Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Estresse e jornada laboral dos trabalhadores de enfermagem (2014)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: GOUVEIA, MáRCIA TELES DE OLIVEIRA - EERP
  • USP Schools: EERP
  • Subjects: ENFERMAGEM; SAÚDE OCUPACIONAL; ESTRESSE PROFISSIONAL
  • Keywords: Estresse fisiológico; Estresse psicológico; Hidrocortison; Hidrocortisona; Jornada de trabalho; Nursing; Physiological stress; Psychological stress; Saúde do trabalhador; Workers' health; Workload
  • Language: Português
  • Abstract: Objetivo Geral - Analisar a relação entre estresse e a jornada laboral dos trabalhadores de enfermagem de um hospital público de Teresina, Piauí. Métodos: Estudo descritivo, transversal, correlacional, quantitativo, realizado em um hospital público geral de Teresina (Piauí), entre janeiro a abril e setembro a novembro de 2013. A amostra foi aleatória, constituída na primeira etapa por 145 trabalhadores de enfermagem, aos quais foi aplicada a Seção 1 dos questionários dos Guias de Avaliação de Riscos nos lugares de trabalho. Na segunda etapa a amostra foi constituída por 93 trabalhadores, aos quais se aplicou o Inventário de Sintomas de Stress para Adultos (ISSL). A determinação das concentrações de cortisol foi estabelecida através do Kit de cortisol do laboratório Salimetrics em 84 trabalhadores de enfermagem. A pesquisa foi aprovada por um Comitê de Ética em Pesquisa. A análise dos dados ocorreu por meio de estatística descritiva e inferencial no programa SPSS (Statistical Package for Social Science), versão 18.0. Resultados: 92,4% dos trabalhadores de enfermagem eram do sexo feminino, 52,4% casados, com predominância da faixa etária entre 41-50 anos (34,5%), sendo a idade média dos entrevistados de 44,4 anos de idade. 60 eram técnicos de enfermagem (41,4%), 13,1% mencionaram trabalhar na central de material esterilizado e 11,7% no centro cirúrgico ou na sala de recuperação anestésica. Quanto ao tipo de contrato, 81,4% mencionaram ser estatutários estaduais, no entanto, 17,9% mencionaram ter outros tipos de contratos. O plantão diurno é realizado por 56,6%, seguido por 29,7% com jornada diária, contabilizando-se 70,4% que realizam plantões (diurno e noturno). Ter carga inferior ou igual a 30 horas foi mencionada por 69,7%; entretanto 33,1% realizavam carga horária semanal em outra unidade hospitalar; a faixa salarial para 54,5% é entre 1 a 2 salários mínimos; 55,9%apresentavam somente um e 44,1% possuíam de dois a quatro vínculos empregatícios. Os fatores de risco no ambiente de trabalho percebidos pelos trabalhadores em ordem decrescente foram: risco de contrair infecção/doença (77,2%), exposição ao risco biológico (68,3%), lesão por material perfuro cortante (55,9%), exposição ao vírus da hepatite (55,1%), exposição ao vírus HIV (53,8%) e risco por sobrecarga de trabalho (53,8%). Os problemas de saúde relacionados ao trabalho (provocados/agravados) mais frequentes, percebidos são: varizes (56.5%), lombalgias (46,9%), estresse/ depressão (41,4%) e lesões por acidentes (32,4%). Na aplicação do ISSL, obtiveram-se 93 inventários respondidos e destes 65 trabalhadores apresentaram-se com sintomas de estresse, embora a maioria (57) encontre-se na fase de resistência. O cortisol salivar mensurado obteve amplitude de 0,061mg/dl a 0,849mg/dl, com alguns valores fora dos de referência para normalidade. Foi constatada correlação entre a carga horária acima de 30 horas e o estresse. Conclusão: O uso do cortisol salivar pode auxiliar no rastreio de condições deletérias geradas pelo estresse ocupacional crônico em profissionais de enfermagem, contribuindo para o reconhecimento precoce dessas condições e para a adoção de medidas preventivas que permitam a manutenção da qualidade da assistência dos serviços de saúde e equilíbrio entre o rendimento e a produtividade
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 08.04.2014
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    EERP10400030515Gouveia, Márcia Teles de Oliveira
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GOUVEIA, Márcia Teles de Oliveira; ROBAZZI, Maria Lucia do Carmo Cruz. Estresse e jornada laboral dos trabalhadores de enfermagem. 2014.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22132/tde-07012015-134306/ >.
    • APA

      Gouveia, M. T. de O., & Robazzi, M. L. do C. C. (2014). Estresse e jornada laboral dos trabalhadores de enfermagem. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22132/tde-07012015-134306/
    • NLM

      Gouveia MT de O, Robazzi ML do CC. Estresse e jornada laboral dos trabalhadores de enfermagem [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22132/tde-07012015-134306/
    • Vancouver

      Gouveia MT de O, Robazzi ML do CC. Estresse e jornada laboral dos trabalhadores de enfermagem [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22132/tde-07012015-134306/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: