Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Sintomas osteomusculares em trabalhadores de enfermagem de uma unidade neonatal, UTI neonatal e banco de leite humano (2014)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: MONTEIRO, CARLA ROBERTA - INTER - ENFERMA
  • USP Schools: INTER - ENFERMA
  • Subjects: ENFERMAGEM; SAÚDE OCUPACIONAL; TRANSTORNOS TRAUMÁTICOS CUMULATIVOS
  • Keywords: cumulative trauma disorders; nursing; workers health
  • Language: Português
  • Abstract: O trabalho da enfermagem envolve numerosos fatores de risco para a saúde. Há uma extensa lista de danos a todos os sistemas orgânicos, entre eles as afecções do sistema musculoesquelético, responsáveis por gerar incapacidades para a vida que não se resumem apenas ao ambiente de trabalho. No cuidado ao recém-nascido em Unidade neonatal e UTI neonatal, bem como no processo de trabalho no Banco de leite humano, são realizadas rotineiramente atividades que apresentam fatores de risco para o desenvolvimento de sintomas osteomusculares. Assim, este estudo teve como objetivos, conhecer a prevalência de sintomas osteomusculares em trabalhadores de enfermagem de uma Unidade neonatal, UTI neonatal e Banco de leite humano, e os fatores sociodemográficos, de saúde e trabalho associados, bem como verificar a frequência de atestados e licenças médicas emitidos à estes trabalhadores no último ano. Estudo exploratório e descritivo, transversal, de abordagem quantitativa, do qual participaram 86 trabalhadores da equipe de enfermagem que compõe o quadro funcional dos setores Unidade neonatal, UTI neonatal e Banco de leite humano de um hospital universitário do município de São Paulo. Os dados foram coletados pela pesquisadora por meio de um questionário semi-estruturado, Questionário Internacional de Nível de Atividade Física e Questionário Nórdico de Sintomas Osteomusculares. Além disso, foram verificados todos os afastamentos por doença, emitidos aos trabalhadores no período de um ano e registrados no setor de Recursos Humanos do Hospital.O tratamento dos dados foi realizado por meio dos testes de Fisher, Teste t-Student ou Mann-WhitneyOs trabalhadores apresentaram média de 41 anos, sendo sua maioria (94, 19%) mulheres e auxiliares/técnicos de enfermagem (53, 33%), sem outro vínculo empregatício, com tempo médio de atuação de 16, 93 anos, classificados na faixa de sobrepeso quanto ao Índice de Massa Corpórea (IMC), e como ativos quanto ao nível de atividade física. Apenas 32, 14% deles referiram ter recebido orientações sobre mecânica corporal. Dentre os trabalhadores estudados, 54, 65% deles, em algum momento necessitaram de afastamento de suas atividades laborais por doença, sendo as doenças do sistema osteomuscular as que levaram ao maior número de afastamentos. A coluna vertebral representou a região responsável pela maior frequência de afastamentos, assim como representou a região corpórea com maior frequência de relatos de sintomas, tanto nos últimos 12 meses, quanto nos últimos 7 dias. A região do cotovelo foi apontada como a que causou maior impedimento das atividades habituais (45, 45%) e aquela que levou o maior número de trabalhadores a buscar ajuda profissional (54, 55%). Os que referiram sintomas em região de pescoço e ombro foram os mais jovens, tendo os mais velhos relatado sintomas em região de cotovelo. Aqueles que referiram sintomas em região de pescoço foram os que exerciam a mesma função por menos tempo, já os que exerciam a mesma função por mais tempo, foram os que referiram sintomas em região de cotovelos. Os trabalhadores que relataram sintomas em região de joelhos e tornozelos/pés, apresentaram uma média de IMC superior a 26. Auxiliares/técnicos de enfermagem, trabalhadores do Banco de leite humano e do turno administrativo, aqueles que referiram compartilhamento das atividades domésticas e os sedentários, foram os que apresentaram maior frequência de relatos de sintomas.A análise da prevalência, bem como dos fatores associados à ocorrência de sintomas osteomusculares, permitiu identificar fatores relativos ao indivíduo, trabalho e estilo de vida, que podem subsidiar ações voltadas para a promoção da saúde e melhorias nas condições de trabalho destes trabalhadores.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 14.07.2014
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    EE10200027828T4392
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MONTEIRO, Carla Roberta; FARO, Ana Cristina Mancussi e. Sintomas osteomusculares em trabalhadores de enfermagem de uma unidade neonatal, UTI neonatal e banco de leite humano. 2014.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/83/83131/tde-20012015-154122/ >.
    • APA

      Monteiro, C. R., & Faro, A. C. M. e. (2014). Sintomas osteomusculares em trabalhadores de enfermagem de uma unidade neonatal, UTI neonatal e banco de leite humano. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/83/83131/tde-20012015-154122/
    • NLM

      Monteiro CR, Faro ACM e. Sintomas osteomusculares em trabalhadores de enfermagem de uma unidade neonatal, UTI neonatal e banco de leite humano [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/83/83131/tde-20012015-154122/
    • Vancouver

      Monteiro CR, Faro ACM e. Sintomas osteomusculares em trabalhadores de enfermagem de uma unidade neonatal, UTI neonatal e banco de leite humano [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/83/83131/tde-20012015-154122/