Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Selenometionina e tireoidite crônica autoimune: potencial efeito anti-inflamatório, impacto na função tireoidea e na ecomorfologia glandular (2014)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: FARIAS, CLEY ROCHA DE - FM
  • USP Schools: FM
  • Subjects: TIREOIDITE AUTOIMUNE; GLÂNDULA TIREOIDE (ULTRASSONOGRAFIA;MORFOLOGIA;FISIOPATOLOGIA); AUTOIMUNIDADE; HIPOTIREOIDISMO
  • Keywords: Autoimmunity; Autoimune; Hipotireoidismo; Hypothyroidism; Selênio; Selenium; Thyroiditis; Tireoidite
  • Language: Português
  • Abstract: Contexto: Pacientes com tireoidite autoimune crônica com anticorpos de peroxidase tireoideana (Anti-TPO) podem progredir para hipotireoidismo subclínico e clínico. Estudos anteriores mostraram uma redução no anti-TPO em pacientes com hipotireoidismo que receberam tratamento de reposição de LT4 e suplementação de selênio. Objetivos: Avaliar se a selenometionina (SeMet) reduz o anti-TPO em pacientes anti-TPO positivos eutireoideos tratados com LT4 e melhora a ecogenecidade da tireoide em comparação com grupo de pacientes tratados com placebo. Desenho: Estudo duplo-cego aleatório controlado com placebo. Pacientes e métodos: Um total de 55 pacientes consecutivos com TCA (50 mulheres, 5 homens, idade mediana de 48 anos variando de 20 a 58), 4 tabagistas, 4 anos desde o diagnóstico da doença (mediana), com TSH normal ou levemente elevado, T4L dentro dos níveis normais, anti-TPO maior que 100 U/ml foram aleatoriamente selecionados para receber uma dose diária de 200 ?g de selenometionina (grupo SeMet; n = 28) ou placebo (grupo P; n = 27) por 3 meses. Anticorpos da tireoperoxidase e tireoglobulina (TPO-Ab; TG-Ab), TSH, FT4, T3, T4, proteína C-reativa (PCR), citocinas (IL6, IL10, TNF), glicose sanguínea em jejum, calcitonina, selênio plasmático, concentração de iodo na urina, atividade da peroxidase de glutationa 1 em eritrócitos (GPx1) foram dosados no basal, após 3 e 6 meses de acompanhamento. Polimorfismo do GPx1-Pro198Leu foi avaliado no basal. Foi efetuado ultrassom de tireoide (US) em cada ponto de acompanhamento.Ecogenecidade do tecido foi caracterizada por análise histográfica computadorizada em escala de cinza e expressa como índice de ecogenecidade (EI). A relação entre concentração de Selênio e atividade GPx1 nos eritrócitos foi analisada para cada genótipo. O IE e associações de variáveis clínicas também foram avaliadas. Resultados: Não houve diferenças nas características iniciais (basais) entre o grupo SeMet e P. Selênio plasmático e atividade GPx1 aumentaram no grupo SeMet mas não variaram no grupo P durante a suplementação de SeMet. Anti-TPO, anti-TG, TSH e hormônios tireoidianos não variaram significativamente no grupo P. Anti-TPO no grupo SeMet era de 1009 (176- >3000) no basal, 958 (161- > 3000) aos 3 meses e 768 (65-2821) U/ml aos 6 meses. Neste grupo, as variações em relação ao basal foram de -5% aos 3 meses e -24% aos 6 meses, respectivamente. No grupo P, as mudanças em relação ao basal foram de 1206 (154- >3000), 1404 (231- >3000), 1430 (140- >3000 U/ml), respectivamente (valores médios e limítrofes); +16% aos 3 meses e +18% aos 6 meses, respectivamente. Níveis de TSH, no grupo SeMet, foram de 1,7 (0,8 - 2,5) no basal, 3,0 (1,1 - 6,3) aos 3 meses e 3,2 (1,1 - 6,5) ?U/mL aos 6 meses, no grupo P, os níveis de TSH foram de 1,7 (0,8 - 2,5) no basal, 2,2 (0,6 - 6,8) e 2,5 (0,9 - 5,5) ?U/mL, respectivamente (valores médios e limítrofes). Valores médios da proteína C-reativa foram inferiores a 10mg/L nos dois grupos. O percentual dosgenótipos no grupo SeMet eram de 7,1%, 64,3% e 28,6% para Leu/Leu, Pro/Leu e Pro/Pro (o genótipo mais frequente), respectivamente; no grupo P, a distribuição foi 0,0%, 51,9% e 48,1% para Leu/Leu, Pro/Leu e Pro/Pro, respectivamente, comparado com controles normais (11,4%, 39,2% e 49,4% Leu/Leu, Pro/Leu e Pro/Pro respectivamente). O IE exibiu tendência a uma diferença significativa indo de 1,2 no basal para 1,0 aos 3 meses e 1,1 aos 6 meses para o grupo SeMet, respectivamente, enquanto que permaneceu constante (1,2 no basal, 1,2 aos 3 meses e 1,2 aos 6 meses) para o grupo P, respectivamente. Após o período de suplementação, o coeficiente de correlação r = 0,95 (p < 0,001) para Pro/Pro e a tendência foi a mesma que o basal para o grupo Pro/Leu. No grupo SeMet, o IE correlacionou-se positivamente com a velocidade sistólica de pico nas artérias inferiores da tireoide no basal (r = 0,5, p = 0,008) e após o período de suplementação (r = 0,46; p = 0,025). Anti-TG correlacionou-se com valores do fator de necrose tumoral médios no grupo placebo (r = 0,46; p = 0,015). Conclusão: A suplementação por 3 meses aumentou os marcadores do status de selênio. SeMet parece ser eficaz em reduzir a ecogenecidade da tireoide e em reduzir o anti-TPO (porém não o anti-TG) após 3 meses de intervenção, mas não influencia o TSH ou os hormônios tireoideanos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 17.11.2014
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FM2672031-10W4.DB8 SP.USP FM-2 F238se 2014
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FARIAS, Cley Rocha de; COZZOLINO, Silvia Maria Franciscato; KNOBEL, Meyer. Selenometionina e tireoidite crônica autoimune: potencial efeito anti-inflamatório, impacto na função tireoidea e na ecomorfologia glandular. 2014.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5135/tde-09022015-124556/ >.
    • APA

      Farias, C. R. de, Cozzolino, S. M. F., & Knobel, M. (2014). Selenometionina e tireoidite crônica autoimune: potencial efeito anti-inflamatório, impacto na função tireoidea e na ecomorfologia glandular. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5135/tde-09022015-124556/
    • NLM

      Farias CR de, Cozzolino SMF, Knobel M. Selenometionina e tireoidite crônica autoimune: potencial efeito anti-inflamatório, impacto na função tireoidea e na ecomorfologia glandular [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5135/tde-09022015-124556/
    • Vancouver

      Farias CR de, Cozzolino SMF, Knobel M. Selenometionina e tireoidite crônica autoimune: potencial efeito anti-inflamatório, impacto na função tireoidea e na ecomorfologia glandular [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5135/tde-09022015-124556/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: