Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Efeito do estrôncio na forma de ranelato no organismo de homens acima de 60 anos com níveis superiores e inferiores de densidade mineral óssea (2014)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: IUCIF JUNIOR, NELSON - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Subjects: OSSO E OSSOS; OSTEOPOROSE (MASCULINO); TESTOSTERONA
  • Language: Português
  • Abstract: Embora tradicionalmente ligada às mulheres, a osteoporose masculina, que ocorre em um período mais tardio da vida, vem ganhando destaque em razão do envelhecimento populacional. Vários fatores estão envolvidos na etiopatogenia da osteoporose sendo que a queda nos níveis de estrógeno e testosterona estão entre os principais, além de doenças debilitantes, desnutrição, sarcopenia, tabagismo, baixos níveis de vitamina D, corticoterapia prolongada e outros. Na abordagem terapêutica da osteoporose, como medida farmacológica, o ranelato de estrôncio é um medicamento atraente, pois possui duplo mecanismo de ação, inibindo a reabsorção e estimulando a formação óssea sendo que os estudos tem demonstrado sua eficácia, notadamente em mulheres pós-menopausa. Este estudo avaliou a densidade mineral óssea de 15 idosos do sexo masculino, idade 68±4, sem doença debilitante, saudáveis, ativos e de bom nível sécio económico. Todos tomaram o ranelato de estrôncio por três meses e foram coletadas amostras de sangue antes e depois do medicamento. Os resultados mostraram que 8 dos 15 voluntários eram, pelo menos, osteopênicos e houve uma relação inversa com a testosterona plasmática. Os níveis plasmáticos de estrôncio subiram cerca de três vezes do valor inicial mas, não interferiram com cálcio e magnésio. O marcador de formação óssea, P1NP, não se alterou porem, o CTX se elevou, indicando maior reabsorção óssea. Não houve diferença significativa nestes indicadores, entre os de menor e maior densidade mineral óssea. Não há uma clara explicação para os achados mas, a elevação dos níveis de estrôncio pode ter influenciado negativamente o metabolismo ósseo. Finalmente, os mecanismos intrínsecos da osteoporose masculina ainda não estão elucidados, porém, nossos achados mostram que bons níveis de testosterona, podem não ser uma garantia de boa densidade mineral óssea
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 23.05.2014

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200066356Iucif Júnior, Nelson
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      IUCIF JÚNIOR, Nelson; MARCHINI, Julio Sérgio. Efeito do estrôncio na forma de ranelato no organismo de homens acima de 60 anos com níveis superiores e inferiores de densidade mineral óssea. 2014.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014.
    • APA

      Iucif Júnior, N., & Marchini, J. S. (2014). Efeito do estrôncio na forma de ranelato no organismo de homens acima de 60 anos com níveis superiores e inferiores de densidade mineral óssea. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Iucif Júnior N, Marchini JS. Efeito do estrôncio na forma de ranelato no organismo de homens acima de 60 anos com níveis superiores e inferiores de densidade mineral óssea. 2014 ;
    • Vancouver

      Iucif Júnior N, Marchini JS. Efeito do estrôncio na forma de ranelato no organismo de homens acima de 60 anos com níveis superiores e inferiores de densidade mineral óssea. 2014 ;