Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Refinando o diagnóstico de Transtorno de Oposição e Desafio na infância e adolescência: validação e caracterização da dimensão irritável (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: KRIEGER, FERNANDA VALLE - FM
  • USP Schools: FM
  • Sigla do Departamento: MPS
  • Subjects: EMOÇÕES; ESTUDOS EPIDEMIOLÓGICOS; TRANSTORNOS DA ANSIEDADE; TRANSTORNOS DO HUMOR; DEPRESSÃO
  • Keywords: Affective symptoms; Attention deficit and disruptive behavior disorders; Emoções; Emotions; Epidemiologic studies; Estudos epidemiológicos; Herança multifatorial; Humor irritável; Irritable mood; Mood disorders; Multifactorial inheritance; Sintomas afetivos; Transtorno de déficit da atenção e de comportamento disruptivo; Transtornos de humor
  • Language: Português
  • Abstract: O Transtorno de Oposição e Desafio (TOD) é definido por um padrão recorrente de comportamento desafiante, desobediente e hostil com início na infância e adolescência e caracteriza-se por uma alta taxa de comorbidades. Estudos longitudinais apontam o TOD na infância como um dos principais preditores de psicopatologia na idade adulta. Uma possível explicação para a grande heterogeneidade de comorbidades e trajetórias longitudinais é de que o diagnóstico de TOD abrange distintas dimensões de sintomas, cada qual com seu desfecho. O primeiro objetivo desta tese foi a validação das distintas dimensões do TOD em uma amostra comunitária Brasileira composta de 2512 sujeitos. Através de análise fatorial confirmatória, demonstramos que o modelo que melhor representa a heterogeneidade do TOD é composto por três dimensões: a dimensão "argumentative/defiant" que está associada com transtorno de déficit de atenção/hiperatividade (TDAH); a dimensão "vindictiveness" que possui associação com transtorno de conduta (TC); e a dimensão "angry/irritable mood" onde predominam as associações com transtornos depressivos e de ansiedade. O objetivo seguinte foi investigar o papel da dimensão irritável na classificação nosológica dos transtornos mentais na infância e adolescência. A apresentação da irritabilidade é um aspecto crucial: irritabilidade crônica caracterizada por baixa tolerância à frustração e frequentes explosões de raiva, que é distinta da apresentação episódica, associada ao diagnóstico Transtorno de Humor Bipolar (TB)."Severe mood dysregulation", "disruptive mood dysregulation disorder", ou dimensão irritável do TOD são formas distintas de classificar o fenótipo de irritabilidade crônica. Entretanto, independente da classificação utilizada, a alta taxa de comorbidades é invariavelmente o denominador comum em estudos sobre irritabilidade. Neste sentido, examinamos o impacto da irritabilidade como uma dimensão subjacente a vários transtornos. Para tanto, avaliamos o impacto da dimensão irritável do TOD através de vários cenários: indivíduos sem diagnóstico, indivíduos com TDAH e sujeitos com transtornos emocionais. Esta 9 investigação foi realizada em duas amostras, uma brasileira constituída por 2.512 sujeitos e uma amostra britânica composta de 7.977 sujeitos. Os resultados demonstram que a irritabilidade está associada ao aumento do prejuízo funcional independente do diagnóstico comórbido concomitante. Seguindo esta linha, investigamos a influência genética na etiologia da irritabilidade. Para tanto, criamos um escore poligênico que incluiu polimorfismos associados à baixa tolerância à frustração, raiva, agressividade reativa e labilidade emocional. O escore poligênico foi altamente preditivo dos níveis de irritabilidade em 350 sujeitos da amostra brasileira. A associação foi específica para irritabilidade e não foi significativa para TDAH, TOD ou medidas contínuas de sintomas. Além disso, a influência genética se manteve mesmo quandofatores ambientais foram incluídos no modelo estatístico. Por fim, quando testada em diferentes ambientes, a influência genética na etiologia da irritabilidade foi mais importante em ambientes de alto risco, sugerindo uma correlação gene-ambiente (rGE). Concluindo, nossos resultados sugerem que a irritabilidade se caracteriza como um traço dimensional subjacente a inúmeros transtornos na infância e adolescência e agregando impacto e prejuízo funcional. Neste sentido, o constructo da irritabilidade se enquadra no conceito do "Research Domain Criteria" (RDoC) que propõe o entendimento dos transtornos mentais através de dimensões subjacentes aos diagnósticos clínicos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 27.03.2015
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FM2697238-20W4.DB8 SP.USP FM-2 K93re 2015 original
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      KRIEGER, Fernanda Valle; POLANCZYK, Guilherme Vanoni. Refinando o diagnóstico de Transtorno de Oposição e Desafio na infância e adolescência: validação e caracterização da dimensão irritável. 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5142/tde-09062015-163129/ >.
    • APA

      Krieger, F. V., & Polanczyk, G. V. (2015). Refinando o diagnóstico de Transtorno de Oposição e Desafio na infância e adolescência: validação e caracterização da dimensão irritável. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5142/tde-09062015-163129/
    • NLM

      Krieger FV, Polanczyk GV. Refinando o diagnóstico de Transtorno de Oposição e Desafio na infância e adolescência: validação e caracterização da dimensão irritável [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5142/tde-09062015-163129/
    • Vancouver

      Krieger FV, Polanczyk GV. Refinando o diagnóstico de Transtorno de Oposição e Desafio na infância e adolescência: validação e caracterização da dimensão irritável [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5142/tde-09062015-163129/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: