Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Reprodutibilidade da avaliação Doppler das artérias uterinas no segundo trimestre da gestação (2014)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: FERREIRA, ANA ELIZABETH GOMES DE MELO TAVARES - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RGO
  • Subjects: REPRODUÇÃO; ÚTERO; ARTÉRIAS; ULTRASSONOGRAFIA DOPPLER (AVALIAÇÃO)
  • Language: Português
  • Abstract: Justificativa: A pré-eclâmpsia (PE) é uma condição médica caracterizada por pressão arterial elevada e quantidades significativas de proteínas na urina, em uma mulher grávida. A PEafeta aproximadamente 4% das gestações, sendo a maior causa de morbidade mortalidade materna e perinatal. A ultrassonografia Doppler no segundo trimestre avaliando o padrão do fluxo sanguíneo nas artérias uterinos maternas, particularmente o índice de pulsatilidade (IP), tem sido usado no rastreamento da pré-eclâmpsia, sendo que esta avaliação pode ser realizada utilizando tanto a ultrassonografia por via abdominal (USTA) quanto pela via vaginal (US-TV). Entretanto, não existem estudos avaliando adequadamente a reprodutibilidade intra e interobservador da avaliação Doppler das artérias uterinas. Objetivos: Estimar a reprodutibilidade do IP da artéria uterina no segundo trimestre, comparando os valores obtidos por US-TA e US-TV. Métodos: Mulheres com idade acima de 18 anos com gestações únicas e idade gestacional entre 20s0d e 26s0d foram incluídas. O PI da artéria uterina e angulo de insonação foram avaliados por dois observadores (15 e 3 anos de experiência em ultrassonografia), utilizando tanto TA-US e TV-US. O observador mais experiente realizou duas varreduras alternadas por outro observador; as aquisições foram realizadas de forma completamente independente e os observadores não tinham conhecimento dos valores das próprias medidas ou do resultado da medida do outro observador. Para realizar a análise, utilizamos o valor médio observado entre a artéria uterina direita e esquerda. Os dados foram apresentados como média ± DP ou mediana (intervalo interquartil); comparações entre os métodos foram realizada com teste t pareado ou Wilcoxon. A reprodutibilidade foi avaliada pelos coeficientes de correlação de concordância (CCC) e limites de concordância ( LoA) das diferenças relativas entre osobservadores. Resultados: As principais características das 96 mulheres analisadas foram: idade = 25,0 ± 5,4 anos, IG = 22,5 + 2,0 semanas, índice de massa corporal (IMC) = 26,0 ± 3,2 Kg / m². O PI médio das artérias uterinas pela via vaginal foi de 1.07 ± 0.33, e pela via abdominal 0.96 ± 0.32. Os ângulos de insonação pela via vaginal foram menores, variando entre 4.5-16.5° (média de 11.9°), em relação a via abdominal, que variou entre 5.0-27.9° (média de 18.1°). A análise de confiabilidade através do CCC, a maior confiabilidade foi a intraobservador pela via abdomina: CCC = 0,94, com a largura do intervalo de confiança (CI) de 95% > 0.91. Pela via vaginal, o CCC foi de 0.93 e 0.81, com o CI de 95%>0,90 e entre 0.73-0.87, intra e interobservador, respectivamente. Os imites de concordância intraobservador, foram 18.5% a 23.1% e -25.1% a 24.3%, e o interobservador de -36.3% a 33.7% e 33.4% a 33.6 %, pelas via vagina e abdominal respectivamente. Conclusões: No segundo trimestre, a TV-US fornece valores mais elevados de PI, melhor ângulo de insonação e reprodutibilidade similar. A medição do PI da artéria uterino durante o segundo trimestre deve ser interpretada com cautela quando empregados na prática clínica, pois sua reprodutibilidade varia de pobre a moderada. Os estudos que examinam aperfeiçoamentos técnicos para melhorar a sua reprodutibilidade, deve ser incentivados
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 04.07.2014

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200066433Ferreira, Ana Elizabeth Gomes de Melo Tavares
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FERREIRA, Ana Elizabeth Gomes de Melo Tavares; MAUAD FILHO, Francisco. Reprodutibilidade da avaliação Doppler das artérias uterinas no segundo trimestre da gestação. 2014.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014.
    • APA

      Ferreira, A. E. G. de M. T., & Mauad Filho, F. (2014). Reprodutibilidade da avaliação Doppler das artérias uterinas no segundo trimestre da gestação. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Ferreira AEG de MT, Mauad Filho F. Reprodutibilidade da avaliação Doppler das artérias uterinas no segundo trimestre da gestação. 2014 ;
    • Vancouver

      Ferreira AEG de MT, Mauad Filho F. Reprodutibilidade da avaliação Doppler das artérias uterinas no segundo trimestre da gestação. 2014 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: