Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Detecção de alterações teciduais na Doença de Chagas pela Ressonância Magnética Cardíaca e sua relação com disjunção ventricular, arritmias e eventos clínicos (2014)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: VOLPE, GUSTAVO JARDIM - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RCM
  • Subjects: DOENÇA DE CHAGAS; CARDIOPATIAS; RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: Apesar de ter sido descrita há mais de um século e mesmo com os programas nacionais de combate, a Doença de Chagas (DC) ainda é um importante problema de saúde pública. Causada pelo Trypanosoma cruzi (T. cruzi), tem na Cardiopatia Chagásica Crônica (CCC) sua apresentação mais grave, dado a morbidade e mortalidade a ela relacionada. O acometimento cardíaco na CCC está intrinsecamente ligado à fibrose miocárdica, com graus variáveis de disjunção ventricular e presença de arritmias. A ressonância magnética cardíaca (RMC) por meio da técnica de realce tardio pelo gadolínio (RTG) é importante ferramenta para avaliação não invasiva de fibrose miocárdica. Métodos: Um total de 132 pacientes portadores de CCC foi incluído no estudo (50,7% sexo feminino; mediana de 55 [44,5-65,5] anos). Na inclusão, um exame de CMR foi realizado com máquina 1,5T (Achieva, Philips, The Netherlands), incluindo cines nas projeções de 2 e 4 câmaras, assim como 9-12 cortes no eixo curto. Após 10 minutos da infusão de 0,2 mmol/Kg de gadolínio, sequências de RTG foram adquiridas nas mesmas posições das cines. Foram calculados os volumes ventriculares direito e esquerdo na sístole e diástole, assim como as respectivas Rações de ejeção. O RTG foi inicialmente classificado visualmente como positivo e negativo, com posterior quantificação das áreas de fibrose densa e de fibrose heterogénea ("gray zones"). Dados clínicos foram obtidos do prontuário médico. O desfecho primário foi considerado como uma combinação de todas as mortes, implantes de cardiodesfibrilador implantável (CDI) e hospitalizações por causa cardiovascular durante o seguimento. Resultados: Fibrose estava presente em 74,2% dos pacientes, sendo as paredes lateral e inferolateral os segmentos mais comumente afetados. Os pacientes portadores de RTG positivo apresentavam volumes ventriculares direito e esquerdoaumentados, depressão da função sistólica ventricular esquerda. Pacientes com fibrose também eram mais propensos à presença de extrassístoles ventriculares e taquicardia ventricular não sustentada (TVNS) no Holter. O volume diastólico final indexado do ventrículo esquerdo, a presença de fibrose miocárdica e o segundo tercil da quantificação das gray zones foram preditores independentes da ocorrência de TVNS. Tanto a presença de RTG positivo quanto a extensão das áreas de gray zones e fibrose central estavam relacionadas com as categorias de risco do Escore de Rassi, assim como dos fatores que compõe seu cálculo. Ocorreram 21 eventos (8 mortes, 4 CDI e 9 hospitalizações) durante a mediana de 593 [266-885] dias, nenhum deles entre os pacientes sem fibrose (Teste Log-rank, p=0,039). Idade e o segundo tercil tanto da extensão das grey zones quanto de fibrose densa foram preditores independentes de eventos. Conclusão: A fibrose na CCC é altamente prevalente e sua presença está relacionada à maior densidade de arritmias, remodelamento ventricular adverso, função sistólica deprimida e foi preditor de eventos adversos. A extensão das áreas de gray zones e fibrose densa, assim como a idade foram preditores independentes do desfeicho combinado de morte, implante de CDI e hospitalizacão por causa cardiovascular
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 04.08.2014

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200066517Volpe, Gustavo Jardim
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      VOLPE, Gustavo Jardim; SCHMIDT, André. Detecção de alterações teciduais na Doença de Chagas pela Ressonância Magnética Cardíaca e sua relação com disjunção ventricular, arritmias e eventos clínicos. 2014.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014.
    • APA

      Volpe, G. J., & Schmidt, A. (2014). Detecção de alterações teciduais na Doença de Chagas pela Ressonância Magnética Cardíaca e sua relação com disjunção ventricular, arritmias e eventos clínicos. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Volpe GJ, Schmidt A. Detecção de alterações teciduais na Doença de Chagas pela Ressonância Magnética Cardíaca e sua relação com disjunção ventricular, arritmias e eventos clínicos. 2014 ;
    • Vancouver

      Volpe GJ, Schmidt A. Detecção de alterações teciduais na Doença de Chagas pela Ressonância Magnética Cardíaca e sua relação com disjunção ventricular, arritmias e eventos clínicos. 2014 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: