Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Tratamento de queimaduras graves com células mesenquimais estromais multipotentes (CMs) em modelo pré-clínico - Desenvolvimento de biocurativo associando CMs a biomembranas (2014)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: OLIVEIRA, CAROLINA CALIÁRI - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RBI
  • Subjects: QUEIMADURAS; CICATRIZAÇÃO; CÉLULAS-TRONCO; CÉLULAS (TERAPIA); QUITOSANA; REGENERAÇÃO (FENÔMENOS BIOLÓGICOS)
  • Language: Português
  • Abstract: Queimaduras extensas de pele são de difícil tratamento, principalmente porque comprometem o sistema imunológico e outros órgãos, podendo levar o paciente a óbito em poucos dias. O paciente com queimaduras graves requer cuidados especiais e longos tempos de internação. Células mesenquimais estromais multipotentes (CMs) apresentam importante propriedade regenerativa, assim, vários fatores são favoráveis a sua utilização para o tratamento de queimaduras graves, dentre eles o seu potencial de diferenciação, imunoregulação e angiogênese. Além disso, CMs são pouco imunogênicas sendo fracamente reconhecidas pelo sistema imunológico do hospedeiro não aparentado. Pacientes com queimaduras graves necessitam de tratamento com urgência e a expansão de CMs autólogas é um processo relativamente demorado, o que inviabilizaria a utilização das mesmas em grandes queimados. Dessa forma, o objetivo do presente trabalho foi avaliar o potencial terapêutico das CMs alogênicas no tratamento de queimaduras graves em ratos, bem como desenvolver e testar um biocurativo associando biomembranas de quitosana e xantana (Ch-Xn) às CMs derivadas da medula óssea (MO) de ratos Wistar ou provenientes de tecido adiposo humano. Para isso, CMs foram isoladas a partir da medula óssea de ratos (CMalo) ou tecido adiposo humano (CMxeno) e expandidas in vitro. As queimaduras experimentais foram realizadas no dorso de ratos Wistar por meio do contato de chapa de metal aquecida a 200°C por 25 segundos. Os animais queimados foram submetidos ao tratamento com CMs intradérmico (ID) ou com os biocurativos, desenvolvidos durante este trabalho, associando biomembranas de Ch-Xn às CMalo ou CMxeno. O tratamento com CMs ID ou com os biocurativos CMalo e CMxeno melhoraram a cicatrização das queimaduras quando comparados à aplicação ID de PBS ou de biomembranas acelulares (P<0,05). A análise da expressão gênica diferencialdas células da pele da região da queimadura mostrou que nos animais tratados com CMs foram induzidos genes que codificam os fatores de crescimento VEGF, FGF, EGF, e HGF, bem como genes que codificam colágeno e TGF-ß (P<0,05), entre outros. Todos os tipos de tratamento com CMs modularam o número de células do sistema imunológico, como neutrófilos, macrófagos e linfócitos TCD4 e TCD8 nos animais queimados in situ; na circulação e no baço. Foi observada também diminuição dos níveis circulantes de mediadores inflamatórios como proteína C-reativa, IL-1, IL-2, IL-17, e IL-6 e aumento de citocinas anti-inflamatórias como IL-10 e TGF-ß (P<0,05) no plasma dos animais tratados com CMs. Além disso, o tratamento com CMs aumentou a quantidade de VEGF plasmática e o número de vasos sanguíneos na região da lesão dos animais queimados. O processamento de imagem baseado em bioluminescência in vivo demonstrou que as CMalo associadas aos biocurativos de Ch-Xn permaneceram viáveis por 21 dias após implantação dos biocurativos no leito das lesões ocasionadas pelas queimaduras, enquanto as CMxeno não foram mais detectadas a partir do sétimo dia, evidenciando possível rejeição das CMs xenogênicas. Dessa forma, este estudo mostrou resultados positivos, encorajando o uso das CMs alogênicas e dos biocurativos que associam biomembranas de Ch-Xn para o tratamento de queimaduras graves. Os resultados desse trabalho de pesquisa poderão embasar a terapia regenerativa com CMs e/ou com biocurativos de ChXn contendo CMs para que os mesmos possam se tornar uma alternativa terapêutica rápida e eficaz para o tratamento de pacientes com queimaduras extensas e graves, que necessitam de cuidados imediatos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 06.06.2014

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200066385Oliveira, Carolina Caliari
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      OLIVEIRA, Carolina Caliari; DONADI, Eduardo Antônio; VOLTARELLI, Júlio César. Tratamento de queimaduras graves com células mesenquimais estromais multipotentes (CMs) em modelo pré-clínico - Desenvolvimento de biocurativo associando CMs a biomembranas. 2014.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014.
    • APA

      Oliveira, C. C., Donadi, E. A., & Voltarelli, J. C. (2014). Tratamento de queimaduras graves com células mesenquimais estromais multipotentes (CMs) em modelo pré-clínico - Desenvolvimento de biocurativo associando CMs a biomembranas. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Oliveira CC, Donadi EA, Voltarelli JC. Tratamento de queimaduras graves com células mesenquimais estromais multipotentes (CMs) em modelo pré-clínico - Desenvolvimento de biocurativo associando CMs a biomembranas. 2014 ;
    • Vancouver

      Oliveira CC, Donadi EA, Voltarelli JC. Tratamento de queimaduras graves com células mesenquimais estromais multipotentes (CMs) em modelo pré-clínico - Desenvolvimento de biocurativo associando CMs a biomembranas. 2014 ;