Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Depressão materna, estressores e resiliência: preditores do comportamento de escolares (2014)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: PIZETA, FERNANDA AGUIAR - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Subjects: COMPORTAMENTO; CRIANÇAS; DEPRESSÃO; ESTRESSE PSICOLÓGICO; RESISTÊNCIA (PSICOLOGIA)
  • Keywords: behavior; child; comportamento; criança; depression; estresse (psicologia); psychological resilience; resiliência psicológica; stress (psychology)
  • Language: Português
  • Abstract: Estudos que avaliam condições de risco para o desenvolvimento infantil têm incluído a depressão materna no conjunto de variáveis preditoras de desfechos negativos por parte das crianças. A compreensão sobre o impacto das condições de risco, sob a perspectiva da psicopatologia do desenvolvimento, coloca em foco a relevância das condições de proteção como elementos que concorrem para os desfechos. Verifica-se, na literatura, que poucos estudos sobre o impacto da depressão materna para as crianças abordam condições de risco e proteção, definidas a priori. O presente estudo se insere nessa lacuna. Objetivou-se identificar as associações entre condições contextuais adversas e protetivas para crianças em idade escolar que conviviam com mães com depressão recorrente, focalizando os eventos estressores e os processos de resiliência familiar e o efeito preditivo de tais variáveis para o desfecho comportamento das crianças. Foram avaliadas 100 díades mães-crianças, sendo 50 díades casos, cujas mães apresentavam diagnóstico de transtorno depressivo recorrente, com episódios moderados ou graves, e 50 díades não casos, cujas mães não apresentavam transtornos psiquiátricos, e as crianças, ambos os sexos, com idade entre sete e 12 anos, e nível intelectual pelo menos médio. Procedeu-se à avaliação com as mães por meio de questionários, entrevistas e escalas relativos aos indicadores sociodemográficos, à confirmação diagnóstica de transtorno depressivo e outros transtornos psiquiátricos, aos recursos do ambiente familiar, aos eventos adversos atuais e crônicos, aos indicadores de resiliência familiar e ao comportamento da criança. Com as crianças, procedeu-se à avaliação do nível intelectual e do desempenho escolar, por meio de instrumentos específicos. Os instrumentos foram aplicados em sessões individuais, face a face, segundo as recomendações técnicas, e asentrevistas foram transcritas, codificadas e submetidas a acordo entre avaliadores. Os dados relativos aos eventos estressores e aos processos de resiliência familiar foram agrupados a partir de categorias e subcategorias, mediante análise de conteúdo das falas das mães, às quais foram atribuídos critérios numéricos para fins de análise estatística. Para a análise dos dados, foi verificada a normalidade das distribuições das variáveis, o que guiou a escolha dos testes, utilizando-se: Teste t de Student, Teste Exato de Fisher, Correlação de Pearson, Análise de Regressão Logística Multivariada e Estimativa de Máxima Verossimilhança, adotando-se o nível de significância p0,05. Verificou-se, com significância estatística, que as crianças que conviviam com a depressão materna e as crianças com dificuldade de comportamento apresentaram semelhanças quanto a variáveis do contexto familiar, observando-se associações dos problemas a mais eventos estressores, menos recursos do ambiente familiar e menores escores de processos de resiliência familiar. Ao se avaliar o efeito preditivo da depressão materna, dos eventos estressores cumulativamente, e dos processos de resiliência familiar para o desfecho comportamento de crianças em idade escolar, identificou-se impacto de tais variáveis na análise univariada, sendo os primeiros identificados como condições de risco para as crianças e os processos como protetores. Nos modelos multivariados de predição, a depressão materna e os estressores deixaram de ter valor significativo, evidenciando-se que o melhor preditor para o desfecho comportamento foi a variável relativa a menos processos positivos de resiliência familiar. Tais dados têm implicações para as práticas em saúde mental materno e infantil, nos diversos níveis de atenção em saúde e também para as políticas de garantia de direitos da criança, com a valorização deestratégias de intervenção que favoreçam o desenvolvimento de habilidades de enfrentamento das adversidades
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 29.09.2014
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200066555Pizeta, Fernanda Aguiar
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PIZETA, Fernanda Aguiar; LOUREIRO, Sonia Regina. Depressão materna, estressores e resiliência: preditores do comportamento de escolares. 2014.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17148/tde-10112014-213910/ >.
    • APA

      Pizeta, F. A., & Loureiro, S. R. (2014). Depressão materna, estressores e resiliência: preditores do comportamento de escolares. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17148/tde-10112014-213910/
    • NLM

      Pizeta FA, Loureiro SR. Depressão materna, estressores e resiliência: preditores do comportamento de escolares [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17148/tde-10112014-213910/
    • Vancouver

      Pizeta FA, Loureiro SR. Depressão materna, estressores e resiliência: preditores do comportamento de escolares [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17148/tde-10112014-213910/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: