Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Aspergilose invasiva em pacientes imunodeprimidos: comparação entre as provas de galactomanana, 1,3 betaD-glucana, dados tomográficos e desfecho clínico (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: BATISTA, MARJORIE VIEIRA - FM
  • USP Schools: FM
  • Subjects: MICOSES; HOSPEDEIRO IMUNOCOMPROMETIDO; TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA POR RAIOS X; TESTES IMUNOLÓGICOS; PULMÃO (FISIOPATOLOGIA); INFECÇÕES OPORTUNISTAS; CÉLULAS-TRONCO (TRANSPLANTE)
  • Keywords: Aspergillosis; Aspergilose; Aspergilose pulmonar invasiva; Beta-glucanas; beta-Glucans; Febrile neutropenia; Hematopoietic stem cell transplantation; Hospedeiro imunocomprometido; Immunocompromised host; Immunologic tests; Invasive pulmonary aspergillosis; Micoses; Mycoses; Neutropenia febril; Testes imunológicos; Tomografia computadorizada por raios X; Tomography; Transplante; Transplante de células-tronco hematopoéticas; Transplants
  • Language: Português
  • Abstract: A aspergilose invasiva (AI) é a infecção por fungos filamentosos mais comum em pacientes imunodeprimidos, especialmente em transplantes de células tronco hematopoiético e neoplasias hematológicas. Objetivo: Geral: Estabelecer a comparação entre a dosagem de Galactomanana (GM), 1,3betaD-glucana (BDG) e dados tomográficos no diagnóstico da AI bem como seu papel no desfecho clínico. Específicos: 1. Verificar a sensibilidade e especificidade dos ensaios de Galactomanana e de 1,3betaD-glucana no soro e lavado broncoalveolar. 2. Comparar os resultados da galatomanana e 1,3betaD-glucana com os dados de imagem em pacientes com suspeita de AI. 3. Verificar a relação entre a evolução dos níveis de GM e desfecho clínico (óbito e sobrevida). Casuística, Materiais e Métodos: Realizou-se um estudo tipo coorte prospectiva, incluindo 398 sujeitos das diversas enfermarias de pacientes imunodeprimidos do HCFMUSP, sendo incluídos dois grupos de pacientes: 202(51%) AI e 198(49%) controles. Resultados: Dos casos, 18 (8,8%) tinham aspergilose provada, 28 (13,7%) provável e 158 possível (77,5%), de acordo a classificação de 2002 EORTC/MSG (European Organization for Research and Treatment of Cancer / Mycoses Study Group). Os sujeitos submetidos ao TCTH eram 42,7%, com neoplasias hematológicas 37%, TOS 9% e outras doenças 11,3%. Os fatores de risco associados ao desenvolvimento da AI foram neutropenia, monocitopenia, uso de corticóide, presença de doença pelo citomegalovírus e rejeição ou doença do enxerto contra o hospedeiro.O fator de risco associado à evolução para o óbito foi a presença de AI. Foram observados bons desempenhos para a GM tanto no soro como no LBA com LR menores que os registrados na literatura. O melhor desempenho da GM no soro para aspergilose+provável ocorreu com LR de 0,35 com sensibilidade-S, especificidade-E, valor preditivo positivo- VPP), valor preditivo negativo-VPN) e área sob a curva-ASC de 54,4%, 73,4%, 50,8%, 76,2% e 0,64, sendo os valores superiores para aspergilose provada tanto na S, como E, VPN. No LBA os valores de S-E-VPP-VPN-ASC para GM para LR de 0,65 para aspergilose provável + provada foram 58,3%, 92,6%, 87,5%,71,4% e 0,75, sendo na aspergilose provada os valores de S, e VPN superiores. Nesta casuística, o melhor desempenho para BDG no soro apontou para uma LR de 100 pg/mL na aspergilose provável+provada, com 54,5%, 73,4%, 50,8% e 76,2%, 0,64 respectivamente para S-E-VPP-VPN-ASC. Para BDG no LBA, a LR na aspergilose provável + provada foi de 140 pg/mL, com os mesmos valores de 46,7%, 76,7%, 70%, 55,6% e 0.62, respectivamente. Conclusão: A GM no LBA e no soro foram úteis no diagnóstico da aspergilose mediante emprego de LR menores, sendo mais sensível na LBA, principalmente em estágios iniciais da forma angioinvasiva. A persistência de GM sérica foi relacionada ao óbito em relação à negativação da mesma. A proporção de concordância entre a TC e os biomarcadores no soro e no LBA variou de 0,5 a 0,6, com pequena concordância na estatística kappa.Excelente concordância foi observada entre dois radiologistas independentes, que analisaram de maneira cega as TC de sujeitos com aspergilose provada. Nesta casuística com inclusão de doenças sistêmicas e endêmicas, a BDG teve baixo desempenho diagnóstico
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 15.04.2015
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FM2698987-10W4.DB8 SP.USP FM-2 B337as 2015
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BATISTA, Marjorie Vieira; YASUDA, Maria Aparecida Shikanai. Aspergilose invasiva em pacientes imunodeprimidos: comparação entre as provas de galactomanana, 1,3 betaD-glucana, dados tomográficos e desfecho clínico. 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5134/tde-18062015-105032/ >.
    • APA

      Batista, M. V., & Yasuda, M. A. S. (2015). Aspergilose invasiva em pacientes imunodeprimidos: comparação entre as provas de galactomanana, 1,3 betaD-glucana, dados tomográficos e desfecho clínico. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5134/tde-18062015-105032/
    • NLM

      Batista MV, Yasuda MAS. Aspergilose invasiva em pacientes imunodeprimidos: comparação entre as provas de galactomanana, 1,3 betaD-glucana, dados tomográficos e desfecho clínico [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5134/tde-18062015-105032/
    • Vancouver

      Batista MV, Yasuda MAS. Aspergilose invasiva em pacientes imunodeprimidos: comparação entre as provas de galactomanana, 1,3 betaD-glucana, dados tomográficos e desfecho clínico [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5134/tde-18062015-105032/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: