Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Percepção dos agentes comunitários de saúde acerca do trabalho em saúde junto a usuários de substâncias psicoativas e famílias: limitações e possibilidades de atuação (2014)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: FERNANDES, MÔNICA PEREIRA - EERP
  • USP Schools: EERP
  • Sigla do Departamento: ERP
  • Subjects: SAÚDE DA FAMÍLIA; ABUSO DE ÁLCOOL; DROGAS DE ABUSO
  • Keywords: Agentes comunitários de saúde (ACS); Family Health Program; Health community workers(HCW); Percepções; Perceptions; Programa Saúde da Família; Psychoactivesubstances; Substâncias psicoativas
  • Language: Português
  • Abstract: A Atenção Básica caracteriza-se por preconizar ações de proteção, promoção, prevenção de agravos e manutenção à saúde, privilegiando a singularidade, complexidade, integralidade e o aspectos sociais, culturais e históricos da população assistida, Nesta perspectiva, destaca-se a atuação dos Programas de Saúde da Família (PSF), especialmente pelo trabalho realizado pelo agentes comunitários de saúde (ACS) que visa fomentar o vínculo através do acompanhamento longitudinal das famílias e tem o papel de elo e articulação com a rede pública de saúde. No contexto do uso abusivo de substâncias psicoativas (SPA) e acompanhamento das famílias, a atuação destes profissionais tem importância estratégica no território, mediando a relação da comunidade e os serviços de saúde. Isso por possibilitar a identificação dos casos, os encaminhamentos pertinentes e participação na implementação de intervenções específicas na comunidade. O objetivo deste estudo é, identificar e analisar as percepções que os ACS têm sobre o trabalho realizado em um sentido amplo, sobre o uso, usuário de SPA e familiares e da rede de atendimento. Trata-se de um estudo de caráter descritivo, com análise qualitativa de dados, que contou com a participação de 11 ACS que trabalham em dois núcleos com PSF de uma cidade do interior de São Paulo. O método de coleta de dados foram oito grupos focais (quatro em cada núcleo e gravados com autorização dos participantes), com utilização de 4 roteiros decondução com o total de 12 perguntas semi-diretivas, 3 por encontro. Também foi preenchida a ficha de caracterização dos ACS, com dados pessoais de idade, sexo, escolaridade e tempo de serviço no núcleo de PSF. Para tratamento dos dados, utilizou-se a análise temática de conteúdo; no processo de transcrição do material e leitura identificaram-se os temas (primeiro por serviço e depois juntos). Categorias emergiram e estabeleceu-se o seu nível de relevância, estipulado sob critério de intercessão entre o número de menções nos grupos versus número de menções por participantes, na graduação: Muito Relevante, Relevante e Pouco relevante. Ao todo foram 5 categorias centrais: Sujeito da ação de cuidar (Temas: suporte à família, vínculo contínuo perfil dos casos, participação em reuniões);Sentimentos associados ao trabalho(Temas: impotência, medo); Conhecimentos e crenças(Temas: visão do uso, do usuário de SPA e de sua família, mapeamento de problemas relacionados ao uso e tráfico);Atendimento em saúde ao usuário de SPA e famílias(Temas: dispositivos de encaminhamento intervenções no PSF, rede frágil de atendimento, políticas públicas frágeis); Especificidades do trabalho do ACS(Temas: trabalho na comunidade, organização do trabalho, capacitação, sobrecarga ocupacional).Concluiu-se que para os participantes do estudo, suas percepções envolviam sentimentos, valores e julgamentos acerca das SPA e do uso, necessidades e dificuldades sentidas na abordagem.Mencionaram ações de suporte oferecido e vínculo com as famílias de usuários de SPA, e sua percepção sobre a rede de atendimento. Cada núcleo executa ações de sensibilização e encaminhamento a serviços de saúde especializados, mas procuram manter o contato com as famílias dos usuários de SPA, devido ao vínculo estabelecido e da necessidade de acompanhamento no território. Apesar das percepções dos participantes convergirem, houve distinções pontuais quanto às peculiaridades no trabalho realizado e nos sentimentos vivenciados junto à população específica, justificado por diferenças nos perfis sociais dos residentes nos dois territórios de abrangência dos serviços e na organização do trabalho
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 24.09.2014
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    EERP10400030580Fernandes, Mônica Pereira
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FERNANDES, Mônica Pereira; LUIS, Margarita Antonia Villar. Percepção dos agentes comunitários de saúde acerca do trabalho em saúde junto a usuários de substâncias psicoativas e famílias: limitações e possibilidades de atuação. 2014.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22131/tde-30032015-193030/ >.
    • APA

      Fernandes, M. P., & Luis, M. A. V. (2014). Percepção dos agentes comunitários de saúde acerca do trabalho em saúde junto a usuários de substâncias psicoativas e famílias: limitações e possibilidades de atuação. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22131/tde-30032015-193030/
    • NLM

      Fernandes MP, Luis MAV. Percepção dos agentes comunitários de saúde acerca do trabalho em saúde junto a usuários de substâncias psicoativas e famílias: limitações e possibilidades de atuação [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22131/tde-30032015-193030/
    • Vancouver

      Fernandes MP, Luis MAV. Percepção dos agentes comunitários de saúde acerca do trabalho em saúde junto a usuários de substâncias psicoativas e famílias: limitações e possibilidades de atuação [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22131/tde-30032015-193030/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: