Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Violência na gestação e saúde mental de mulheres que são vítimas de seus parceiros (2014)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: FONSECA-MACHADO, MARIANA DE OLIVEIRA - EERP
  • USP Schools: EERP
  • Subjects: MAUS-TRATOS CONJUGAIS; DEPRESSÃO; ANSIEDADE; SUICÍDIO; GRAVIDEZ; PREVENÇÃO PRIMÁRIA
  • Keywords: Anxiety; Depressive Disorder; Enfermagem; Ideação suicida; Maus-tratos conjugais; Nursing; Pregnancy; Primary prevention; Public health; Saúde pública; Spouse abuse; Stress disorders post-traumatic. Suicidal ideation; Transtorno depressivo; Transtornos de estresse pós-traumáticos
  • Language: Português
  • Abstract: Este estudo teve como objetivo verificar as repercussões da violência por parceiro íntimo, ocorrida durante a atual gestação, na saúde mental de mulheres usuárias de um serviço de atendimento pré- natal. Trata-se de estudo observacional, com delineamento transversal, desenvolvido no Centro de Referência da Saúde da Mulher de Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil, com 358 gestantes, em acompanhamento pré-natal no serviço, entre maio de 2012 e maio de 2013. A coleta dos dados aconteceu no dia da primeira consulta de pré-natal das gestantes no serviço, por meio de sete instrumentos: i. instrumento de caracterização sociodemográfica, econômica e comportamental; ii. instrumento de caracterização obstétrica; iii. Edinburgh Postnatal Depression Scale; iv. Post-Traumatic Stress Disorder Checklist - Civilian Version; v. Escala de Ideação Suicida de Beck; vi. Inventário de Ansiedade Traço-Estado; vii. Instrumento de identificação e caracterização da violência. Os dados foram analisados no software Statistical Package for Social Sciences, versão 21.0. Utilizamos as análises univariada, bivariada e multivariada dos dados, por meio da distribuição de frequências absolutas e relativas, medidas de tendência central e de variabilidade, os testes estatísticos Qui- quadrado e Teste t, razões de prevalência, razões de chances de prevalência, regressão logística múltipla e regressão linear múltipla. No momento da coleta dos dados, as participantes tinham, em média, 25 anos de idade e 9,5 anos de escolaridade formal. A maioria considerou-se não branca, era solteira, coabitava com o parceiro íntimo, possuía alguma religião, não exercia atividade remunerada e possuía renda familiar mensal média de 2,6 salários-mínimos, sendo o parceiro o principal provedor da família. A maioria não fumou, não consumiu bebidas alcoólicas e não fez uso de drogas ilícitas, durante a atualgestação. A amostra caracterizou-se por mulheres multigestas e nulíparas que, em sua maioria, possuíam filhos vivos e não haviam abortado. A prevalência da violência por parceiro íntimo, durante a atual gestação, foi de 17,6%. As prevalências dos indicativos das presenças de transtorno depressivo, do diagnóstico de transtorno de estresse pós-traumático e de ideação suicida foram de 28,2%, 17,0% e 7,8%, respectivamente. Os escores médios das gestantes nas escalas ansiedade-traço e ansiedade- estado foram de 39,1 e 42,5 pontos, respectivamente. Após se ajustar aos modelos de regressão logística múltipla, a violência por parceiro íntimo, durante a gestação, associou-se com o indicativo da presença de transtorno depressivo, com o indicativo do diagnóstico de transtorno de estresse pós- traumático e com o indicativo da presença de ideação suicida. Os modelos de regressão linear múltipla ajustados evidenciaram que as mulheres em situação de violência por parceiro íntimo, na atual gestação, apresentaram maiores escores dos sintomas de ansiedade-traço e estado do que aquelas que não sofreram esse tipo de violência. Portanto, reconhecer a violência como um fator de risco clinicamente relevante e identificável para a ocorrência de transtornos mentais, durante a gestação, pode ser um primeiro passo na prevenção destes problemas. Idealmente, as respostas devem incluir os setores da saúde, assistência social e justiça, no sentido de cumprir a obrigação do Estado para eliminar a violência contra a mulher
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 15.05.2014
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    EERP10400030512Fonseca-Machado, Mariana de Oliveira
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FONSECA-MACHADO, Mariana de Oliveira; GOMES-SPONHOLZ, Flávia Azevedo. Violência na gestação e saúde mental de mulheres que são vítimas de seus parceiros. 2014.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22133/tde-08012015-101617/ >.
    • APA

      Fonseca-Machado, M. de O., & Gomes-sponholz, F. A. (2014). Violência na gestação e saúde mental de mulheres que são vítimas de seus parceiros. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22133/tde-08012015-101617/
    • NLM

      Fonseca-Machado M de O, Gomes-sponholz FA. Violência na gestação e saúde mental de mulheres que são vítimas de seus parceiros [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22133/tde-08012015-101617/
    • Vancouver

      Fonseca-Machado M de O, Gomes-sponholz FA. Violência na gestação e saúde mental de mulheres que são vítimas de seus parceiros [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22133/tde-08012015-101617/