Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

A influência da estimulação olfatória no desenvolvimento de crises límbicas em ratos Wistar (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: PEREIRA, POLIANNA DELFINO - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Subjects: ESTIMULAÇÃO ELÉTRICA; OLFATO; AMÍGDALA DO CEREBELO
  • Keywords: Abrasamento Elétrico Rápido; Amígdala; Córtex Piriforme; Eletrencefalograma (EEG); ELT; Hipocampo; Olfação; TMT; Amygdala; Electroencephalogram (EEG); Hippocampus; Olfaction; Piriform Cortex; Rapid Electrical Kindling; TLE
  • Language: Português
  • Abstract: Um dos modelos experimentais mais utilizados para estudar a epilepsia do lobo temporal (ELT) é o abrasamento (kindling) por estimulação elétrica diária da amígdala, o abrasamento elétrico convencional. Uma alternativa rápida e eficaz a esse modelo é o abrasamento elétrico rápido, também capaz de gerar crises límbicas, porém com 10 estímulos elétricos aplicados ao dia, por 2 dias. No 3º dia é aplicado um estímulo elétrico adicional, o 21º estímulo, quando podem ser testadas drogas antiepilépticas ou estudados mecanismos de plasticidade ou memória. Entre as principais áreas ativadas nas crises límbicas encontram-se o complexo amigdalóide, a formação hipocampal, o córtex piriforme e neocórtices adjacentes. O envolvimento de estruturas olfatórias na ELT é antigo e estudos indicam que a exposição a um estímulo olfatório é capaz de suprimir, inibir ou induzir a ocorrência de crises. Todas as evidências clínicas e experimentais dão suporte científico para a hipótese de que a estimulação olfatória com o 2,5-Dihydro-2,4,5-trimethylthiazoline (TMT), uma potente substância química, derivada das fezes de raposa e que biologicamente representa o “cheiro de predador” pode influenciar no processo de crises evocadas por estimulação elétrica da amígdala. O objetivo geral do presente estudo foi avaliar a influência da apresentação do estímulo olfatório nas crises epilépticas de ratos Wistar, submetidos ao abrasamento elétrico rápido da amígdala. Para tanto, os parâmetros químicos do TMT foram avaliados, bem como as respostas comportamentais de ratos Wistar machos naives submetidos ao estímulo olfatório com diferentes doses de TMT. Na sequência, um novo grupo de ratos Wistar machos naives foi submetido ao protocolo de abrasamento elétrico rápido da amígdala com a aquisição dos registros eletrencefalográficos (EEGráficos) do córtex piriforme, formaçãohipocampal além do complexo amigdalóide. Após abrasados os animais foram expostos ao TMT ou água destilada, previamente ao 21º estímulo elétrico. Posteriormente o tecido cerebral foi processado (perfundido, crioprotegido, congelado e cortado) e então foram feitas as técnicas histoquímicas de: Nissl e Fluoro-Jade C (FJC, marcador de neurodegeneração). As respostas comportamentais foram analisadas mediante o uso do Índice de Gravidade para Crises Límbicas e da neuroetologia. Adicionalmente foi avaliada a expressão EEGráfica do 1º, 20º e 21º estímulos e verificada a presença/ausência de neurodegeneração em regiões do sistema límbico. Os resultados da análise comportamental obtidos nesse estudo foram comparados com os obtidos no protocolo de estimulação olfatória com TMT nas crises audiogênicas agudas de ratos da cepa WAR. O TMT desencadeou reações de medo e modificou as sequências comportamentais, reduzindo a atividade motora e os comportamentos de autolimpeza. Dados qualitativos da cromatografia gasosa e algoritmos matemáticos possibilitaram estabelecer as concentrações na câmara para as diferentes doses de TMT. Além disso, a cromatografia gasosa identificou que 30 minutos é o tempo necessário para saturação e dessaturação da câmara ao TMT, e indicou uma saturação homogênea do interior dessa câmara. O TMT Puro no abrasamento elétrico rápido em ratos Wistar foi capaz de reduzir significativamente o Índice de Gravidade para Crises Límbicas comparado à água, corroborando os dados neuroetológicos que indicam o efeito supressor do TMT nas crises, tanto para o modelo de abrasamento elétrico rápido quanto para as crises audiogênicas agudas. Os resultados da duração da pós-descarga EEGráfica primária no 21º estímulo foram inconclusivos, sendo necessárias outras análises empregando diferentes métodos analíticos. Com a técnica de FJC não foi possívelverificar morte celular por necrose em qualquer região cerebral avaliada
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 20.02.2015
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200066905Pereira, Polianna Delfino
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PEREIRA, Polianna Delfino; GARCIA-CAIRASCO, Norberto. A influência da estimulação olfatória no desenvolvimento de crises límbicas em ratos Wistar. 2015.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17140/tde-01022016-103743/ >.
    • APA

      Pereira, P. D., & Garcia-Cairasco, N. (2015). A influência da estimulação olfatória no desenvolvimento de crises límbicas em ratos Wistar. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17140/tde-01022016-103743/
    • NLM

      Pereira PD, Garcia-Cairasco N. A influência da estimulação olfatória no desenvolvimento de crises límbicas em ratos Wistar [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17140/tde-01022016-103743/
    • Vancouver

      Pereira PD, Garcia-Cairasco N. A influência da estimulação olfatória no desenvolvimento de crises límbicas em ratos Wistar [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17140/tde-01022016-103743/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: