Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

A vertigem do indizível: descaminhos da palavra em O filho eterno, de Cristovão Tezza (2014)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: VALE, CRISTINA DO - FFLCH
  • USP Schools: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLT
  • Subjects: LITERATURA BRASILEIRA (CRÍTICA E INTERPRETAÇÃO)
  • Keywords: Crítica literária e psicanálise; Literary criticism and psychoanalisys; Narrador onisciente seletivo; Real; Real; Selective omniscience
  • Language: Português
  • Abstract: Esta dissertação realiza uma análise textual do premiado romance brasileiro O filho eterno (2007), do catarinense Cristovão Tezza (1952-), cujo enredo aborda a experiência de paternidade de um aspirante a escritor que, ao descobrir que seu primeiro filho possui a mutação genética conhecida como síndrome de Down, é lançado à maior vertigem de sua vida. No conjunto da obra romanesca de Tezza, observamos que a linguagem, especialmente a literária, tem papel relevante nos enredos fabulados pelo autor, frequentemente povoados por personagens que, com maior ou menor afinidade com o campo da linguagem e da literatura, acreditam no poder da palavra. Para tais personagens, a linguagem carrega a promessa de lançar luzes sobre aquilo que, de outra maneira, poderia se perder, permanecer obscuro, incompreensível ou banal. Em O filho eterno, essa mesma espécie de aposta na linguagem é assumida de forma muito convicta pela personagem do pai para quem a capacidade de abstração e a inteligência são os maiores valores do ser humano. O nascimento de Felipe acabará revelando o quanto o plano simbólico tem de falho, de insuficiente, ao relegar esse pai a uma situação de profundo desamparo diante de uma experiência que resiste à possibilidade de elaboração por meio da linguagem. Esses limites vão sendo percebidos, por exemplo, em sua dificuldade de falar sobre o filho, no penoso processo de aquisição de linguagem pelo menino, na impossibilidade de o pai escrever sobre o filho ou para o filho, napercepção de que vida e literatura não se confundem. Embora o romance tenha forte caráter confessional, com origem na experiência pessoal de Tezza com seu filho Felipe, quem narra a história de pai e filho é um outro, um terceiro, um narrador onisciente seletivo (Friedman, 2002) cujo foco recai sobre o pai. Em nosso entendimento, tal foco narrativo é um dispositivo privilegiado que fornece a possibilidade de falar sobre algo, em última instância, indizível. Tomando por referência Barthes (2007), para quem uma das forças da literatura (Mimesis) residiria em sua busca incessante de representar o irrepresentável, e Lacan (1975), que postula o Real como a dimensão da experiência humana que escapa à linguagem, buscamos investigar de que modo a tessitura do romance lida com o paradoxo de narrar o inenarrável, representar o irrepresentável, dizer o indizível. Valendo-nos, ainda, dos conceitos lacanianos de Imaginário e Simbólico, observamos como o pai de Felipe passará por um processo gradual de esvaziamento de imagens ideais que, durante muito tempo, o nortearam na vida e na relação com o filho, e realizará uma travessia para além (e, em certo sentido, para aquém) da linguagem da norma e da cultura letrada para alcançar essa outra linguagem que é a de Felipe. Realizando incursões ao passado do pai, o narrador pouco a pouco entrelaça as histórias de pai e filho e testemunha, por fim, o encontro possível desses dois guerreiros de brincadeira, em frente à televisão, na fanáticatorcida pelo Clube Atlético Paranaense.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 20.10.2014
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FFLCH2695163-2013068N
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      VALE, Cristina do; PASSOS, Cleusa Rios Pinheiro. A vertigem do indizível: descaminhos da palavra em O filho eterno, de Cristovão Tezza. 2014.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8151/tde-26122014-010944/ >.
    • APA

      Vale, C. do, & Passos, C. R. P. (2014). A vertigem do indizível: descaminhos da palavra em O filho eterno, de Cristovão Tezza. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8151/tde-26122014-010944/
    • NLM

      Vale C do, Passos CRP. A vertigem do indizível: descaminhos da palavra em O filho eterno, de Cristovão Tezza [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8151/tde-26122014-010944/
    • Vancouver

      Vale C do, Passos CRP. A vertigem do indizível: descaminhos da palavra em O filho eterno, de Cristovão Tezza [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8151/tde-26122014-010944/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: