Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Papel dos produtos derivados da Nox2 na patogênese da sepse (2014)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: TREVELIN, SILVIA CELLONE - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RFA
  • Subjects: SEPSE; ENDOTOXINAS; FARMACOLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: Sepse é definida como uma resposta inflamatória sistêmica (SIRS) associada à infecção. Em geral, a sepse ocorre quando há falha no controle dos microrganismos invasores, o que induz à exacerbada resposta inflamatória do hospedeiro. Durante a sepse também ocorrem distúrbios cardiovasculares (tais como severa hipotensão), os quais podem levar à disfunção de múltiplos órgãos e morte. A flavoproteína Nox2, componente catalítico da NADPH oxidase 2, é ativada durante a sepse, porém o papel das espécies reativas derivadas de oxigénio (ROS) por ela produzidos na patogênese da doença não é completamente esclarecido. No presente estudo verificou-se que a Nox2 é protetora na sepse, pois além da importante função microbicida das ROS em leucócitos, elas evitam a exacerbação da SIRS, severa hipotensão, e consequentemente, disfunção múltipla orgânica. Animais deficientes da Nox2 apresentaram maior mortalidade à sepse induzida por ligação e perfuração do ceco (CLP) mesmo quando a infecção foi controlada pelo tratamento com antibiótico. Ao avaliar camundongos deficientes da Nox2 somente em leucócitos ou células endoteliais injetados i.v. com lipopolissacarídeo (LPS), observou-se que a Nox2 expressa em ambos os tipos celulares confere proteção à SIRS, enquanto a hipotensão é controlada principalmente pela Nox2 endotelial. Quando inibida a Nox2, células endoteliais ou leucócitos (macrófagos ou neutrófilos) isolados em cultura e estimulados com LPS apresentaram maior transcrição de ácidos ribonucleicos mensageiros (mRNAs) para as citocinas pró- inflamatórias [fator de necrose tumoral- (TNF)-α, CCL2] e do receptor toll-like 4 (TLR4). Tais células tiveram maior interação do fator nuclear- (NF)-κB com o ácido desoxirribonucleico (DNA) e quantidade da proteína tioredoxina-1 (TRX-1) no estado reduzido. Além disso, observou-se que o LPS induz a interação direta daTRX-1 com a subunidade p40phox; e que a redução da TRX-1, quando há inibição da Nox2, favorece a localização nuclear da primeira. Em conjunto, os resultados permitem sugerir que a Nox2 é responsável pela oxidação da TRX-1, retendo-a no citoplasma e membrana plasmática, ligada à p40phox. Tal fenômeno controla a interação do NF-κB com o DNA e transcrição de mediadores inflamatórios que governam a SIRS e hipotensão na sepse
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 11.12.2014

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200066740Trevelin, Silvia Cellone
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      TREVELIN, Silvia Cellone; CUNHA, Fernando de Queiroz; LOPES, Lucia Rossetti. Papel dos produtos derivados da Nox2 na patogênese da sepse. 2014.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014.
    • APA

      Trevelin, S. C., Cunha, F. de Q., & Lopes, L. R. (2014). Papel dos produtos derivados da Nox2 na patogênese da sepse. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Trevelin SC, Cunha F de Q, Lopes LR. Papel dos produtos derivados da Nox2 na patogênese da sepse. 2014 ;
    • Vancouver

      Trevelin SC, Cunha F de Q, Lopes LR. Papel dos produtos derivados da Nox2 na patogênese da sepse. 2014 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: