Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Morphological variation and taxonomy of Lepidocolaptes angustirostris (Vieillot, 1818) (Passeriformes: Furnariidae) (2014)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: LEGUIZAMóN, SERGIO DAVID BOLíVAR - MZ
  • USP Schools: MZ
  • Subjects: AVES (CLASSIFICAÇÃO); PASSERIFORMES
  • Language: Inglês
  • Abstract: Lepidocolaptes angustirostris (arapaçu-do-cerrado) habita principalmente regiões abertas como a Caatinga, Cerrado e Chaco. Esta espécie apresenta morfologia e vocalização muito variáveis em toda a sua distribuição geográfica. A posição taxonômica de Lepidocolaptes angustirostris não é clara, sendo localizado na raiz ou dentro da radiação do gênero Lepidocolaptes. Dois grupos principais são reconhecidos: um grupo do norte que habita as terras baixas do norte da Bolivia e da região central do Brasil para o norte, e um grupo do sul das regiões do norte ao centro-norte da Argentina, Uruguai, e no Estado do Rio Grande do Sul, sul do Brazil. Oito subespécies são atualmente reconhecidas baseadas em padrões da plumagem e distribuição geográfica. Uma análise morfológica e uma revisão taxonômica nunca foram realizadas nesta espécie. Com base nas informações acima, o objetivo deste projeto é desenvolver uma revisão taxonômica de Lepidocolaptes angustirostris usando caracteres morfológicos e vocais. Além disso, para testar a existência da variação geográfica no táxon, uma análise clinal foi realizada. Finalmente, análises de (GLM) foram feitas para identificar variáveis ambientais que possam explicar esta variação, e um mapa de distribuição geográfica foi elaborado usando os registros geográficos dos indivíduos examinados L. angustirostris. Os resultados indicam que as diferentes populações do complexo Lepidocolaptes angustirostris que habitam as areas abertas da Caatinga, Cerrado eChaco (mais as populações amazônicas) não têm um nível significativo de diferenciação morfológica nem da plumagem para serem consideradas como espécies válidas. As análise do PCA apresentaram baixos níveis de diferenciação morfológica entre os grupos propostos, com um primeiro componente formado por caracteres do bico (comprimento, cúlmen exposto e cúlmen total), e um segundo componente formado por largura do bico e comprimento do tarso, explicando 70,88% da variação identificada. Igualmente, há evidência de uma variação morfológica latitudinal nos dados analisados, apresentado em uma série de clinas parcialmente sobrepostas sobre uma região localizada desde o sul do Cerrado e Pantanal através das ecoregiões do Chaco Úmido e Seco e a savana inundada do Paraná, até as ecoregiões do Espinal e dos Pampas Úmidos. Nas análises do GLM, algumas variáveis climáticas explicaram a variação geográfica no táxon; principalmente a sazonalidade térmica, a precipitação anual, e a temperatura minima do mês mais frio. As leis ecogeográficas de Bergmann e Gloger podem ser aplicadas nesta variação, assim como a lei de Allen, mas de forma restrita. Assim, as populações do Arapaçu-do-cerrado tendem a ser maiores ao sul da distribuição. A proposta apresentada aqui é de manter o status taxonômico de Lepidocolaptes angustirostris como uma espécie única, e propor evitar a utilização das denominações subespecíficas para este taxon. A validade taxonômica das subespécies no Arapaçu-do-cerrado não foisuportada por quaisquer das evidências coletada aqui. A pesar do polimorfismo de cores identificado nos padrões da plumagem, o elevado nível de intergradação, a baixa resolução dos limites geográficos entre as populações, e a presença de uma variação clinal com um nível considerável de introgressão entre populações não suportam a divisão de uma única espécie em várias sub-unidades taxonômicas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 01.12.2014
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    MZ12400021730TMZ598.281.4 L521v
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      LEGUIZAMÓN, Sergio David Bolívar; SILVEIRA, Luis Fábio. Morphological variation and taxonomy of Lepidocolaptes angustirostris (Vieillot, 1818) (Passeriformes: Furnariidae). 2014.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/38/38131/tde-14012015-155408/ >.
    • APA

      Leguizamón, S. D. B., & Silveira, L. F. (2014). Morphological variation and taxonomy of Lepidocolaptes angustirostris (Vieillot, 1818) (Passeriformes: Furnariidae). Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/38/38131/tde-14012015-155408/
    • NLM

      Leguizamón SDB, Silveira LF. Morphological variation and taxonomy of Lepidocolaptes angustirostris (Vieillot, 1818) (Passeriformes: Furnariidae) [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/38/38131/tde-14012015-155408/
    • Vancouver

      Leguizamón SDB, Silveira LF. Morphological variation and taxonomy of Lepidocolaptes angustirostris (Vieillot, 1818) (Passeriformes: Furnariidae) [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/38/38131/tde-14012015-155408/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: