; RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO
  • Language: Português
  • Abstract: A ataxina-2 de Drosophila (dAtx2) pertence a uma familia de proteínas conservada evolutivamente, de função celular ainda pouco entendida, e que em humanos é ligada a doenças neurodegenerativas. Assim como em mamíferos e vermes, em Drosophila são preditas mais do que uma forma de ataxina-2. Neste trabalho validamos a existência das isoformas nomeadas de dAtx2-B e dAtx2-C, e contribuímos com informações relevantes sobre possíveis funções dessas proteínas no desenvolvimento do organismo. Nossos resultados indicam que a expressão de dAtx2 é regulada temporalmente e em vários tecidos. Dados de RT-qPCR mostram que os níveis dAtx2-C aumentam significativamente a partir do terceiro estágio larval, enquanto que os níveis de dAtx2-B se mantêm relativamente baixos ao longo do desenvolvimento. Através de análises comparativas do padrão de marcação de dois anticorpos para dAtx2, um que detecta ambas as isoformas e outro especifico para a isoforma B, concluímos que dAtx2-B é altamente expressa no inicio do desenvolvimento, nos estágios embrionário e L1, enquanto dAtx2-C é expressa em altos níveis a partir de L3. Dentre os tecidos analisados, ambas as isoformas parecem ser expressas em níveis mais altos nos ovários de moscas. Além disso, as diferenças no padrão de marcação subcelular com os dois anticorpos superem que as diferentes isoformas de ataxina-2 participam de mecanismos celulares distintos no corpo gorduroso larval. Embora ambas as proteínas possam estar localizadas no núcleo e no córtex celular, a isoforma B parece ser mais concentrada nestes locais do que a isoforma C. Além disso, a dAtx2-C, e não a isoforma dAtx2-B, acumula-se em grânulos citoplasmáticos que colocalizam com marcador de reticulo endoplasmático. De modo interessante verificamos que a redução dos níveis das ataxina-2 no corpo gorduroso, dirigida por dois drivers diferentes (pplGal4 e cgGal4), interfere com o desenvolvimento. Os animais submetidosao knockdown de dAtx2 não completam a metamorfose, e morrem no terceiro estágio larval ou inicio do pupário. Além disso, observamos que animais pplGal4/siAtx2, crescidos a 29°C, apresentaram fenótipo mais severo do que os mentidos a 25°C, com parada no terceiro estágio larval e interferência no crescimento do organismo. As larvas que apresentavam níveis reduzidos de ataxina-2 no corpo gorduroso eram significativamente menores do que as do grupo controle em consequência da redução da replicação e do tamanho das células. Consistente com a hipótese de que esses fenótipos fossem em parte consequência de interferência na via de insulina/P13K, verificamos que os níveis de Akt fosforilada (pAkt) são menores (~50%) no corpo gorduroso de animais pplGal4/siAtx2 silenciados para ataxina-2 do que nos animais controle (pplGal4/+). Também, em animais com background tGPH, que expressam o domínio plectrina de steppke em fusão com GFP, e apresentam níveis mais elevados de Akt fosforilada, o knockdown de ataxina-2 resultou em redução dos níveis de pAkt a níveis comparáveis aos do selvagem, justificando o resgate do fenótipo de redução de tamanho, observado nos animais tGPH/+; pplGal4/siAtx2. No conjunto os dados obtidos mostram que níveis adequados da ataxina-2 no corpo gorduroso larval são requeridos para o carreto desenvolvimento do organismo. Neste tecido a ataxina-2 parece participar da via de sinalização de insulina/PI3K, upstream de AKT, o que é compatível com sua localização no córtex celular. Além disso, a localização da ataxina-2 (dAtx2-C) no reticulo endoplasmático das células do corpo gorduroso e a presença em sua estrutura primária de um sinal de saída de reticulo conservado evolutivamente são compatíveis com a hipótese de um possível papel dessa proteína em mecanismos que regulam brot
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 21.05.2014

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200066362Vianna, Murilo Carlos Bizam
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      VIANNA, Murilo Carlos Bizam; PAÇO-LARSON, Maria Luísa. Estudo "in vivo" das funções da ataxina-2 em Drosophila melanogaster. 2014.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014.
    • APA

      Vianna, M. C. B., & Paço-Larson, M. L. (2014). Estudo "in vivo" das funções da ataxina-2 em Drosophila melanogaster. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Vianna MCB, Paço-Larson ML. Estudo "in vivo" das funções da ataxina-2 em Drosophila melanogaster. 2014 ;
    • Vancouver

      Vianna MCB, Paço-Larson ML. Estudo "in vivo" das funções da ataxina-2 em Drosophila melanogaster. 2014 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: