Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Transtornos alimentares: modelo e consenso cultural na alimentação  (2014)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: PINA, MARINA GARCIA MANOCHIO - EERP
  • USP Schools: EERP
  • Sigla do Departamento: ERM
  • Subjects: TRANSTORNOS NUTRICIONAIS; ALIMENTAÇÃO; CULTURA
  • Keywords: Culture; Eating disorders; Feeding; Transtornos da alimentação
  • Language: Português
  • Abstract: A alimentação tem significado sociocultural e psicológico e apresentam forte impacto na etiologia e manutenção dos transtornos alimentares. O objetivo deste trabalho foi identificar o modelo cultural na alimentação em pacientes com transtornos alimentares e mulheres saudáveis considerando o estado nutricional e a imagem corporal. Estudo transversal, comparativo e quanti-qualitativo com dois grupos de mulheres: saudáveis (grupo controle-GC) e pacientes com Anorexia Nervosa (AN) e Bulimia Nervosa (BN) (grupo de pacientes-GP) de três serviços especializados do estado de São Paulo. Foi realizada entrevista individual para coleta de dados sociodemográficos, antropométricos (peso, estatura), alimentares (Eating Attitudes Test-EAT-26) e de imagem corporal (Escala de Figura de Silhuetas). Para definir o modelo cultural na alimentação foi aplicada a Lista livre de alimentos composta por 31 itens para que as participantes fizessem agrupamentos de acordo com seus próprios critérios. A seguir, aplicou-se o Ranking dos alimentos para verificar o consenso e a competência culturais. Por fim, foi realizada entrevista de grupo focal para melhor compreensão dos resultados obtidos. Foram utilizados os testes de Kruskal-Wallis, Mann-Whitney, o Escalonamento Multidimensional, a Análise de Agrupamento, o PROFIT e a análise de regressão logística. Participaram 112 pacientes (GP: AN=62; BN=50) e 36 mulheres saudáveis (GC) cuja idade média, em anos, foi semelhante (GP: AN=30,1±10,7; BN= 29,8±7,8; GC: 28,17±12,6). O EAT-26 (em pontos) foi maior no GP (AN= 37,9±19,4; BN= 38,5±15,4; GC =12,3±5,1) e o IMC (Kg/m2 ) mostrou baixo peso na AN (18,2±3,9), sobrepeso na BN (25,4±6,2) e eutrofia no GC (21,5±2,3). A percepção da imagem corporal indicou inacurácia (AN=10,5±10,7; BN=8,4±6,3; GC=2,7±5,0) em todos os grupos (p<0,05) e insatisfação apenas no GP (AN= -11,3±13,9; BN= -13,7±9,0; GC= -1,3±5,0). Omodelo cultural mostrou que calorias, saúde e gosto são as dimensões que os grupos utilizaram para agrupar os alimentos com consenso forte em calorias (eigenvalue ratio=9,57 no GP e 11,09 no GC) e saúde (eigenvalue ratio=10,63 no GP e 11,34 no GC). No entanto, há divergências no compartilhamento dessas ideias entre os grupos e dentro dos grupos, especialmente nas pacientes com AN. No GP, as pacientes pensam na alimentação em uma única dimensão, pois calorias (R=0,916), saúde (R=0,963), e gosto (R=0,706) apresentam boa correlação com os alimentos, direcionadas pelo critério calorias, diferentemente do GC que apresenta atributos bem definidos e diferenciados (caloria: R=0,943; saúde: R=0,933 e gosto: R=0,573). O modelo logístico apresentou bons resultados de classificação dos grupos (81%) com influência da competência cultural de gosto, calorias, concordância residual de gosto e satisfação corporal para o participante estar no GC. Os alimentos têm diferentes representações traduzidas por sentimentos de vida e morte norteados pelo conteúdo calórico deles, mas na busca do equilíbrio nutricional. A cultura alimentar contemporânea incentiva e valoriza padrões saudáveis de alimentação, o que foi demonstrado em ambos os grupos. Nos transtornos alimentares, há influência de outros fatores, clássicos da etiopatogenia desses quadros, resultando em escolhas alimentares menos calóricas. A assistência nutricional para pessoas com transtornos alimentares deve considerar os sistemas culturais e promover a discussão sobre crenças e valores simbólicos atribuídos aos alimentos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 03.10.2014
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    EERP10400030582Pina, Marina Garcia Manochio
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PINA, Marina Garcia Manochio; DRESSLER, William Wyrner; RIBEIRO, Rosane Pilot Pessa. Transtornos alimentares: modelo e consenso cultural na alimentação . 2014.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22133/tde-10022015-195203/ >.
    • APA

      Pina, M. G. M., Dressler, W. W., & Ribeiro, R. P. P. (2014). Transtornos alimentares: modelo e consenso cultural na alimentação . Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22133/tde-10022015-195203/
    • NLM

      Pina MGM, Dressler WW, Ribeiro RPP. Transtornos alimentares: modelo e consenso cultural na alimentação  [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22133/tde-10022015-195203/
    • Vancouver

      Pina MGM, Dressler WW, Ribeiro RPP. Transtornos alimentares: modelo e consenso cultural na alimentação  [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22133/tde-10022015-195203/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: