Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

O sistema de normas e valores dos Grupos Escolares paulistas: a naturalização da ênclise (2014)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: TELES, FERNANDA ALVARENGA - FFLCH
  • USP Schools: FFLCH
  • Subjects: LÍNGUA PORTUGUESA (HISTÓRIA); COLOCAÇÃO PRONOMINAL; GRAMÁTICA; ORAÇÃO (GRAMÁTICA)
  • Keywords: Grupos Escolares paulistas; História Social da Língua; Imaginário republicano; Orações infinitivas preposicionadas; Prepositional infinitive verbs; Republican imaginary; School Groups of São Paulo; Social History of Language
  • Language: Português
  • Abstract: Grandes transformações sociais, econômicas e políticas ocorriam no Brasil republicano do final do século XIX. Nesse contexto, forças sócio-políticas operavam na proposta de civilização do país que se apoiava na difusão das instituições de ensino como estratégia para se equiparar à modernização e ao progresso dos países europeus. Assim, os Grupos Escolares foram criados em contraposição às escolas isoladas do período monárquico, inovando no cenário brasileiro com a implantação do ensino graduado e com o método intuitivo, servindo de propaganda ao novo governo instaurado. Alguns estudos têm mostrado que, dentro desse panorama da virada do século XIX, uma mudança na colocação pronominal em orações infinitivas preposicionadas se implanta no Português Brasileiro, o qual se distanciava do padrão lusitano e do uso vernacular da época. Considerando o crescimento da próclise do vernáculo brasileiro (OLIVEIRA, 2013) e a ênclise majoritária dos intelectuais republicanos paulistas (SANTOS SILVA, 2012) nesse contexto sintático, este trabalho investigará se os Grupos Escolares Paulistas adotavam um único padrão linguístico quanto à posição do pronome em infinitivas preposicionadas. Para essa análise, serão estudados ofícios e relatórios escritos em 1902 e 1906 por diretores de 34 grupos e inspetores da educação do estado de São Paulo. Para uma boa análise qualitativa dos dados, será adotado o paradigma indiciário de Ginzburg (1989), juntamente a um estudo etnográfico dos grupos e de seuconteúdo programático que permitirá identificar o pano de fundo da difusão desse novo tipo de escola e entender a simbólica importância dessa instituição de ensino para a sociedade republicana. Dessa forma, será possível entrelaçar o ponto de vista linguístico com a sócio-história dos Grupos Escolares paulistas na virada do século XIX para o XX.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 23.09.2014
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FFLCH2688166-2012992N
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      TELES, Fernanda Alvarenga; OLIVEIRA, Marilza de. O sistema de normas e valores dos Grupos Escolares paulistas: a naturalização da ênclise. 2014.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8142/tde-10042015-114917/ >.
    • APA

      Teles, F. A., & Oliveira, M. de. (2014). O sistema de normas e valores dos Grupos Escolares paulistas: a naturalização da ênclise. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8142/tde-10042015-114917/
    • NLM

      Teles FA, Oliveira M de. O sistema de normas e valores dos Grupos Escolares paulistas: a naturalização da ênclise [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8142/tde-10042015-114917/
    • Vancouver

      Teles FA, Oliveira M de. O sistema de normas e valores dos Grupos Escolares paulistas: a naturalização da ênclise [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8142/tde-10042015-114917/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: