Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Festas paulistanas em perspectiva histórica de longa duração: produção e apropriação social do espaço urbano, permanências e rupturas(1711-1935) (2014)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: CAPONERO, MARIA CRISTINA - FAU
  • USP Schools: FAU
  • Sigla do Departamento: AUH
  • Subjects: REPRESENTAÇÃO; SÃO PAULO (SP)
  • Keywords: ESPAÇO PÚBLICO URBANO; FESTAS PÚBLICAS; PRÁTICAS SOCIAIS
  • Language: Português
  • Abstract: Diferentemente dos estudos tradicionais sobre as festas realizados pela História Social, pela Sociologia ou pela Antropologia, a presente tese tem como objeto de estudo as festas públicas no espaço urbano de São Paulo. Trata-se de um estudo espacializado e discutido em função dos impactos dessas práticas na cidade na longa duração, pois somente assim são perceptíveis as rupturas e continuidades. Nossa baliza cronológica inicial é o ano de 1711, marco de São Paulo enquanto cidade e momento em que a urbe apresenta uma vida urbana mais intensa, com um degradé social mais acentuado. Analisamos as festas públicas de realização e de frequência obrigatórias, espacializando seus espaços em meio à paisagem urbana e social. Procuramos compreender seu significado e função para os diversos grupos, entrevendo as práticas através das representações, e conflitos nas entrelinhas das normas e obrigações. Interpretamos o Império como período de transição na direção de um crescente processo de laicização nos usos dos espaços urbanos públicos e momento em que as festas deixaram de ser de realização obrigatória, isentando os moradores dos seus encargos de outrora. Procuramos mostrar como os Códigos de Posturas passaram a encarar as festas, levando em alguns casos à perda de suas funções simbólicas intrínsecas e de seu espaço na paisagem urbana. Nossa principal contribuição reside no exame mais detalhado do período republicano, quando o Brasil é decretado território laico, tendo a Igreja oficialmente se separado do Estado, mas mantendo-se a união em situações estratégicas e ideologicamente oportunas para a construção e fortalecimento do ideário e poder do novo regime em curso. Buscamos então compreender o espaço das festas e seus significados em meio às transformações materiais e sociais por que passava a cidade, especialmente no seu perímetro central. Entrevimos um desconpasso entre a dimensão do (continua)(continuação) a dimensão do espaço material em transformação e as festas. A área central da cidade transformou-se brutalmente em volumetria, mas se manteve muito semelhante em planimetria, tornando-se pequena e dominada por outros usos menos interessados nas grandes festas públicas, expulsando, recolhendo ou encolhendo algumas delas, ofuscando outras. Nossa baliza cronológica final é o ano de 1935, marco da ruptura na forma como as festas vinham sendo tratadas, deixando de ser controladas por seus impactos urbanísticos e passando a ser encaradas pela municipalidade mais como recreação do que propriamente como um problema relacionado com a própria feitura da cidade. Assim, a partir da análise de fontes primárias civis e eclesiásticas como Atas, Correspondências, Pedidos de Alvarás e Licenças, Livros de Tombo da Igreja e outras fontes oficiais comprometidas com o interesse de quem estava no poder, procuramos compreender o espaço da festa na paisagem urbana da cidade deSão Paulo. O caso paulistano é um entre tantos outors e o estudo dos pormenores do processo, com seus ritmos por vezes contraditórios, com sua cadência ao sabor dos intresses, e seus descompassos inevitáveis, permitiu entrever o jogo das práticas em meio às representações, longe de ser um processo linear e tampouco rápido e sem conflitos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 09.05.2014
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FAUPG20300017665043:711.5 C246f
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CAPONERO, Maria Cristina; BUENO, Beatriz Piccolotto Siqueira. Festas paulistanas em perspectiva histórica de longa duração: produção e apropriação social do espaço urbano, permanências e rupturas(1711-1935). 2014.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/16/16133/tde-05112014-144822/pt-br.php >.
    • APA

      Caponero, M. C., & Bueno, B. P. S. (2014). Festas paulistanas em perspectiva histórica de longa duração: produção e apropriação social do espaço urbano, permanências e rupturas(1711-1935). Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/16/16133/tde-05112014-144822/pt-br.php
    • NLM

      Caponero MC, Bueno BPS. Festas paulistanas em perspectiva histórica de longa duração: produção e apropriação social do espaço urbano, permanências e rupturas(1711-1935) [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/16/16133/tde-05112014-144822/pt-br.php
    • Vancouver

      Caponero MC, Bueno BPS. Festas paulistanas em perspectiva histórica de longa duração: produção e apropriação social do espaço urbano, permanências e rupturas(1711-1935) [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/16/16133/tde-05112014-144822/pt-br.php