Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Estudo de fatores que interferem na implementação da Estratégia Saúde da Família (2014)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: VOLPATO, FLAVIA CRISTINA - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RMS
  • Subjects: ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE; SAÚDE DA FAMÍLIA; SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE
  • Language: Português
  • Abstract: A Estratégia Saúde da Família surgiu como uma nova estratégia de atenção à saúde e de reorientação do modelo de assistência, porém há uma discrepância entre a concepção da Atenção Básica no desenho da política nacional e sua expressão nas realidades locais. Partindo desses pressupostos, os objetivos deste estudo foram: avaliar fatores capazes de interferir limitando ou potencializando o processo de implementação da Estratégia Saúde da Família, no município de Araraquara, SP; caracterizar o perfil dos profissionais que compõem as equipes de saúde da família e caracterizar o processo de trabalho das equipes de saúde da família, segundo a perspectiva de profissionais médicos, odontólogos e enfermeiros. Para isso, foi utilizado o método do estudo de caso, com coleta de dados através de entrevista semi-estruturada. O município de Araraquara conta com 17 unidades de saúde da família, onde estão inseridas 25 equipes de saúde e 14 equipes de saúde bucal, totalizando 64 profissionais médicos, odontólogos e enfermeiros. O estudo foi realizado com 28 profissionais, que responderam a uma entrevista realizada na unidade de saúde. As entrevistas foram realizadas nos meses de dezembro de 2013 e janeiro de 2014. Os profissionais eram, na maioria, do sexo feminino, variando entre a faixa etária de 26 a 55 anos. O tempo de formado variou na faixa de 11 a 30 anos, sendo que a maioria trabalha no SUS a um período de tempo que varia de 11 a 25 anos. A maioria realizou curso de especialização na área sendo 32% especialistas na área de saúde da família e comunidade. A jornada de trabalho semanal é de 40 horas e a maioria dedica-se exclusivamente ao trabalho na ESF. Os profissionais são contratados por meio de concurso público e participaram de um processo seletivo interno para trabalharem na ESF. Em relação ao processo de trabalho das equipes, identificou-se que as equipes sãorelação ao processo de trabalho das equipes, identificou-se que as equipes são multiprofissionais, trabalham com território definido e os planejamentos e avaliações são realizados nas reuniões de equipe. As equipes têm dificuldade de realizar o diagnóstico da situação territorial e não utilizam dados epidemiológicos do território para organizarem suas ações. As avaliações das ações são realizadas pelo instrumento do Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade. As ações desenvolvidas estão relacionadas ao atendimento clínico individual, acolhimento, visitas domiciliares, grupos coletivos de orientação, atividades de educação permanente e atividades burocráticas. A coordenação da USF é realizada pela enfermeira e há um gestor de território que faz a articulação das USF com a Secretaria Municipal de Saúde. Em relação aos fatores que potencializam o processo de implementação da ESF em Araraquara, foram identificados fatores relacionados a: infraestrutura física e condições de trabalho, especificamente reforma, ampliação e construção de USF demostrando o investimento do município, na melhoria das condições de trabalho e ampliação da cobertura da população; atuação de profissionais especialistas na área de saúde da família e comunidade ou áreas afins; realização do curso introdutório e das atividades de educação permanente; matriciamento do NASF melhorando a resolutividade na própria USF; sistema referência e contra-referencia, na saúde bucal, favorecendo tanto a resolutividade dos casos quanto a longitudinalidade do cuidado através da rede de apoio. Em relação aos limitantes do processo de implementação da ESF, foram identificados fatores relacionados a: falta de materiais de consumo e de medicamentos insuficiência de equipamentos, falta de planejamento de manutenção preventiva de equipamentos; discrepância entre quantidade de equipes desaúde da família e quantidade de equipes de saúde bucal; fata de atividades de capacitação profissional, educação permanente não significativa; atenção secundário deficiente; ausência de contra-referência; processo de trabalho médico-centrado; dificuldade de planejamento baseado em dados epidemiológicos; deficiência da participação popular nos processos decisórios das equipes.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 05.06.2014
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200066375Volpato, Flavia Cristina
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      VOLPATO, Flavia Cristina; ROCHA, Juan Stuardo Yazlle. Estudo de fatores que interferem na implementação da Estratégia Saúde da Família. 2014.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17139/tde-15082014-094112/ >.
    • APA

      Volpato, F. C., & Rocha, J. S. Y. (2014). Estudo de fatores que interferem na implementação da Estratégia Saúde da Família. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17139/tde-15082014-094112/
    • NLM

      Volpato FC, Rocha JSY. Estudo de fatores que interferem na implementação da Estratégia Saúde da Família [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17139/tde-15082014-094112/
    • Vancouver

      Volpato FC, Rocha JSY. Estudo de fatores que interferem na implementação da Estratégia Saúde da Família [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17139/tde-15082014-094112/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: