Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Estudo sobre a transmissibilidade do vírus da artrite encefalite caprina através do sêmen e da placenta (2014)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: HASEGAWA, MARJORIE YUMI - FMVZ
  • USP Schools: FMVZ
  • Subjects: ARTRITE ANIMAL (TRANSMISSÃO;DIAGNÓSTICO); CAPRINOS (PATOLOGIA); LENTIVIRUS; REAÇÃO EM CADEIA POR POLIMERASE; TESTES IMUNOLÓGICOS
  • Keywords: AGID; Caprine lentivirus; cELISA; cELISA; IDGA; Lentivirus caprino; Nested-PCR; Nested-PCR; Transmissão; Transmission
  • Language: Português
  • Abstract: Artrite Encefalite Caprina é uma enfermidade infecciosa, multissistêmica, causada pelo vírus da Artrite Encefalite Caprina, que pertence dentre os Lentivírus de Pequenos Ruminantes. Sobre o aspecto reprodutivo na transmissão, o objetivo do presente estudo consiste em avaliar experimentalmente a transmissibilidade do lentivírus caprino em cabras e suas crias pela placenta e sêmen. Para avaliar a influência da transmissão via placentária, foram utilizadas cinco fêmeas com CAEV inseminadas artificialmente com sêmen de bode livre de CAEV. Para avaliar a influência da transmissão pelo sêmen, foram utilizadas seis fêmeas livres de CAEV inseminadas artificialmente com sêmen de bode livre de CAEV. O CAEV-Cork foi adicionado ao sêmen fresco com a finalidade de se obter título infectante com carga viral em 105 TCID50/mL. Como grupo controle, duas cabras livres de CAEV foram inseminadas artificialmente com sêmen de mesmo bode sem o inóculo viral; e outras duas cabras com CAEV inseminadas com a carga viral. As fêmeas foram monitoradas durante a gestação até 15 dias pós-parto e as crias separadas das mães foram monitoradas até 12 meses de idade, empregando-se as técnicas de IDGA, cELISA e nested-PCR. As fêmeas com CAEV apresentaram resultados positivos em IDGA (87,10%), cELISA (88,71%) e nested-PCR (25,81%). As crias apresentaram resultados negativos em ambos os testes de IDGA e cELISA, embora na técnica de nested-PCR, 7,14% das amostras apresentaram banda positiva. Das seis fêmeaslivres de CAEV, quatro (66,67%) apresentaram soroconversão com 18,46% das amostras positivas ao IDGA, 49,23% das amostras positivas ao cELISA e nenhuma para nested-PCR. Anticorpos anti-CAEV foram detectados 30 dias pós IA. Quanto às crias, 5,26% e 11,28% das amostras apresentaram resultado positivo para IDGA e nested-PCR, respectivamente. Nenhuma amostra apresentou positividade para cELISA. O grupo controle livre de CAEV tiveram resultados negativos para as três técnicas, incluindo suas crias; enquanto que as fêmeas com CAEV inseminadas com o inóculo viral apresentaram 61,90% das amostras positivas para IDGA, 100% para cELISA e nenhuma amostra para nested-PCR. Suas crias obtiveram no total somente um resultado positivo para IDGA e outro para nested- PCR. A positividade encontrada em nested-PCR nas crias pode ter um significado particular de identificar animais infectados porém soronegativos, como em situações de soroconversão tardia. Entretanto, não é possível assumir a transmissão do CAEV para crias de forma insofismável, embora não é descartada a possibilidade de infecção das crias pelo sêmen e placenta com soroconversão tardia. Contudo é possível a transmissão do CAEV por IA com sêmen infectado em fêmeas livres de CAEV. A carga viral utilizada no estudo foi capaz de infectar as fêmeas. Com relação aos testes utilizados, o cELISA detectou a soroconversão mais cedo que o IDGA. A técnica de nested-PCR falhou em detectar a infecção antes da soroconversão nas fêmeas. Esteestudo proporcionou maiores informações sobre a transmissão do lentivírus caprino sob o aspecto reprodutivo, com a utilização de três diferentes métodos diagnósticos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 24.09.2014
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMVZ11300048725T.3024 FMVZ
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      HASEGAWA, Marjorie Yumi; GREGORY, Lilian. Estudo sobre a transmissibilidade do vírus da artrite encefalite caprina através do sêmen e da placenta. 2014.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10136/tde-07012015-081945/ >.
    • APA

      Hasegawa, M. Y., & Gregory, L. (2014). Estudo sobre a transmissibilidade do vírus da artrite encefalite caprina através do sêmen e da placenta. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10136/tde-07012015-081945/
    • NLM

      Hasegawa MY, Gregory L. Estudo sobre a transmissibilidade do vírus da artrite encefalite caprina através do sêmen e da placenta [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10136/tde-07012015-081945/
    • Vancouver

      Hasegawa MY, Gregory L. Estudo sobre a transmissibilidade do vírus da artrite encefalite caprina através do sêmen e da placenta [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10136/tde-07012015-081945/