Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Influência de processos pré e pós-assentamento no padrão de ocorrência do coral sol, Tubastraea coccinea, no litoral norte do Estado de São Paulo (2014)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: MIZRAHI, DAMIÁN - FFCLRP
  • USP Schools: FFCLRP
  • Subjects: MIGRAÇÃO ANIMAL; COMPORTAMENTO ANIMAL; BIOLOGIA MARINHA
  • Language: Português
  • Abstract: Nesta tese, organizada em capitulos, são apresentados diferentes estudos sobre processos que afetam a história de vida, o potencial de dispersão, as preferências do assentamento larval e o recrutamento efetivo do coral invasor Tubastraea coccinea. No primeiro capitulo, demonstra-se que plânulas produzidas por T. coccinea são capazes de sofrer metamorfose e agregar-se em grupos de até oito pólipos ainda na coluna d água, sem que ocorra previamente assentamento larval. Nesta seção, foi avaliada também a sobrevivência de propágulos para testar se diferentes níveis de agregação possibilitam uma extensão do período planctônico e, portanto, um aumento do potencial de dispersão. Os resultados obtidos mostram que pólipos natantes sobrevivem mais que plânulas, provavelmente por serem capazes de se alimentar e, assim, suprir a alta demanda energética associada à natação e à procura de um substrato favorável para o assentamento. Grupos de dois ou mais pólipos sobrevivem mais que pólipos solitários. Porém, a mortalidade não diferiu entre agrupamentos pequenos (2-3 pólipos) e grandes (4-8 pólipos), o que sugere que existe um limite para o tamanho ótimo dessas colónias pelágicas. A maioria dos grupos de pólipos que se mantém nadando na coluna d água (80%) permanece viva após seis meses, o que sugere que a capacidade de sofrer metamorfose no ambiente pelágico e formar colónias de pólipos planctônicos é uma característica chave na história de vida da espécie, incrementando o potencial de dispersão, a conectividade entre populações e a capacidade de colonização de novos ambientes. No segundo capitulo, é caracterizada primeiramente a distribuição espacial de colónias adultas e pólipos fundadores do coral T. coccinea sobre substratos rochosos com diferentes orientações. Para isso, foi avaliada a consistência desses padrões para duas escalas espaciais, umapequena (de centenas de metros) e outra intermediária (de unidades de quilómetros). Posteriormente, estudaram-se as preferências durante o assentamento larval e os padrões de recrutamento sobre superfícies com diferentes orientações através de experimentos de campo e laboratório. O objetivo principal desta secção foi determinar se os padrões de distribuição de recrutas e colónias adultas podem ser explicados por processos que ocorrem durante etapas larvais ou pós-larvais iniciais. Os resultados indicam que tanto a flutuabilidade das larvas quanto o comportamento ativo de natação, não relacionado com condições de luminosidade, são fatores que determinam claramente o padrão de distribuição do coral. Como parte desse padrão, observou-se que a densidade de colónias é maior em substratos orientados para baixo, sendo quase nula nas superfícies orientadas para cima. Com excesso da quase ausência de indivíduos sobre áreas orientadas para cima, existem diferenças substanciais entre a distribuição de recrutas e adultos para as demais orientações, principalmente para superfícies verticais. Essas diferenças podem estar relacionadas com o escoamento costeiro, o qual é intenso na região de estudo e pode causar depósito excessivo de sedimentos sobre superfícies positivas, inibindo o desenvolvimento de colónias deste coral. Por outro lado, interações competitivas com outras espécies de corais azooxantelados poderiam ser a causa da diminuição da abundância de T. coccinea em substratos negativos. No terceiro e último capitulo desta tese avaliou-se o potencial de interação de Tubastraea coccinea com espécies representativas de uma comunidade bentônica do litoral norte do Estado de São Paulo, recentemente invadida. Amostragens no campo, visando estimar a densidade de recrutas juvenis de T. coccinea sobre diferentes tipos de manchas formadas por organismos incrustantes, foram usadaspara obter uma primeira inferência sobre o potencial de facilitação, ou inibição, do recrutamento. Os cnidários Carijoa riisei, Parazoanthus sp e Obelia dichotoma afetaram negativamente o recrutamento do coral sol, enquanto que algas incrustantes coralináceas facilitaram o recrutamento e podem facilitar a colonização do coral. O papel da mediação alelopática foi avaliado a partir de experimentos de laboratório, nos quais foram medidas diferentes componentes do assentamento larval em função da exposição das larvas a extratos brutos de várias espécies acompanhantes. Os testes mostraram a ocorrência geral de alelopatias negativas, as quais em alguns casos levaram apenas à inibição do assentamento, mas em outros à rápida mortalidade das larvas, sugerindo a ação de metabólitos tóxicos. Adicionalmente, foram realizados estudos comparativos de comunidades com a presença, ou ausência, do coral invasor, considerando fatores relevantes para a sua ocorrência, como a orientação do substrato. As comunidades invadidas por T. coccinea tendem a apresentar maior riqueza e equitatividade. A invasão no local de estudo é relativamente recente, pelo que os resultados encontrados devem estar mais relacionados a diferenças na susceptibilidade dessas comunidades à invasão, do que a eventuais efeitos das colónias do coral sol desenvolvidas nas mesmas. Se for assim, o estabelecimento do coral sol no litoral do Estado de São Paulo poderá implicar em uma perda significativa da diversidade biológica de substratos consolidados rasos. Os dados obtidos nesse estudo, abordando aspectos relevantes da vida pelágica e bentônica de T. coccinea, constituem um acervo de informação que poderá subsidiar planos de controle e monitoramento da espécie invasora, contribuindo ao estabelecimento de critérios de gestão de áreas de conservação
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 27.02.2014

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FCLRP20800048930Mizrahi, Damián
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MIZRAHI, Damián; FLORES, Augusto Alberto Valero; NAVARRETE, Sergio Andres. Influência de processos pré e pós-assentamento no padrão de ocorrência do coral sol, Tubastraea coccinea, no litoral norte do Estado de São Paulo. 2014.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014.
    • APA

      Mizrahi, D., Flores, A. A. V., & Navarrete, S. A. (2014). Influência de processos pré e pós-assentamento no padrão de ocorrência do coral sol, Tubastraea coccinea, no litoral norte do Estado de São Paulo. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Mizrahi D, Flores AAV, Navarrete SA. Influência de processos pré e pós-assentamento no padrão de ocorrência do coral sol, Tubastraea coccinea, no litoral norte do Estado de São Paulo. 2014 ;
    • Vancouver

      Mizrahi D, Flores AAV, Navarrete SA. Influência de processos pré e pós-assentamento no padrão de ocorrência do coral sol, Tubastraea coccinea, no litoral norte do Estado de São Paulo. 2014 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: