Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Alagoanos em São Paulo e a concordância de número (2014)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SILVA, FERNANDO GOMES DA - FFLCH
  • USP Schools: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLL
  • Subjects: CONCORDÂNCIA NOMINAL; SOCIOLINGUÍSTICA
  • Keywords: Language Variation; São Paulo; Variação linguística
  • Language: Português
  • Abstract: Este trabalho analisa, de acordo com as premissas teórico-metodológicas da Sociolinguística Variacionista (Labov 1972:[2008]), como se dá a concordância nominal de número (CN) na fala de alagoanos estabelecidos na cidade de São Paulo, em comparação com a fala de paulistanos. A análise multivariada é feita com as ocorrências de sintagmas nominais simples (constituídos de dois elementos), como as pessoa-s/ø. O objetivo principal é verificar quais são os fatores linguísticos e sociais que concorrem para a realização da CN nesses dois subgrupos de falantes. Os dados foram extraídos de 24 entrevistas sociolinguísticas com paulistanos e 24 com alagoanos que vivem na capital paulista. Ambas subamostras são definidas pelas mesmas variáveis sociais: sexo/gênero, faixas etárias e escolaridade. Os resultados indicam que a taxa de não realização da concordância (CN-Ø) entre alagoanos e paulistanos é praticamente a mesma. Em ambas as subamostras, os fatores sociais mostraram-se mais significativos, uma vez que todos foram selecionados para os dois grupos de falantes, com os maiores ranges. As mulheres são as mais sensíveis à variante de prestígio; no entanto, as alagoanas apresentam percentual um pouco maior de CN-Ø (23%) do que as paulistanas (17%). Não há indicativo de mudança em progresso: em ambos os subgrupos, a segunda faixa etária é a que desfavorece CN-Ø. Já para escolaridade, trata-se de um grupo de fatores mais significativo para paulistanos do que para alagoanos. Quanto aosfatores linguísticos, Classe de palavra do elemento nuclear, Processo de formação de plural do elemento nuclear e Número de sílaba do elemento não-nuclear se mostraram mais significativos. Da perspectiva da concordância nominal de número, esta dissertação mostra que alagoanos e paulistanos se assemelham mais do que se diferenciam. Nesse sentido, pode ser que façam parte de uma mesma comunidade de fala (Labov 1972 [2008]), 1996 [2006], Guy 1981 mas isso só poderá ser confirmado por estudos futuros, que se dedicarem a outras variáveis na fala destes e de outros grupos de falantes migrantes para a cidade de São Paulo.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 06.11.2014
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FFLCH2695236-2013088N
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SILVA, Fernando Gomes da; MENDES, Ronald Beline. Alagoanos em São Paulo e a concordância de número. 2014.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8139/tde-15052015-094014/ >.
    • APA

      Silva, F. G. da, & Mendes, R. B. (2014). Alagoanos em São Paulo e a concordância de número. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8139/tde-15052015-094014/
    • NLM

      Silva FG da, Mendes RB. Alagoanos em São Paulo e a concordância de número [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8139/tde-15052015-094014/
    • Vancouver

      Silva FG da, Mendes RB. Alagoanos em São Paulo e a concordância de número [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8139/tde-15052015-094014/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: